da  Redação DiárioZonaNorte ==

Aqui, no DiárioZonaNorte continuamos com nossa árdua tarefa de escrever sobre comida. E por norma, só escrevemos sobre o que efetivamente provamos. Escolhemos um lugar, entramos, comemos e pagamos nossa conta, sempre de forma anônima. Assim, garantimos que nossos leitores não entrem em roubadas.

Se você é de Santana, certamente conhece um sobrado muito  simples na rua José Margarido,   escondido atrás de um portão de cor cinza. Sem nenhuma placa.  Apenas o aroma que invade a rua denuncia o que está por vir. Sim, estamos falando da Casa Garabed.  Certamente uma das melhores esfihas da tua vida.

Forno a lenha === Esqueça aquela massaroca feita por alguns  fast-foods da vida….  Na Casa Garabed elas são assadas em um  forno da década de 40  que é alimentado  exclusivamente com lenha de eucaliptos, com uma massa crocante e airada, levemente dourada e  ligeiramente defumada e com recheios incríveis!

Fundada em 1951  pelo imigrante armênio Garabed Deyrmendjian que  desembarcou no Brasil na década de 20 que antes de montar seu negócio,  foi  engraxate, feirante e sapateiro. Em São Paulo, encontrou o ambiente propício para o empreendedorismo.  Hoje, a Casa Garabed  é dirigida  por Roberto Deyrmendjian, o caçula da família e mantém as mesmas características da época de sua fundação.

Sem pressa e com sabor  === O ambiente é simples e os azulejos ainda são todos originais e a limpeza é impecável. São cerca de  50 lugares, divididos pelo imóvel.  Tudo é produzido artesanalmente e feito na hora, portanto a espera é de no mínimo 30 minutos. No cardápio, 16 variedades  de esfihas dividem a atenção dos clientes.

Abertas ou fechadas, sabores como pernil de cordeiro com snobar  (pequenas sementes originárias de uma espécie de pinheiro nativo do Líbano),  manteiga Aviação e hortelã fresca ou a saborosa carne e  bastermá (tipo de carne-seca com aparência de pastrami) ou ainda a sensacional queijo com cebolas refogadas na manteiga Aviação, são de comer rezando.

Prove também a de escarola, refogada com alho e aliche importado  ou a de zahtar (mistura  de origem árabe  tradicionalmente feita com   zahtar – uma espécie de tomilho que cresce no Oriente Médio, gergelim, tomilho e sumagre que confere acidez no resultado final).    Os preços das esfihas variam entre R$ 8,20 (de  carne) e R$ 10,70 (escarola). Considerando a alta qualidade e a origem dos ingredientes e a produção artesanal, garantimos que vale cada centavo.

Bastermá === Além de ingrediente do recheio de  esfihas, o  Bastermá (ou Bastrmá) pode ser servido acompanhado de pão sírio, em fatias finas.  Provamos as duas  versões e são deliciosas.

O  Bastermá é o nome dado ao processo de preparo do corte do lagartinho bovino, que dura em média 30 dias.A peça de carne passa  por uma prensagem, secagem e curagem. Passados os 30 dias, a carne recebe  uma cobertura de temperos chamada Chemen (coloral, alho e  pimentas – cuja receita varia de família para família armênia).  Após secar, ela é passada novamente até cobrir toda a carne.  Depois disso, ela é conservada na geladeira.

Pratos especiais === Bastante diferente é o  Maduzonv Kiofté,  delicados quibes quibes assados e recheados de carne com snobar.  Depois são cozidos em uma perfumada coalhada fresca com especiarias e escoltados com um delicioso pão sírio assado na hora.   Prove também o Diki Kebab com Mudjecteré.  Calma, a gente explica.  Um tenro espetinho de cubos de filé-mignon intercalados com tomate, cebola e pimentões, assados no forno à lenha. Acompanhado de arroz com lentilhas,  snobar, alface, tomate, picles e azeitonas chilenas.

Outra “delicinha” é o Homus.  Uma suave pasta de grão de bico que leva em sua composição cebolas e  salsinha picada, acompanhada de pães sírios quentinhos e  grão de bico frito no azeite extra virgem e alho.  Outra pasta saborosa é o  Babanaguch, feita de berinjelas assadas no forno a lenha, com azeite extra virgem, cebolas e salsinha milimetricamente picadas. Também são escoltadas por pães sírios quentinhos.

Um final doce === Para fechar o cardápio, saborosos doces sírios ou o delicado “creme do céu” (à base de leite, creme de leite e leite condensado, acompanhado de geléias de damasco, tâmaras ou ameixa preta, cereja e hortelã), sã ideiais.

Serviço:

Casa Garabed

Rua José Margarido, 216 Santana (altura do 882 da  Rua Alfredo  Pujol)

Telefones: (11) 2976-2750,  2979-3943,  2267-1831 e  2267-1810

Estacionamento: Grátis por 2 horas

Horário: 4ª feira a Domingo e Feriados das 12h às 21h

Forma de pagamento: Cartões de Débito e Crédito, Visa, MasterCard, Amex ou dinheiro

Faixa de Preços: $$

 

 

CN Institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora