por Redação DiárioZonaNorte ===

Agora é oficial. O prefeito de São Paulo, João Doria Junior é o candidato oficial do PSDB ao Governo do Estado de São Paulo.  Ele disputou a indicação com mais três tucanos:  Floriano Pesaro (secretário de Desenvolvimento Social do Estado de São Paulo), José Aníbal (presidente do Instituto Teotônio Vilela  – ITV), Luiz Felipe D’Avila (cientista político – casado com Ana Maria Diniz e  genro do empresário Abilio Diniz).

As prévias do  PSDB de São Paulo  aconteceram  neste domingo (18/03/2018) e levou 15 mil militantes para as urnas. Foi  a  primeira vez na história do partido, que completará 30 anos em junho deste ano, que a escolha do candidato a governador se deu por meio do voto direto dos filiados.

A votação foi feita  por meio de cédulas de papel.  Foram disponibilizadas  71 urnas no interior e Grande São Paulo e 55 distribuídas nos zonais da capital, totalizando 126 urnas.  A contagem dos votos teve início às 16h e o resultado foi divulgado por volta das 19h45, no Diretório Estadual da legenda, em Moema.

Apuração === A apuração das 126 urnas definiu  11.993 votos (79.62%)  para Dória, 1,191 votos (7,31%) para  Floriano Pesaro, 993 votos (6,59%)  para Luiz Felipe D’Ávila e 901 votos (5,98%)  para José Anibal.  Foram apurados ainda, 39 votos brancos (0,26%) e 35 votos nulos (0,25).  A candidatura ainda precisa ser oficializada pelos tucanos na convenção do partido, que deve acontecer em julho, conforme determina a Justiça Eleitoral.

Na Zona Norte ===  Doria também ganhou no Diretório do  Jaçanã, com 114 votos. Floriano Pesaro, Luiz Felipe D’Ávila e José Anibal,  tiveram 02 votos cada um.  Nenhum  voto branco e 1 voto nulo, totalizando 121 votos.  Compareceram no Zonal do Jaçanã, os prefeitos regionais Alexandre Pires (Jaçanã/Tremembé) e Rosmary Corrêa (Santana/Tucuruvi/Mandaqui).

Renúncia === Para disputar a eleição como candidato ao Governo do Estado de São Paulo, João Dória deverá renunciar à Prefeitura de São Paulo, em no máximo 20 dias (dia 07 de abril – um sábado) e seu vice, Bruno Covas, assumirá a direção da maior cidade da América Latina.

De acordo com a legislação eleitoral que prevê que para um político possa disputar outro cargo, ele deve renunciar ao mesmo até 6 meses antes das eleições. A exigência de renúncia, não se aplica para candidatos a reeleição.  Se o prefeito João Dória não conseguir vencer o pleito para o Estado de São Paulo, ele não poderá voltar para a Prefeitura de São Paulo.  Se Doria for eleito, manterá o domínio do PSDB sobre o Palácio dos Bandeirantes, já que o Partido governa o Estado de São Paulo  há 24 anos, desde que Mario Covas foi eleito em 1994. O governador Geraldo  Alckmin também deverá  deixar o governo do Estado, até o dia 07 de abril,  para concorrer à Presidência da República. Em seu lugar ficará o vice Márcio França

CN Institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora