Equipes  da Sabesp flagraram 6ª feira  (12/05/2017)  um  furto  de  água  no  barracão  da  Império de Casa Verde, escola tricampeã  do  Carnaval  de  São  Paulo  –  a última delas no ano passado. Durante  a  Operação Caça-Fraude realizada em parceria com a Secretaria de  Segurança Pública, técnicos confirmaram que o imóvel consumia água através de uma ligação irregular sem hidrômetro da Sabesp.

O   “gato”  também  abastecia  oito  residências  vizinhas  ao  galpão.  A  estimativa  é  que  tenham  sido  furtados  1 milhão de litros de água nos  últimos  12 meses. A quantia seria suficiente para abastecer uma cidade de  8   mil   habitantes  por  um  dia.  Um  funcionário  do  barracão  e  uma  representante   dos  moradores  vizinhos  foram  detidos  em  flagrante  e  encaminhados  ao  13º  DP  (Casa  Verde)  para  o  registro  de boletim de  ocorrência.  A  escola  de  samba  terá  de  pagar pelo volume de água que
desviou.

Esse  é  o segundo flagrante de furto de água na Império de Casa Verde. Em  agosto  de  2014,  durante  a  pior  seca  da  história  de  São Paulo, um representante  da  escola  de  samba  foi  preso  por fraudar a medição de  consumo de água na quadra principal da agremiação.

Segundo o comunicado da Sabesp, a  fraude  prejudica toda a população. Quem comete o crime não se preocupa  com  o  desperdício,  pois acredita que não irá pagar pelo alto consumo.É  comum   entre   fraudadores  deixar  torneiras  abertas  e  não  consertar  vazamentos. Em casos de irregularidade, os proprietários ou representantes  dos  imóveis  são  convocados para prestar esclarecimentos para a polícia,  com  respectiva abertura de inquérito para investigar os responsáveis pelo  furto de água. Furto é crime tipificado no Artigo 155 do Código Penal, que  prevê de um a quatro anos de reclusão, pena que sobe para até oito anos de cadeia  caso  haja  qualificação  – como quando há participação de duas ou mais pessoas ou destruição de equipamentos.

 Para  identificar  esse tipo de crime, a Sabesp trabalha com as equipes de  caça-fraude,  que acompanham o consumo e vistoriam os imóveis. Além disso,  conta  com  a  colaboração dos próprios moradores, que podem relatar casos  suspeitos  pela  Central  de  Atendimento  (195)  ou  pelo Disque-Denúncia  (telefone  181).  A chamada é gratuita e não exige a identificação de quem  telefona.  Somente  em  2016,  foram  detectadas mais de 25 mil fraudes na  Grande  São  Paulo,  com  estimativa  de  3,8  bilhões  de  litros de água  furtados. << Com apoio de informações/fonte: Ass.Comunicação da Sabesp >>

aniversario bergamini

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here