da Redação DiárioZonaNorte

Pelo menos uma vez você viu ou foi marcado em um post intitulado “Alerta !!!  Baton causa câncer na boca”. A mensagem, que  circula tanto no Facebook como no WhatsApp,  tem como ilustração a boca de uma mulher com vários tumores  cancerígenos, supostamente causados pelo uso de baton com altas quantidades de chumbo.

O Chumbo é um metal pesado altamente tóxico e é uma impureza encontrada nos pigmentos dos cosméticos (batons, tinturas, maquiagens, etc). Com o tempo, ele se acumula e a dúvida que surge é se a aplicação frequente e  diária de batons que contenham chumbo pode representar a exposição a níveis significativos da substância e, consequentemente,  causar risco à saúde

As marcas testadas === O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia – Inmetro, por meio de sua Ouvidoria, recebeu vários questionamentos sobre a veracidade da informação e realizou uma avaliação de 15 marcas de  batons disponíveis no mercado brasileiro.  Diferentes cores, tipos e procedência:   Avon Ultra Color; Contém 1g Make-up; Dailus Pop Art; Jasmyne; MAC Matte Lipstick; Maybelline Colorsensational; Natura Faces; O Boticário Make B; Oceane Ale de Souza; Payot Colors Up; Quem disse, Berenice?; Revlon Colorburst; Sephora; Tracta HD; e Vult Make Up.

No teste, o Inmetro verificou se as marcas  cumprem os critérios estabelecidos na legislação para a concentração de chumbo e as questões de saúde para o consumidor.

Todos foram aprovados ===  A boa notícia é que, o teor de chumbo das amostras analisadas estava abaixo dos valores recomendados pela Anvisa, o que é considerado adequado e segue uma tendência mundial. Os resultados demonstram que a tendência dos batons comercializados no Brasil é de possuírem um nível máximo de chumbo menor que 5 mg/kg e que a maioria possui um teor máximo de 1 mg/kg. Este resultado é consistente com outros estudos realizados em outros países, como Estados Unidos e Japão.

O teste teve sua metodologia previamente discutida com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec) e foi realizado  em dois laboratórios: no Setor de Laboratório de Análise Inorgânica (Labin) do Inmetro e  no Laboratório de Alimentos – Setor de Elementos Inorgânicos do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde – INCQS/Fiocruz, laboratório de referência da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para ensaios em cosméticos, localizado no Rio de Janeiro.

Os boatos ====    A notícia falsa – o chamado “hoax” (boato) – não é novidade na internet. As “fake news” circularam no WhatsApp, no Facebook e em blogs com o objetivo de propagar boatos pela internet de forma que a informação distorcida chegue ao maior número possível de pessoas.  Ao clicar na matéria falsa, o internauta é direcionado para sites muitas vezes maliciosos (que espalham virus para roubo de informações bancárias e sequestro de dados) ou sites que são remunerados por visualização em sua publicidade.

Ao adquirir um produto, procure pela certificação do Inmetro ou Anvisa, garantia de que o produto foi analisado e liberado para consumo.   Cuidado com produtos contrabandeados, pois muitas vezes são produtos piratas. 

 

CN Institucional

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora