O bairro do Mandaqui completou 129 anos, no dia  06 de outubro.  O DiárioZonaNorte  conta agora, um pouco da história de um dos bairros mais queridos da Zona Norte.

A palavra Mandaqui tem origem no vocábulo em tupi “mandihy”, que significa rio dos mandis (bagres). Os primeiros registros datam de fevereiro de 1616, quando o bandeirante Amador Bueno da Ribeira recebeu permissão da Câmara da Vila de São Paulo de Piratininga para a construção de um moinho de trigo ao lado do Ribeirão Mandaqui, afluente da margem direita do Rio Grande (hoje Tiete).

No ano de 1641, um pilão de água foi instalado no local por Josaphat Batista Soares. Com isso, sua propriedade passou a ser chamada de Fazenda Pilão de Água.

Família Zumkeller === A região atraiu imigrantes alemães, franceses e portugueses, que se instalaram nas proximidades da Serra da Cantareira. Uma das primeiras famílias imigrantes foi a família Zumkeller, de origem suíça-alemã, que se instalou onde hoje fica o Conjunto dos Bancários.

Alfredo Zumkeller se dedicou a plantar videiras, produzir vinho e criar gado leiteiro. O sobrenome Zumkeller, atualmente, nomeia uma grande avenida e incorpora o nome de outras três ruas do bairro: Judith Zumkeller, Alfredo Zumkeller e Eduardo Zumkeller .  Em 1928, Alfredo Zumkeller dividiu suas propriedades entre os filhos e estes, começaram a loteá-las.

Família Laet === No início do século XIX, outra tradicional família chegou no Mandaqui, os de Laet. Atualmente, encontramos seus nomes em inúmeras ruas e até escolas, como a ruas João de Laet, rua Isidoro de Laet e a Escola Municipal Professor Adolpho Otto de Laet.

Em 1893 o Mandaqui recebeu o Trem da Cantareira que funcionou  até 1960. O trem era um  dos principais recursos para as obras do Reservatório da Cantareira, que também fazia transporte de passageiros e tornou-se a principal ligação da zona norte como centro da cidade. Ele foi o responsável por trazer os trabalhadores na construção do parque Horto Florestal, inaugurado em 1896

A chegada dos prédios === O  movimento de urbanização mais consistente se deu durante os anos de 1960, quando começaram ser construídos os  primeiros prédios no bairro – a própria casa da fazenda  dos Zumkeller, que ficava ao lado do atual Conjunto dos Bancários (Residencial Santo Antônio), foi demolida e deu espaço para prédios.

Hospital do Mandaqui === No ano de 1939, por iniciativa de Ademar de Barros (interventor do estado de São Paulo), foi construído um sanatório  que cuidava de doentes de tuberculose. Esse sanatório  foi o embrião do que seria mais tarde o Complexo Hospitalar do Mandaqui.  A região foi escolhida em virtude do isolamento e do bom clima.  Na época, a internação era compulsória para que a doença não se propagasse.

O sanatório  tinha capacidade para atender cerca de 800  pacientes tuberculosos internados.  O sanatório era famoso por abrigar especialistas nos mais diversos tipos de tuberculose. Na década de 1980, o Mandaqui foi transformado  em hospital geral e não só especializado em tuberculose. Acabou virando também uma referência em
traumatologia.

As principais avenidas e vias de acesso que cortam o bairro são parte da Avenida Nova Cantareira, a Avenida Água Fria, a Rua Doutor Zuquim, a Avenida Engenheiro Caetano Álvares e a Rua Conselheiro Moreira de Barros.   É na Avenida Engenheiro Caetano Álvares que se concentram a maioria dos bares e restaurantes da região.

 

 

CN Institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora