Os motoristas e cobradores,  metroviários e ferroviários  decidiram não participar da greve marcada para 6ª feira (30/6),  convocada por movimentos sindicais contra as reformas propostas pelo governo federal, e irão trabalhar normalmente ao longo do dia.

O recuo da categoria dos metroviários foi decidido de forma democrática, em uma assembléia realizada na sede do Sindicato, na Zona Leste de São Paulo, nesta 5ª feira à noite. No dia 22/06 (5ª feira da semana passada), os  metroviários haviam decidido aderir à greve e chegaram a distribuir durante todo o dia de hoje (29/06), nas estações do metrô, uma “Carta Aberta” informando a população que a paralisação seria em apoio pela  luta contra as Reformas, a privatização das Linha 5 – Lilás e 17 – Ouro do  metrô e a terceirização das bilheterias.

Os metroviários participarão dos atos públicos que serão realizados nesta 6ª feira (30/6). Às 11h acontecerá manifestação em frente a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) e, a partir das 16 horas, na avenida Paulista (vão livre do Masp) contra as Reformas.

O Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo (Sindmotoristas – SP) informou na tarde desta 5ª feira (29/06) que não irá aderir à greve e confirmaram participação em um ato político convocado pela União Geral dos Trabalhadores (UGT) contra as reformas, que será realizado na Praça Ramos de Azevedo, no centro de São Paulo. Já o Sindicato dos Ferroviários de São Paulo informou que seus trabalhadores também não irão aderir a  greve.

Outras Categorias === Outras categorias informaram que vão aderir a greve, entre elas, professores das redes municipal e estadual, bancários e petroleiros. No entanto, a maioria da categoria preferiu não parar amanhã mas continuar a luta contra as Reformas, a privatização das Linha 5 – Lilás e 17 – Ouro do  metrô e a terceirização das bilheterias. A luta é árdua e será travada com toda força pelos metroviários.

Os metroviários participarão dos atos públicos que serão realizados na sexta-feira (30/6). Às 11h acontecerá manifestação em frente a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) e, a partir das 16h, na avenida Paulista (vão livre do Masp) contra as Reformas.

CN Institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora