Mudou o cozinheiro, mas a receita continua a mesma, insossa e sem graça. E, de forma intempestiva,  o cozinheiro trocou  todas as panelas da cozinha sem consultar o dono da casa. É, mais ou menos, neste  estilo que o pessoal da São Paulo Transportes (SP Trans) agiu no sábado passado (27/05/2017) alterando algumas linhas que circulam  nos bairros da Zona Norte/Nordeste. Não houve comunicação com antecedência e vários munícipes reclamaram diretamente ao prefeito regional da Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros, Dário José Barreto, aproveitando inclusive reunião do Conselho Comunitário de Segurança-CONSEG de Vila Maria.

PORTAS ABERTAS === Em uma atitude inusitada e democrática, já que nas gestões anteriores os subprefeitos não se interessavam pelo assunto, o prefeito regional tomou a frente da questão e solicitou uma reunião especial. E nesta atitude elogiável, abrindo o auditório da Prefeitura Regional aos munícipes, cerca de 80 pessoas estiveram na reunião desta 3ª feira (30/05/2017), apreensivos e nervosos com atitude de um  órgão público em medidas sem consulta à população.

Lideranças preocupadas ===  Várias lideranças da região estavam presentes, acompanhando o assunto: Otacílio Montagner (vice-presidente do Conseg de Vila Maria), Nelson Ferreira Filho (Conselheiro da Saúde), Adria Giaccheri  (Rotary Vila Guilherme), Claudia Gomes (equipe da deputada estadual Clélia Gomes),  William Silva (coordenador do Conselho Participativo Municipal Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros),  Rozimá Araújo (CADES Vila Maria e Associação Paulista dos Gestores Ambientais)  e Cristina Argenta  (Conselheira Fiscal da ONG Amigos Solidários do Movimento Popular Vila Maria e Região ) e Roberto Mota (Diretor do Conseg Vila Maria e diretor do Grupo de Escotismo Macuxi).

Também acompanhavam a reunião, Evandro Gilio (chefe de gabinete), Waldir Mazzei Carvalho (assessor jurídico), Nelson Marques (coordenador de esportes),  Carlos Alberto Faria (assessor de gabinete) e Rafael Leitão (assessor de comunicação) – todos da Prefeitura Regional de Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros.

SP TRANS JUSTIFICA === Havia um ar de tensão, quando o prefeito regional Dário José Barreto fez a abertura da reunião explicando a situação que muitos moradores se depararam abruptamente com as modificações nos seus dia a dia. Agradecendo a presença dos representantes da São Paulo Transportes – SP Trans, o prefeito regional passou a palavra a Rodrigo S. Alencar, Superintendente de Planejamento (*), que em pé — e auxiliado com telas  do Power point mostrando as relações das linhas de ônibus –, começou a relatar os números das linhas, nomes, itinerários e as razões das mudanças. De início, referiu-se às “antigas reivindicações da população local que se sentia prejudicada”. E deu as explicações necessárias pelas razões técnicas e operacionais. (Observação* – acompanhado dos funcionários da Gerência de Serviços, Vanderley Pezzotta; e Adelbener Ferreira dos Santos e Christina Borges, do Depto. Serviços Comunitários).  O representante da Sambaíba, Antônio Almeida,  estava no auditório e não se manifestou em momento algum, mesmo quando a empresa foi citada.

O POVO FALA === Com ar sisudo, o representante da SP Trans demonstrou que não veio para muita conversa , como que prevendo  um contra-ataque, a qualquer momento. E o microfone foi aberto para a plateia, com o tempo de três minutos. E já de início houve uma pergunta fatal: com a mudança da linha 2174 (Jardim Guançã) como o usuário chega à Praça da Sé? E a plateia respondeu “não chega!”, aplaudindo a pergunta. Mas a alternativa de se pegar o metrô foi também lembrado do gasto extra para o usuário – e as dificuldades  quando de uma greve dos metroviários. Depois, foi um desfile de mais 16 munícipes com as perguntas, mostrando as profundas mudanças no  deslocamentos diários  destas pessoas. “Como eu faço, saio para trabalhar às 5 da manhã e agora não posso chegar na Praça da Sé? Tenho que andar vários quarteirões”, perguntou outra moradora. E assim aconteceu com vários questionamentos sobre os Itinerários diferentes e com dificuldades para dar sequência com outras conduções – e com gastos extras.

“QUEM NÃO SE COMUNICA, SE TRUMBICA”== O representante da SP Trans ficou sentado à frente do auditório, vez ou outra respondia alguma coisa, mas manteve-se com o semblante fechado e preocupado. E foi lembrado que a população não foi ouvida  sobre as mudanças que ocorreriam, sem nenhuma comunicação. “Mas colocamos a informação no Jornal do Ônibus (informativo semanal da SP Trans afixados no interior dos veículos — com antecedência mínima de cinco dias – o que não ocorreu), panfletos e na página da internet da companhia!”, justificou o representante da SP Trans. E muitos na plateia disseram ignorar panfletos e não viram comunicado dentro de ônibus, mais as dificuldades para acessar a internet. (Nota da Redação: na página da SP Trans, as duas últimas edições do “Jornal do Ônibus” — de 03 a 15/05 e 16 a 31/05 — não fazem referências às mudanças nas linhas; outras informações dependem de pesquisas no site – onde há uma newsletter “SP Trans-Informa”).

EXEMPLOS DO PASSADO === Mais uma vez, ficou clara atitude e procedimentos autoritários em tomadas de decisões, sem consultar quem mais depende do serviço. Até a gestão municipal anterior sempre houve esse tipo de procedimento da SP Trans e até da Companhia de Engenharia de Trânsito (CET), ambos comandados pela Secretaria Municipal de Transportes. É um reflexo da velha prática, até com consequências onerosas para os custos do município e outros interesses empresarias. E impõe procedimentos e mudanças que o “interessado deve correr atrás e buscar as informações” e não se discute antes de toda a operação.

SURPRESAS E VERDADES === A plateia composta de pessoas de idade, trabalhadores que dependem da condução e de deslocamentos na região (hospitais, UBS, médicos, escolas, creches etc) foram surpreendidos pelas mudanças. Nota-se que a região da Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros e arredores (como Parque Novo Mundo), além do intenso trânsito,  é carente em transportes há muitos anos, nem mesmo tem uma linha de metrô  – que ficaram somente nas promessas. Diante destas dificuldades, um morador (que passou na escolinha para pegar sua filha, após o trabalho no centro) deu importantes explicações sobre os bastidores e o funcionamento dos transportes na cidade. Juverci de Melo foi aplaudido e a plateia exigiu que ele ficasse bem além dos três minutos para as explicações. Ele é um verdadeiro busólogo e acompanha há muitos anos o assunto. E deu uma aula de procedimentos, detalhes internos e operacionais — inclusive citando a Sambaíba – “que não tem interesse em uma linha que não dê retorno financeiro”. Esse munícipe preocupou os representantes da SP Trans, que até lembraram que ele tinha ido longe demais, ultrapassado o tempo de três minutos.

“MEA CULPA” === Depois de duas horas de muitas explicações e fortes reclamações da plateia, a reunião chegou ao fim. O superintendente de Planejamento da SP Trans, Rodrigo S. Alencar, reconheceu que houve falha na comunicação da empresa. Ele pediu desculpas pelo “reconhecido erro” e informou que tomaria providências à respeito, com reuniões internas para estudar soluções para as linhas que sofreram alterações. Até ficou de estudar outros itinerários solicitados por usuários de serviços na região – inclusive em uma linha beneficiando a UBS da Vila Ede.

O ATÉ BREVE === “A SP Trans dará retorno em uma nova reunião, com divulgação através da Prefeitura Regional e estudaremos todas as reivindicações apresentadas”, concluiu o representante da SP Trans. Cobrado para um retorno rápido, ele disse que pode levar no máximo 15 dias, mas que tentará abreviar este período diante da situação de emergência para a população.

Dúvidas/Reclamações:

Site da SP Trans: www.sptrans.com.br

Comunidade/Usuários: 3396.6882 / 6890 – comunidade@sptrans.com.br

As linhas que foram substituídas:

(*) 2175/10 Jd. Guancã – Pça. da Sé

(*) 1156/31 Vl. Sabrina – Pça. Do Correio

(*) 2171/10 Vl. Sabrina – Pq. D. Pedro II

(*) 2204/10 Jd. Guancã – Pça. da Sé

De acordo com a SPTrans, as alternativas para os usuários das linhas que serão desativadas são as seguintes:

– Para quem usa a 2175/10:

  • 213E/10 Parque Edu Chaves – Metrô Belém (nova linha)
  • 2182/10 Jardim Brasil – Praça do Correio
  • 2161/10 Parque Edu Chaves – Praça do Correio
  • 272N/10 Parque Novo Mundo – Parque Dom Pedro II
  • 278A/10 Metrô Santana – Penha

– Para quem usa as linhas 1156/31, 2171/10 e 2204/10:

2033/10 Jardim Guançã – Term. Rodoviário do Tietê (nova linha)

Abaixo as novas linhas:

213E/10 PQ. Edú Chaves – Metrô Belém

Ponto Inicial: Praça Comandante Eduardo de Oliveira.
Ponto Final: Rua Toledo Barbosa.

Ida: Pça. Cte. Eduardo de Oliveira, Rua Liliental, Rua Basílio Alves Morango, Pça. Arlindo Luz, Rua Basílio Alves Morango, Av. Jardim Japão, Av. João Simão de Castro, Pça. Lourenço Bellis, Av. João Simão de Castro, Acesso e Rodovia Fernão Dias, Acesso e Rodovia Presidente Dutra, Avenida Bandeirantes do Sul, Rua Carmópolis de Minas, Avenida Morvan Dias de Figueiredo, Acesso e Ponte Pres. Jânio Quadros, Rua Juvenal Gomes Coimbra, Avenida Ariston de Azevedo, Rua Catumbi, Praça General Humberto de Sousa Melo, Rua Marcos Arruda, Avenida Celso Garcia, Rua Pimenta Bueno, Rua Herval, Rua Fernandes Vieira, Rua Toledo Barbosa.

Volta: Rua Toledo Barbosa, Avenida Álvaro Ramos, Rua Herval, Rua Eloi Siqueira, Rua Cajuru, Rua Belém, Rua Martin Afonso, Avenida Celso Garcia, Rua Ulisses Cruz, Avenida Salim Farah Maluf, Ponte Tatuapé, Rua Carlos Jose Michelon, Rua Coronel Guilherme Rocha, Rua Ciro Soares de Almeida, Avenida Barra do Rio Azul, Acesso e Rodovia Fernão Dias, Rua Brasileira, Ponte sobre a Rodovia Fernão Dias, Avenida João Simão de Castro, Praça Lourenço Bellis, Avenida João Simão de Castro, Avenida Jardim Japão, Rua Basílio Alves Morango, Praça Arlindo Luz, Rua Basílio Alves Morango, Rua Liliental e Praça Comandante Eduardo de Oliveira.

 2033/10 Jd. Guancã – Term. Rodoviário do Tietê

Ponto Inicial: Praça Carlos Koseritz.

Sentido único: Pça. Carlos Koseritz, Rua Alonso Peres, Rua Carlos Calvo, Avenida Manoel Antonio Gonçalves, Rua dos Gauleses, Avenida Tenente José Jerômino de Mesquita, Alameda 3º Sgto. Alcides de Oliveira, Avenida Conceição, Avenida Manoel Antonio Gonçalves, retorno e Avenida das Cerejeiras, Praça Tókio, Praça Tem Shi, Rua Yokorama, Praça Yedo, Avenida PE. Sabóia de Medeiros, Rua Estavão de Melo, Praça Presidente Jânio da Silva Quadros (Cianorte), Rua Joaquim Rodrigues da Costa, Av. Alberto Byington, Praça da Alegria, Rua Nagazaki, Rua Rua Canhoneira Mearim, Rua Osaka, Rua Gastão Madeira, Rua Porangatu, Praça Cosmorama, Avenida Alberto Byington, Rua Edson de Melo, Rua Mussumes, Avenida das Cerejeiras, Rua Araritaguaba, Avenida Guilherme Cotching, Rua Alcântara, Rua Eugênio de Freitas, Avenida Guilherme, Rua João Batista Ventura, Rua Dona Santa Veloso, Rua da Coroa, Avenida Morvan Dias de Figueiredo, Acesso e Rua Eudoro Lemos, Avenida Cruzeiro do Sul, Av. Zaki Narchi, Avenida Otto Baumgart, Rua Jose Bernardo Pinto, Avenida Guilherme, Rua Eugênio de Freitas, Rua Alcântara, Rua Guaranésia, Rua Antônio Fonseca, Avenida Guilherme Cotching, Rua Araritguaba, Avenida das Cerejeiras, Rua Mussumes, Rua Edson de Mello, Avenida Alberto Bayington, Praça Cosmorama, Rua Porangatu, Rua Gastão Madeira, Rua Osaka, Rua Canhoneira Mearim, Rua Nagazaki, Praça da Alegria, Avenida Alberto Byington, Rua Joaquim Melo, Avenida Padre Saboia de Medeiros, Praça Yedo, Rua Yokorama, Praça Tem Shi, Praça Tókio, Avenidas das Cerejeiras, Avenida da Conceição, Alameda Terceiro Sargento Alcides de Oliveira, Avenida Jose Jerônimo de Mesquita, Rua dos Gauleses, Avenida Manoel Antônio Gonçalves, Avenida do Poeta, Rua Carlos Calvo, Rua Alonso Peres, Praça Carlos Koseritz.

 OPÇÕES

Além das novas linhas, a seguir duas opções à 2175/10 que terão seus itinerários alterados para atender a região do Pari:

272N/10 PQ. Novo Mundo – PQ. D. Pedro II.

Sentido Único: Alameda subtenente Francisco Hierro, prosseguindo normal até a Avenida Rangel Pestana, Largo da Concórdia, Rua Miller, Rua Oriente, Rua Maria Joaquina, Rua Bresser, Rua Almirante Barroso, Rua João Boemer, Rua Santa Rita, Rua Paulo Andrighetti, Praça General Humberto de Souza Mello, Rua Jequitinhonha, prosseguindo normal até a Alameda Subtenente Francisco Hierro.

 278A/10 Metrô Santana – Penha

Ida: Normal até a Avenida Pres. Humberto Castelo Branco, Rua Joaquim Carlos, Rua Silva Teles, Rua Bresser, Avenida Celso Garcia, prosseguindo normal.
Volta: Normal a Rua Catumbi, Rua Cachoeira, Rua Santa Rita, Avenida Pedroso da Silveira, Ponte da Vila Guilherme, Acesso, Avenida Morvan Dias de Figueiredo, prosseguindo normal.

 

aniversario bergamini

1 COMENTÁRIO

  1. Sobrecarregou as linhas que restaram. Gastava 1 hora do Jardim Japão até o centro, agora gasto mais de 1 hora e meia em ônibus lotados.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here