por Aguinaldo Gabarrão (*)

Que os anos 80 foram bem loucos e repletos de exageros não dá para negar. Vendia-se cigarro de chocolate para crianças; o grupo musical porto-riquenho Menudo provocava o histerismo coletivo de adolescentes; na moda dominava o colorido reluzente e o uso indiscriminado de ombreiras imensas; surgem ótimas bandas como Legião Urbana e Titãs e atrações de TV para crianças que, em alguns momentos, mais pareciam entretenimento para adultos com a libido na estratosfera.

E um desses exemplos de programa voltado para o público infantil foi Bozo, franquia norte-americana que se tornou um grande sucesso do SBT e serviu de base para o filme Bingo – O Rei das Manhãs.

“De que adianta ser o Bingo se ninguém pode saber?” === Ambientado na década de 80, conta a história de Augusto Mendes, ator de pornochanchadas que luta por reconhecimento e tem a grande chance de interpretar a personagem Bingo de um programa infantil na televisão. Graças a sua capacidade de improvisação e ousadia, conquista a criançada e torna-se um fenômeno de audiência.

A história foi inspirada na vida do ator de cinema e televisão Arlindo Barreto, filho da atriz e vedete Márcia de Windsor. Jovem, Barreto obteve fama e dinheiro ao interpretar o Bozo, porém, por razões contratuais, jamais poderia revelar sua identidade por trás da máscara do bizarro palhaço.

Sucesso x vazio existencial === O filme trata do tema paradoxal do artista famoso impossibilitado de ser reconhecido por seu público, mas vai além, pois o bom roteiro de Luiz Bolognesi (Bicho de Sete Cabeças, Chega de Saudade) consegue apresentar no seu plot (enredo) a relação distanciada entre Augusto e seu filho, fruto do relacionamento com uma atriz, e a vida de excessos às quais se lança em seu vazio existencial. A história pode ser dividida em duas partes: a chegada ao topo e, por conseqüência de seu envolvimento com drogas pesadas, a decadência ladeira abaixo até o fundo do poço.

O filme não é uma cinebiografia de Arlindo Barreto, mas se inspirou em diversas passagens de sua vida. E essa é uma das boas sacadas porque permitiu ao roteirista maior liberdade artística, sem prender-se a fatos e verossimilhanças. Cabe também ressaltar no roteiro a crítica velada ao estilo desses programas infantis, que exploravam músicas e piadas de teor sexual para delírio das crianças, sem levar em consideração qualquer parâmetro de classificação etária.

Somente um único nome não foi trocado: o da cantora Gretchen. Segundo o diretor, por ser uma figura muito ligada à década de 80. Igualmente as referências, lugares e pessoas são facilmente reconhecíveis por quem viveu nessa época. E quem não vivenciou, certamente encontrará na trama do filme e na cuidadosa produção de época o devido atrativo dessa década da fita cassete e do aparelho de vídeo em VHS.

O diretor forjado na ilha de edição === Essa é a primeira incursão de Daniel Rezende na direção. Em seu currículo como profissional de edição, há filmes de grande sucesso de bilheteria como Tropa de Elite I e II e Cidade de Deus. Com essa última produção ganhou o prêmio Bafta e foi indicado ao Oscar pelo trabalho de edição.  A experiência acumulada em anos de edição o ajudou na escolha de enquadramentos e planos sequencias que fazem a transposição de passagens de tempo, além de permitir o entendimento do público quanto aos bastidores de um programa e a atmosfera enlouquecedora vivida pelo agitado Augusto Mendes, inspirado no ator Arlindo Barreto.

Ganharemos o Oscar? === Interpretado por um convincente e empático Wladimir Brichta, o elenco conta ainda com Leandra Leal, Augusto Madeira numa ótima composição do cameraman Vasconcelos e uma pequena e marcante participação dos atores Domingos Montagner e Fernando Sampaio, do grupo La Mínima.

O filme “Bingo – O Rei das Manhãs foi escolhido pela Academia Brasileira de Cinema para representar o Brasil na disputa de uma nomeação ao Oscar, que poderá figurar entre os cinco finalistas na categoria de melhor filme estrangeiro, o que não ocorre desde 1999, quando o filme Central do Brasil, dirigido por Walter Salles, disputou, mas não levou.

Assista o trailer do filme: https://www.youtube.com/watch?v=hidcxSOQ_Gg

FICHA TÉCNICA

Bingo – O Rei das Manhãs – Direção: Daniel Rezende / Roteiro: Luiz Bolognesi

Elenco: Wladimir Brichta, Leandra Leal, Augusto Madeira, Ana Lúcia Torre, Emanuelle Araújo, Domingos Montagner, Fernando Sampaio, Tainá Muller, Ricardo Ciciliano, Raul Barreto, Soren Hellerup, Cauã Martins, Pedro Bial.

Fotografia: Lula Carvalho  / Gênero: – Drama / Duração: 110 minutos

Classificação indicativa: 16 anos – País: Brasil – Ano de Produção: 2017

Lançamento: 24 de agosto de 2017

SERVIÇO

Onde:  Itaú Cinemas - Augusta (Sala 03) 
Rua Augusta, 1475 – Consolação
Sessões: 16:30 – 19:00 – 21:30 – 23:40 (sessão extra)
Capacidade: 171 lugares (4 cadeirantes + 1 obeso)

Shopping Frei Caneca (Sala 07) - Rua Frei Caneca, 569 – Consolação
Sessões: 14:00 – 21:40 - Capacidade: 98 lugares (2 cadeirantes + 1 obeso)

Pompéia (Sala 10) - Rua Palestra Itália, 500 – Perdizes
Sessões: 15:30 – 17:40 – 19:50 - dia 30.09 às 00:10 (extra)
Capacidade: 60 lugares (2 cadeirantes)

Clientes Itaú com cartão Itaucard (50% de desconto no seu ingresso). 
Clientes Itaú Personnalité (50% de desconto no seu ingresso e acompanhante).

Reserva Cultural - Avenida Paulista, 900 - Bela Vista - São Paulo
Sala 1: 21:10

Jardim Sul UCI - Avenida Giovanni Gronchi, 5819 - Vila Andrade - São Paulo
Sala 2: 22:20

Kinoplex Itaim - Rua Joaquim Floriano, 466 - Itaim Bibi - São Paulo
Sala 3: Platinum: 15h50, 20h30

Kinoplex Vila Olímpia - Rua Olimpíadas, 360 - Vila Olímpia - São Paulo
Sala 1: 19h00, 21h20

Playarte Bristol - Avenida Paulista, 2064 - Bela Vista - São Paulo
Sala 2: 13h20, 15h50, 18h20, 20h50

(*) Aguinaldo Gabarrão, ator e dramaturgo. Iniciou em 1989 sua trajetória profissional no teatro com o espetáculo “Halloween, o dia das bruxas”, do dramaturgo Nery Gomide. Trabalhou com diretores de diferentes estilos e gerações: Jayme Compri, Hamilton Saraiva, Eugênia Thereza de Andrade, Fabio Caniatto e Antônio Abujamra entre outros. Atua também no segmento corporativo por meio de cursos, treinamentos e palestras com as técnicas do teatro.

Nota da Redação: As críticas publicadas neste espaço são de inteira responsabilidade de seus autores. As opiniões nelas emitidas não exprimem, necessariamente, o ponto de vista do “DiárioZonaNorte” e nem de sua direção.


Institucional Trevo

2 COMENTÁRIOS

    • Olá Vander! Obrigado pelo seu retorno! Continuamos firmes no objetivo de sempre trazer para o público do Diário Zona Norte boas opções de teatro e cinema. Abraço!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora