da Redação DiárioZonaNorte ==

A Secretaria Municipal da Saúde divulgou, nesta 6ª feira  (27/10/2017), um balanço das ações de imunização da febre amarela na Zona Norte da cidade de São Paulo, durante uma entrevista coletiva  na sede da pasta.

Participaram da entrevista o secretário municipal  Wilson Pollara, acompanhado de sua equipe técnica:     José Mauro Del Roio – coordenador de Saúde Norte; Maria Ligia Nerges – coordenadora da Imunização do município de São Paulo; Vivian Ait – Coordenadora do Núcleo de doenças e outras Zoonoses;  Rosane Corrêa – diretora de divisão de Vigilância de Zoonoses;   Eduardo de Masi – coordenador do Programa Municipal de Vigilância  e Controle de Arboviroses; Cristina Shimabukiro – coordenadora de Vigilância em Saúde e Juliana Summa – diretora de divisão de Fauna Silvestre da SVMA.

Corredor Ecológico ===   Em fevereiro, um macaco foi encontrado morto com o vírus da febre amarela em São Roque.  Em março, Campinas registrou a morte de dois macacos saguis contaminados com o vírus da febre amarela.  Na área de Jundiaí foram 41 macacos infectados com o vírus.

Todos esses locais  fazem parte de uma espécie de “corredor ecológico” – onde a área de mata é contínua – permitindo o livre  trânsito da fauna – e estão interligados com o Pico do Jaraguá, Horto Florestal e Parque da Cantareira e por sua vez, aos municípios de  Guarulhos e Mairiporã.

Fechamento de Parques === O fechamento de 15 parques na cidade de São Paulo (ver aqui)  é preventivo e faz parte de um protocolo do Ministério da Saúde,  que realiza a vigilância de epizootias (doenças que atacam animais) desde 1999, com o objetivo de antecipar a ocorrência de doenças.  Assim é possível fazer a intervenção oportuna para evitar casos humanos,  por meio da vacinação das pessoas e também evitar a urbanização da doença por meio do controle de vetores nas cidades.

Parque Anhanguera ==   Agentes da Superintendência de Controle de Endemias (SUCEN), realizaram nesta 6ª feira (27/10) uma varredura no Parque Anhanguera, a procura de focos de mosquitos Haemagogus e Sabethes.  No local, foram encontrados dois macacos mortos, cujo os exames laboratoriais deram positivo para febre amarela.

Macacos não transmitem o vírus === Os  macacos não transmitem a febre amarela silvestre  e são apenas hospedeiros do vírus transmitido pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes,  encontrados na zona de mata e que costumam circular em copas de árvores, local de repouso preferido dos macacos.    A morte de um primata infectado é um alerta para os humanos, indicando a existência do vírus no local.

A  Divisão de Fauna (DEPAVE-3) da Secretaria do Verde e Meio Ambiente (SVMA), responsável pela saúde dos animais silvestres do município, intensificou o monitoramento dos primatas.  Juliana Summa (diretora do DEPAVE-3),  lembra que matar qualquer animal silvestre é  crime previsto na  Lei n.  9605 de 1998. E que denúncias de maus tratos ou pedidos de retirada de animais silvestres encontrados mortos podem ser feitas pelos pelos telefones 3885-6669 ou 153 (Guarda Civil Ambiental)

Mais postos de vacinação ===  Hoje, 37 Unidades Básicas de Saúde (UBS)   tem a vacina disponível. Nos próximos  30 dias  a vacinação será estendida,  gradualmente,  para todas as 91 UBS da Zona Norte.  São aplicadas  60 mil doses diariamente e a  Secretaria da Saúde planeja vacinar nos próximos dois meses 95% dos moradores da Zona Norte de São Paulo – cerca de 2 milhões de pessoas.  Até a última  5ª feira (26/10), 150 mil pessoas foram vacinadas nos distritos de Anhanguera, Jaraguá,  Brasilândia, Cachoeirinha, Mandaqui, Tremembé, Perus e Jaçanã.    A vacinação no Distrito  Anhanguera,  começou preventivamente no dia 11 de setembro.  Na região, 38.684 pessoas foram vacinadas.

De acordo com Wilson Pollara,  o estado de São Paulo já conta com uma reserva de mais de 3 milhões de doses e mantém frequente diálogo com o governo federal para caso seja necessário um reforço.  O coordenador Regional  de Saúde Norte, Dr José Mauro Del Roio Correa, lembrou que “é importante orientar para a população saber se deve ou não tomar a vacina”.

Foco da   Vacinação === O foco da vacinação são as pessoas que vivem ou trabalham na distância de 500 metros dos locais interditados (distância máxima que os mosquitos Haemagogus  e  Sabethes percorrem fora da mata), formando um cinturão de proteção contra a febre amarela na área urbana.   No ambiente urbano, é o  mosquito  Aedes aegypti (o da dengue),  que transmite a doença, ao picar uma pessoa com a doença.

Fumacê ===  A  Supervisões de Vigilância em Saúde (Suvis)   Jaçanã/Tremembé  iniciou o bloqueio de criadouros visitando os moradores da região do Horto Florestal, casa a casa, para orientar a população, identificar e eliminar possíveis criadouros do mosquito Aedes Aegypti  Foi realizada a  nebulização de aproximadamente 3.700 imóveis em uma área com população estimada em 9.361 pessoas.  Essas ações também foram iniciadas nos imóveis do entorno do Parque Anhanguera.  Os agentes da SUVIS estão em atuação diariamente e as visitas para eliminação de criadouros

Guarulhos ===  Os bairros Parque Continental e Cabuçu contornam o Parque da Cantareira em Guarulhos e têm 120 mil moradores.  A entrada do Parque da Cantareira – na área de Guarulhos também está proibida. Os estoques de vacina da cidade possuem apenas  6.500 doses da vacina destinadas para viajantes em áreas de risco. A secretária municipal de saúde de Guarulhos, Graciane Mechenas, aguarda a resposta de uma solicitação formal  ao secretário estadual David Uip de doses da vacina para uma imunização emergencial para aquela população.  De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde,em um primeiro momento, Guarulhos receberá um lote de 50 mil doses.

Mairiporã ===  Dois macacos foram encontrados mortos  nos bairros Alpes da Cantareira e Gleba-II na Serra da Cantareira, no trecho de Mairiporã.   Os macacos foram recolhidos pela Defesa Civil de Mairiporã e com a Unidade Florestal da Guarda Civil Municipal (GCM) de São Paulo para análise.  Há ainda registro de um outro caso, na mesma região, totalizando três macacos.  A  Prefeitura de Mairiporã já iniciou uma  campanha emergencial de vacinação contra febre amarela e tem como meta,  imunizar 80 mil pessoas.  Já foram beneficiadas  até agora,  30 mil pessoas, segundo a Prefeitura.

Natal 2017 CN

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here