da Redação DiárioZonaNorte ===

Pelo menos, dois carros de manhã e dois carros à tarde são guinchados na Rua Antonio Domingues de Carvalho, uma rua que liga a Avenida General Ataliba Leonel com a Avenida  Luiz Dumont Villares, ao lado do Terminal de Ônibus e Estação do Metrô Parada Inglesa.

O cidadão distraído estaciona seu carro na rua,  pegando o metrô e tendo a surpresa quando do retorno. O carro não está mais no local e encontra-se um cavalete da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET): “Veículo Guinchado” e fornecendo o número 1188 para esclarecimentos. E aí entra a triste realidade da situação.

Só para fretados === É aquela rua de embarque/desembarque de passageiros que fica ao lado do Condomínio Solar das Andorinhas. Por desconhecimento da legislação de trânsito,  motoristas não fazem a leitura correta da sinalização de “proibido estacionar”. Uma primeira placa avisa onde termina o estacionamento proibido. Uma segunda libera o local para um ponto de   “Transporte Coletivo Privado” – exclusivo para ônibus particulares (alugados por empresas para funcionários ), independentemente de nunca ter sido utilizado desde sua implantação,  nem pela manhã e nem no final da tarde.

Código Brasileiro de Trânsito === A grande maioria dos motoristas desconhece o  Código Brasileiro de Trânsito (CBT), que é confuso e funciona muitas vezes por  “exclusão”, ou seja, se a placa permite estacionamento de fretados e não menciona nada sobre carros ou motos, o estacionamentos  está “excluído/proibido” na via.

Um outro exemplo é a avenida Marechal Eurico Gaspar Dutra (segunda paralela da Avenida Luis Dumont Villares). O lugar é uma grande praça, com pouco movimento de veículos e muitos motoristas deixam seus carros ali, para utilizar o Metrô.  Por ser uma praça, o Código Brasileiro de Trânsito proíbe o estacionamento e não menciona nada sobre a necessidade da autoridade de trânsito sinalizar a proibição no local. Resultado:  os veículos são multados e algumas vezes guinchados.

O barato sai caro === O custo do guincho da CET é de R$576,00 (valor base 2017) e o carro é levado para um dos vários pátios conveniados com a Prefeitura.  Alguns dos carros guinchados no local, são encaminhados para o pátio SGP Paulistano perto da Avenida Billings n.  2050 –  Jaguaré, que cobra a diária de R$46,00 (também valor base 2017).

Além da diária do pátio de estacionamento, para a retirada do veículo são cobradas todas as pendências do veículo (multas, taxas de licenciamento atrasadas, etc) que por ventura houverem.  É permitido o acesso do dono do veículo (devidamente identificado)  ao local, para a retirada de pertences que tenham ficado no carro. O procedimento é orientado pelo  pelo telefone 1188 – o  mesmo que consta nos cavaletes de aviso de remoção de veículo.

Onde ir === A regularização dos documentos e pagamento de taxas/multas deverão ser realizados no Detran (Av. do Estado,800) ou nos Shoppings Aricanduva e  Interlar (Zona Sul), de 2ª a 6ª feira, das 8 às 17 horas.

sicredi_institucional

1 COMENTÁRIO

  1. Todo dia quando eu pego o metrô as 6:30 da manhã tem onibus fretado parado nessa vaga, e muitas vezes eles tem que ficar em fila dupla porque estacionaram na vaga deles.
    É só acordar cedo e ir lá ver.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora