da Redação DiárioZonaNorte 

=== <<Em primeira mão >> == Por todos os bairros e nos municípios próximos de São Paulo, uma correria da população para vacinação contra a febre amarela. Filas enormes, que davam voltas em quarteirões, gente madrugando às 3 horas da manhã nas portas das Unidades Básicas de Saúde (UBS) para ser atendido depois de seis horas na fila e o noticiário em rádio e televisão enfocando o tempo todo o mesmo assunto da febre amarela.

“A Organização Mundial da Saúde classifica todo o Estado de São Paulo em estado de risco” foi a notícia desta 3ª feira (16/01/2018), mas por trás das informações oficiais, muitos comentários circularam nas mídias sociais e nos grupos de WhatsApp. Mais tarde, alguns comentários são confirmados como mortes extra-oficiais.

Os números oficiais === Até o momento, a Secretaria de Estado da Saúde confirma oficialmente 16 casos de febre amarela e 11 mortes. As confirmações são oficializadas, após  o laudo positivo, emitido  pelo  Instituto Adolfo Lutz.  O processo leva em torno de 10 a 15 dias.   E o balanço da semana é divulgado somente às 6ª. feiras, através da Secretaria de Estado da Saúde.

Casos fora da estatística oficial ====  Mas nesta 3ª feira as informações davam conta de mais três mortes. Na Zona Norte, a morte de Thiago Del Ciampo, de 27 anos, que morava próximo de Mairiporã, mas cuidava do Bar do Zé – que era de seu pai –, localizado na Rua São Cleto, no Jardim Denise/Tremembé – próximo do Horto Florestal – que, por sinal, foi reaberto há uma semana ( 4ª feira — 10/01/2018) com muita gente frequentando sem ter tomado a vacina na validade de 10 dias para efeito. O velório de Thiago foi realizado à noite e o enterro ocorrendo nesta 4ª feira, às 10 horas, no Cemitério Parque dos Pinheiros (Vila Zilda), na Av. Ushikichi Kamiya, , na Zona Norte.

A segunda morte extra-oficial sem confirmação da febre amarela foi da jovem Mariana N. Basaglio, de 30 anos.   E uma terceira pessoa, teria ido a óbito em decorrência da febre amarela,  em Itaquaquecetuba. Sem muitos detalhes, amigos e parentes deram confirmações nas mensagens das mídias sociais.

Segundo fontes, um casal de macacos bugio morreu no domingo passado, por volta das 15hs30, logo na entrada principal do Horto Florestal, mesmo com o movimento de frequentadores. Os macacos foram levados para exames no Centro de Manejo e Conservação de Animais Silvestres-CeMaCas, no Parque Anhanguera, e no Instituto Adolfo Lutz.  Mas a notícia não foi divulgada, por depender do laudo médico oficial.

Chegou agora às 22h15, nesta 3ª feira (16/01/2018),  a informação de mais uma vítima com diagnóstico extra-oficial de febre amarela. É um morador do Jardim Fontalis, na Zona Norte, de nome Willer Martins da Silva Gerino, internado no Hospital das Clínicas. Ele aguarda o transplante de fígado e necessita de doações de sangue – conforme banner ao lado. Ajude em um dos postos indicados e informe o nome do paciente Willer.

 

 

 

sicredi_institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora