da Redação DiárioZonaNorte ===

Na manhã de sábado (20/01/2018), a Secretaria Especial de Relações Sociais, realizou no Palácio das Convenções do Anhembi,  a cerimônia de posse do Conselho Participativo Municipal  (CPM) – biênio 2018/2019.   Muito diferente da posse da gestão 2016/2017, com a participação do então prefeito Fernando Haddad e de sua vice  Nadia Campeão e todo o seu secretariado e os 32 subprefeitos da cidade,   a cerimônia foi realizada no dia 25 de janeiro de 2016 –  quando a cidade de São Paulo completou 462 anos e  juntamente com a entrega da “Medalha 25 de Janeiro”  que agraciou  a  cantora e compositora Leci Brandão, a escritora Lygia Fagundes Telles e o desenhista e cartunista Mauricio de Sousa.  Todos os convidados e autoridades da cerimônia de 2016,  estavam elegantemente trajados – de acordo com o “dress code” que a situação exigia.  Em 2018,  alguns convidados e  autoridades, pareciam ter saído de um descontraído churrasco  entre amigos.

Com mandato de dois anos, os conselheiros eleitos tem  a missão de fiscalizar e acompanhar as ações e gastos públicos de cada prefeitura regional  e das secretarias municipais e também apresentar as demandas, necessidades e prioridades da população na área de sua abrangência.

MUDANÇAS NO CONSELHO ===  Diminuído em sua composição, o Conselho Participativo Municipal foi reduzido pela metade, de 1.113 membros da gestão anterior (antes 1 eleitor podia escolher até  5 candidatos)  caiu para 459 conselheiros para o mandato de dois anos (1 representante para cada 30 mil habitantes  – antes 1 para cada 10 mil), em eleição realizada em 03 de dezembro de 2017 e com as mudanças implantadas neste governo – ver reportagem do DiárioZonaNorte   aqui.

Contra um auditório lotado em 2016  (térreo e galeria) –   inclusive com convidados de pé por falta de assentos,  o que se viu no  Grande Auditório Celso Furtado foram aproximadamente 700 pessoas (só de conselheiros, 459) para um espaço de 2.505 poltronas. No fundo do palco, um enorme painel  da Secretaria Especial de Relações Sociais da Prefeitura de São Paulo estampava  a informação “ Cerimônia de Posse – Biênio 2018/2018”, quando o correto seria 2018/2019.   Seria um prenúncio do que o Conselho Participativo Municipal enfrentará?

O PREFEITO NÃO COMPARECEU === Na agitação dos organizadores, ainda notava-se alguns outros detalhes para acertos operacionais e técnicos. Com atraso de 40 minutos, a solenidade teve início depois do horário oficial e programado das 10 horas da manhã,  sem a presença do prefeito João Doria Jr. – que naquele momento estava a quilômetros de distância, em São Mateus, nas ações de zeladoria  do  programa “Cidade Linda” – e também não foi representado, na ordem hierárquica e de importância, pelo vice-prefeito e Chefe da Casa Civil, Bruno Covas, nem mesmo pelo Secretário Municipal das Prefeituras Regionais, Cláudio Carvalho.

AS AUTORIDADES  ===  Quase que improvisando por situações de alguma representatividade, foram convocados o Secretário de Governo, Júlio Francisco  Semeghini Neto – que oficialmente representou o prefeito; o Secretário de Esportes e Lazer, Jorge Damião de Almeida; a Secretária do Trabalho e Empreendedorismo Aline Cardoso; a representante da Secretária Heloísa Proença, de Urbanismo e Licenciamento, Yara Cunha Costa; o vereador André Santos (PRB); o representante do Secretário Municipal de Justiça Anderson  Pomini,  o Controlador Geral do Município, Dr. Guilherme Rodrigues Monteiro Mendes; e o prefeito regional de Parelheiros, Adaílson de Oliveira – representando os 32 colegas, que na plateia compareceram apenas  de seis regiões.

O CORAL DÁ INÍCIO === Com as cadeiras postas no palco, ao lado das bandeiras do Município, do Estado e do Brasil, as autoridades puderam ouvir o hino nacional com o fundo de gravação e a cobertura cantada pelo Coral da Oficina de Arte Cultura, de Vila Maria (Zona Norte),  com regência do maestro Roberto Mendes Barbosa.   Com apresentações de Adria Giaccheri (Coordenadoria de Planejamento e Desenvolvimento Urbano – CPDU)  e Nelson Marques (Supervisor de Esportes e Lazer), da Prefeitura Regional de Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros, o mesmo coral manteve-se no palco com os seus 28 participantes e apresentaram cinco canções, que foram muito aplaudidas.

Com o convidado especial Carlinhos do Cavaco, que inclusive fez o contra ponto na voz, foram apresentadas: “Siaramba” (africana), “Ave Maria no Morro” (Herivelto Martins), “Berimbau” (Baden Powell), “Samba do Arnesto” (Adoniran Barbosa) e fechou esplendidamente com “Isso aqui é o que é” , de Ary Barroso.  E, com esta canção, a Sandra — uma das participantes do Coral  — foi  chamada à frente e deu um show de “samba no pé”. A plateia ovacionou. Coral e sambista  muito aplaudidos, saindo do palco. (N.R.: o DiárioZonaNorte, o único veículo representante da Zona Norte, fez a transmissão AO VIVO de toda a apresentação do Coral – ver na fanpage)

SOM RUIM E TODOS FALAM === Apesar de falhas e deficiências na qualidade do som, o mestre de cerimônia Ademilson Nunes Alves (que, por sinal, é o Chefe de Gabinete da Prefeitura Regional de Perus/Anhanguera) deu início na convocação das autoridades no palco, que um a um foram se revezando no microfone sem fio. Até para preencher um pouco o espaço, as autoridades convidadas destacaram, em linhas gerais, a importância do Conselho Participativo Municipal e desejaram sucesso aos empossados.

UM PRESENTE AOS CONSELHEIROS ===  Nesta passagem das falas das autoridades, ainda foi aberto um espaço para o empresário Marcelo Smith Rhormers, diretor da Web-Aula, que adentrou ao palco, no meio de problemas de som, para  falar sem muita clareza, e com um desenho em vídeo nos telões para mostrar as vantagens de cursos técnicos à distância.  Deu a entender que esses cursos serão oferecidos aos conselheiros – o que deve ser mais uma das parcerias com as doações ao governo municipal.

AS PALAVRAS OFICIAIS === E, aproximando-se do final da cerimônia, o destaque ficou para Celso Henriques de Paula, que é o Coordenador dos Conselhos Participativos Municipal – que lembrou que “ os novos conselheiros são os olhos dos prefeitos regionais em campo, local em que de fato estão as problemáticas” —  e o Secretário Municipal de Relações Sociais, Milton Flávio Lautenschlager,  acrescentando que os “os novos conselheiros têm o poder de auxiliar a administração a atender aos anseios de seus representados. Eles são a chave de ouro de seu bairro ou distrito e devem defender os interesses e direitos do cidadão”. Mas, de um modo geral,  destacaram um novo tempo com o novo Conselho Participativo, de maior responsabilidade e que terá novidades no transcorrer do ano. Já o encerramento esteve nas palavras do Secretário de Governo, Júlio  Francisco Semeghini Neto, chamando a atenção para a importância do Conselho Participativo, suas responsabilidades e de muita importância para ajudar e indicar caminhos para o governo municipal, dando apoio às 32 prefeituras regionais.

OS PREMIADOS === Até por questões preventivas de segurança, não houve a fala de um representante dos conselheiros participativos. E seguiu para o encerramento com a entrega dos diplomas para a Conselheira Mais Idosa (Prosperina Gomes da Cruz – Itaquera/José Bonifácio – 01 voto), o Conselheiro Mais Novo (Lucas Viana Fernandes dos Santos – o Lucas Black – Itaquera – 5 votos), o Conselheiro Mais Votado (Luciano Lopes Pereira – o Belinho – Itaquera – 456 votos), a Conselheira Mais Votada (Leonor Galdino da Silva – Freguesia/Brasilândia – 218 votos) e o Conselheiro Imigrante Mais Votado (Adhemar Fuantes Terrazas – Mooca – 26 votos). Fotos dos únicos conselheiros eleitos que subiram ao palco e, de repente, o locutor informa que os demais diplomas podem ser retirados por todos os conselheiros nos corredores fora do auditório, onde estarão identificados pelas 32 prefeituras regionais.

O FIM COM GAFE === E o Coordenador dos Conselhos Participativos Municipal, Celso Henrique de Paula, é chamado para as despedidas finais. E dá por encerrada a cerimônia. Todo mundo se levanta na plateia e começa a sair do auditório.

A gafe foi cometida e tentou-se corrigí-la, mas já era tarde. Até as autoridades deixaram o palco. E ficou faltando o fechamento final com a  Escola de Samba Unidos de Vila Maria – que entra no palco com um “samba bem forte”, com ritmistas e porta-bandeira com mestre-sala. Tudo perfeito, mas “com meia dúzia de gato pingado”, que sobrou no enorme auditório vazio. Mas o pessoal não perdeu a compostura e nem o samba, até o fim.

EM BUSCA DO DIPLOMA === Enquanto isto, fora do auditório, muita gente se acotovelando para a retirada dos diplomas. E para ajuda mais a confusão, as 32 prefeituras regionais foram identificadas em papéis colados na parede, mas fora de “ordem alfabética”. Era um vem para cá e outro vai para lá, entre os mais de 450 conselheiros procurando a mesa correspondente para assinar o documento de retirada do diploma.  E depois juntar os amigos e parentes para tirar fotos e selfies segurando o documento impresso e que foram deixados espaços para escrever à mão o nome do conselheiro e o da Prefeitura Regional de sua representação.

FINAL COM CAFÉ === E teve um café, com suquinhos e alguns complementos de salgadinhos e docinhos. Alguns conselheiros receberam o tíquete grátis do estacionamento e muitos outros tiveram que pagar 40 reais para deixar o carro estacionado. Já que não tinha carro, pode desfrutar de uma linha especial de ônibus, com ar condicionado, fazendo o trajeto Metrô Tietê/Rodoviária até o Anhembi. Agora, é esperar para ver os resultados das reuniões dos Conselhos Participativos Municipal nas 32 regiões da cidade, mesmo um pouco desarticulado sem direito ao Conselho de Planejamento e Orçamento Participativos – CPOP, com menos conselheiros e com mais controle do governo, mas dentro do corrigido Biênio 2018/2019, sem falhas.

Lista dos conselheiros eleitos nas 32 prefeituras regionais  aqui.

Imigrantes eleitos  aqui

Veja a cobertura fotográfica completa  na fanpage do DiárioZonaNorte. Link: http://bit.ly/2DqVseu

 

 

 

Organicos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora