da Redação DiárioZonaNorte

=== “Uma questão de ordem!”, “Eu não concordo e isto não está no Regimento Interno”, “Os assuntos estão sendo atravessados…” e uma série de posicionamentos negativos, sem sequência, mas com muitas consequências. Uma desordem, por vezes, generalizada. Era muita gente querendo se impor aos berros e  gritos, com viés político, e nada fazendo durante as reuniões passadas do Conselho Participativo Municipal (CPM) de Santana/Tucuruvi/Mandaqui. O auditório da Prefeitura Regional, com 180 lugares, tinha sua capacidade reduzida para cerca de 30 pessoas presentes na plateia — salvo, raras exceções, quando era lotado por pessoas de movimentos sociais, trazidas por interesses.

Mudou o governo e mudaram as regras, com os CPMs mais enxutos nas 32 prefeituras regionais, caindo da faixa de 30 para somente 5 conselheiros, em todas, e um ou dois representantes dos imigrantes. Da antiga agitação e discussões polêmicas sobrou o lado tranquilo, educado e sereno da nova gestão do CPM.

Uma nova etapa === E assim nesta 2ª feira (05/03/2018), aconteceu a segunda reunião em um local sossegado, sem gritarias e balbúrdias. A prefeita regional Rosmary Corrêa abriu as portas da sala de reuniões, no terceiro andar, ao lado de seu gabinete. Nos próximos encontros – que são abertos ao público – será usado novamente o auditório maior e , se for o caso, até o anexo,  que é um pouco menor.

Na longa mesa de madeira, sentaram-se os conselheiros Ricardo Timóteo (Coordenador), Roberto Ribeiro Lobo (Secretário), Bruno Estevão, Elisabeth Dequirmandsian Mendes  e Teddy Espinoza (representante dos imigrantes) – e houve ausência da  conselheira Beatriz Wundrack de Arruda,  por motivo de viagem. Juntaram-se à mesa, como convidados, João Santo (munícipe e assessor parlamentar do vereador José Police Neto) e a equipe do DiárioZonaNorte.

O início com calma === Eram 19 horas e 15 minutos. Na maior tranquilidade, em tom baixo e bem articuladas palavras, o Coordenador Ricardo Timóteo abriu a reunião. “Queremos  unidade neste grupo. Uma sinenergia neste grupo. E depois partir para a comunidade e unir outros grupos, sempre buscando a união de todos”, disse Timóteo. Foi colocada resumidamente a pauta da reunião, entre os principais assuntos: Transferência do Fórum de Santana para o Parque da Juventude, Campo de Marte e a estrutura operacional do CPM. E foi  incluído o tema sobre interlocução com outros conselhos comunitários – Conselhos Participativos Municipais da região (Jaçanã/Tremembé, Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros, Casa Verde/Cachoeirinha/Limão; o  Conselho Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável – CADES e os Conselhos Comunitários de Segurança-CONSEGs – além de outros, como associações de bairros  — em busca de apoio e troca de informações. O coordenador solicitou o adiamento sobre a discussão do Regimento Interno do CPM-STM, por ser mais delicado e ter o prazo até 26 de abril – o que entrará na próxima reunião.

Mato alto é um “x” da questão === Na primeira intervenção da prefeita regional Rosmary Corrêa, dentro do Informes, foram esclarecimentos sobre o mato alto e a poda de árvores. “Não tem o que esconder, todo mundo está vendo, que realmente há uma necessidade urgente”, alertou. De acordo com ela,  a Prefeitura licitou novos contratos de zeladoria e a Inova  (com o contrato próximo do vencimento) não participou da nova licitação – e que nos próximos dias – dentro dos trâmites da legislação – os novos contratos entrarão em vigor.

No caso da prefeitura de Santana/Tucuruvi/Mandaqui haverá a contratação de quatro equipes de corte de mato e quatro equipes de poda de árvores. Com isto, está previsto um mutirão e depois, em junho ou julho, diminuirá para duas equipes cada, já que há menos chuvas e o mato cresce mais devagar. Acrescentou, em seguida, que está havendo uma adesão muito grande para adoção de praças. Na Praça Margarida de A. Gimenez (no final da Cruzeiro do Sul com a Conselheiro Saraiva) está em processo de adoção pelo empresário Marcos Peloso, que tem “um projeto maravilhoso naquela praça que é invadida e precisa de profunda revitalização”.

Os problemas com moradores de rua === A prefeita regional relatou um problema muito sério com moradores em situação de rua,  que invadem a Cruzeiro do Sul – ao lado do Terminal Rodoviário e seu entorno. Ali está concentrado um pessoal agressivo, que não aceita o encaminhamento para os centros de acolhimento. “Nesta manhã fizemos um mutirão na Av. Cruzeiro do Sul – inteirinha – e limpamos tudo. Passa lá agora a noite para ver, está tudo de volta”, observou Rosmary Corrêa.  Há um trabalho grande realizado por  funcionários da Prefeitura Regional, “que não aparece”, em conjunto com as assistentes sociais da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), que enfrentam a resistência da população em situação de rua,   “são pessoas  teimosas e retornam aos pontos, logo em seguida, com novas barracas”,  pontuou a prefeita regional.

Ela lembra e pede apoio da comunidade para não distribuir alimentos aos moradores de rua, “em pontos que se tornam viciados”, que acabam fazendo uma grande sujeira nas calçadas e outros locais. “As entregas são a noite e de manhã é impressionante a sujeira no local”, observa. Ela aconselha que se encaminhe esse pessoal aos Centros Temporários de Acolhimento (CTA), onde há mais recursos  com alimentação, higiene e dormitórios.

O terreno invadido na Zachi Narchi === A prefeita regional observou também que está havendo de novo a invasão do terreno – um morro – atrás do Ecoponto.  Segundo ela, é difícil para o pessoal da Prefeitura e da Guarda Civil Metropolitana remover esse pessoal – “é preciso tomar cuidado porque ali tem famílias, com idosos e crianças,  mas também o tráfico no meio de trabalhadores e gente do bem”. E, segundo ela, “a situação é delicada e não  queremos confrontos”. Lembrou que o terreno é contaminado – e desmentiu que tenham sido doados para as escolas de samba Acadêmicos do Tucuruvi e X-9 Paulistana, apesar de terem sido assinados outorgas junto à gestão anterior.

Zeladoria  === Rosmary Corrêa voltou a falar sobre o corte de mato e sujeiras nas vias dos bairros, lembrando que “é final de contrato e estamos tendo problemas”, já que atual contratada Inova não concorreu à nova licitação e “está deixando alguns serviços por fazer com  um  certo relaxamento”. “Final de contrato, até o cafezinho é frio” brincou a prefeita regional. De acordo com  ela, a esperança é a nova contratada que ainda leva um tempo no processo de licitação, mas acredita que ainda será revelada nesta primeira quinzena do mês – “e já estamos com nova verba reservada para ir logo aos serviços, assim que definir”.

O Parque do Campo de Marte já está nos planos === Um dos temas na sequência foi o Campo de Marte, que se transformará em um parque de 400 mil metros quadrados, do lado dos campos de futebol (que serão transformados em Clube da Cidade – CDC ) – após o Hospital da Aeronáutica – e Rosmary Corrêa chegou a dar alguns detalhes sobre os benefícios do parque e do Museu da Aeronáutica. Foi lembrado que ali passa um córrego e que é necessário observar esse detalhe por causa das enchentes no entorno. << Reveja  matérias completas com mapas/fotos no DiárioZonaNorte – acesse Campo de Marte deve se transformar no terceiro maior parque da cidade;  – Prefeitura e Governo Federal firmam acordo para transferência de área do Campo de Marte  e  Prefeitura detalha o Parque Campo de Marte. Aproveite e faça um passeio nele. Ver também o movimento para assegurar recursos para a Zona Norte com o Parque do Campo de Marte ( A Hora e a Vez da Zona Norte receber novos investimentos. Encontro discutiu os caminhos. >>

O Parque da Juventude para todos === Depois a prefeita regional falou sobre o Parque da Juventude, onde há pretensões de uma Base da Policia Militar e um espaço para a construção do novo Fórum de Santana – que hoje funciona na Casa Verde, em local que apresenta problemas de mobilidade e de bem estar. “Tudo indica que teremos uma Base da Policia Militar no Parque da Juventude. As conversas estão adiantadas”, disse a prefeita regional. Mas ela lembrou que não é para vigiar e dar policiamento interno, ao local. É uma base de apoio à região, de estratégia e com sua parte de gerenciamento. Quanto ao Fórum, nada está certo. Há a busca de um espaço na região, mas as negociações podem ficar fora do parque. “Mas falando a verdade, não tem dinheiro para construir o prédio”, disse a prefeita regional. << Reveja  Parque da Juventude: Fórum e PM querem espaços; na frente, grades e uma floresta desordenada”>>

Rosmary Corrêa revelou que a Guarda Civil Metropolitana também está buscando com urgência um terreno para instalar sua base. E comentou-se um terreno na Av. Braz Leme, que chegou a ser usado como estacionamento da empresa Totvs, quando de seu antigo endereço. A prefeitura acha que o terreno pertence à Prefeitura de São Paulo,  mas existe um  litígio com a Aeronáutica.

Grupos Temáticos ===  Os conselheiros entraram em acordo sobre a pré-formação dos seguintes grupos temáticos de trabalho: 01) Obras e orçamento; 02) Mobilidade e acessibilidade; 03) Esportes, Educação e Social; 04) Trabalho e Renda e  05) Saúde/Saúde alimentar e Saúde Nutricional. Na próxima reunião, o assunto voltará para discussão. Quanto às demandas de zeladoria, a prefeita regional Rosmary  Corrêa lembrou que, independente de solicitações feitas por meio de ofícios, as demandas precisam ser registradas no canal 156 (telefone, web ou via aplicativo). Desta forma, elas entram no sistema e a prefeitura regional consegue ter o seu desempenho medido. Os conselheiros seguiram as normas para encaminhamento destas demandas e serão também vigilantes no dia a dia para comunicados no mesmo esquema.

Convocação dos coordenadores ===  A próxima reunião do CPM Santana/Tucuruvi /Mandaqui será no dia 02 de abril  (sempre na primeira 2ª feira do mês). E para os próximos encontros, no decorrer do ano, deverá ser convocado o Coordenador de Obras e, na sequência, poderão ser convidados os demais, como os de Esportes, Habitação e Cultura. Nestes encontros, os coordenadores  poderão expor  a atuação do ano passado e falar sobre  o planejamento e o andamento de seus setores para este ano.

Depois de quase duas horas de reunião, foi encerrada, com um ambiente saudável. E com tempo de conversas e acertos finais. Tempo até para uma foto em conjunto com os participantes. Mas houve o esclarecimento que as reuniões do Conselho Participativo Municipal-CPM são abertas à população, que pode assistir, ver a atuação de seus membros e sugerir mudanças — além das demandas. A próxima reunião já está programada para um dos auditórios do térreo da Prefeitura Regional (Av. Tucuruvi, 808).


 

sicredi_institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora