A capital paulista tem 1,4 milhão de idosos. Para melhorar a qualidade de vida dessa população, o município assinou, na 2ª feira (18/12/2017), o Termo de Adesão ao Programa São Paulo Amigo do Idoso. O intuito é ampliar as políticas públicas para melhorar a qualidade de vida da pessoa idosa na cidade. Com a cidade de São Paulo, agora são 640 municípios que aderiram ao programa. Desses, 245 têm o Selo Inicial Aprovado.

O programa São Paulo Amigo do Idoso e o Selo Amigo do Idoso foram instituídos em 2012. O programa propõe ações direcionadas à população idosa em 11 Secretarias de Estado e o Fundo Social de Solidariedade (Fussesp), sob a coordenação da Secretaria de Desenvolvimento Social. Entre as ações fixas destacam-se o Programa VidAtiva; os Jogos Regionais do Idoso; o programa Melhor Viagem; os Centros de Referência do Idoso; Hospitais de Cuidados Continuados e Ambulatórios Especializados no Idoso; o Projeto Viva Mais; as Praças de Exercício; e Universidade Aberta à Terceira Idade.

Há ainda espaços de acolhimento e de convivência específicos para os idosos, o Selo Amigo do Idoso, a Vila Dignidade, além do Fundo Estadual do Idoso, que trata do recolhimento de recursos por meio de incentivo fiscal. De acordo com a Seds, serão direcionados entre R$ 20 milhões e R$ 25 milhões para projetos dirigidos a essa população.

O governo estadual faz repasse anual de aproximadamente R$ 6,5 milhões à cidade de São Paulo para atendimento exclusivo a pessoas idosas em situação de vulnerabilidade. Na capital paulista, 165 serviços socioassistenciais atendem, em média, 60 mil idosos nessas condições. Entre os serviços prestados estão o de convivência e fortalecimento de vínculos; serviços de proteção social básica e especial; e serviços de abrigo institucional e centros de acolhida.

Funcionamento – Ao aderir ao programa, o município se compromete a realizar ações previstas para conquistar o Selo Amigo do Idoso, em todas as etapas: Inicial, Intermediário e Pleno. O selo visa a estimular os municípios e entidades públicas e da sociedade civil a adotarem ações referenciadas pelo Programa São Paulo Amigo do Idoso.

Essas iniciativas incluem criação do Conselho Municipal do Idoso, realização de diagnósticos, atualização do cadastro de idosos no CadÚnico para programas sociais do Governo federal, ampliação da cobertura vacinal e promoção de atividades para alertar essa população sobre os riscos de quedas.

Atualmente a rede socioassistencial da prefeitura tem 134 serviços específicos para idosos. São, por exemplo, os Núcleos de Convivência, Centros Dia e Centro de Referência para atividades de convivência durante o dia, além de Centros de Acolhida Especiais e Instituições de Longa Permanência para o acolhimento. Juntos, esses serviços atendem cerca de 15 mil idosos.

No Estado de São Paulo existem 55 Centros-Dia do Idoso para a população semidependente, além de 251 Centros de Convivência do Idoso (CCIs) direcionados para aqueles que são independentes. A rede socioassistencial do Estado soma 1.805 serviços direcionados ao atendimento da população idosa; 1.105 Centros de Referência de Assistência Social e 284 Centros de Referência Especializados de Assistência Social.

A Secretaria Municipal de Saúde dispõe de dez Unidades de Referência à Saúde do Idoso (URSI) com cerca de 3 mil idosos em atendimento. A rede também tem 39 equipes do Programa Acompanhante de Idosos (PAI), que atendem 4,6 mil idosos.  << Com apoio de informações/fonte:  Imprensa Oficial – Conteúdo Editorial/ Assessoria de Imprensa da Secretaria de Desenvolvimento Social / Assessoria de Imprensa da Prefeitura de São Paulo – Texto: Maria Lúcia Zanelli >>

sicredi_institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora