da Redação DiárioZonaNorte

Pelo menos uma vez você viu ou foi marcado em um post intitulado “Alerta !!!  Baton causa câncer na boca”. A mensagem, que  circula tanto no Facebook como no WhatsApp,  tem como ilustração a boca de uma mulher com vários tumores  cancerígenos, supostamente causados pelo uso de baton com altas quantidades de chumbo.

O Chumbo é um metal pesado altamente tóxico e é uma impureza encontrada nos pigmentos dos cosméticos (batons, tinturas, maquiagens, etc). Com o tempo, ele se acumula e a dúvida que surge é se a aplicação frequente e  diária de batons que contenham chumbo pode representar a exposição a níveis significativos da substância e, consequentemente,  causar risco à saúde

As marcas testadas === O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia – Inmetro, por meio de sua Ouvidoria, recebeu vários questionamentos sobre a veracidade da informação e realizou uma avaliação de 15 marcas de  batons disponíveis no mercado brasileiro.  Diferentes cores, tipos e procedência:   Avon Ultra Color; Contém 1g Make-up; Dailus Pop Art; Jasmyne; MAC Matte Lipstick; Maybelline Colorsensational; Natura Faces; O Boticário Make B; Oceane Ale de Souza; Payot Colors Up; Quem disse, Berenice?; Revlon Colorburst; Sephora; Tracta HD; e Vult Make Up.

No teste, o Inmetro verificou se as marcas  cumprem os critérios estabelecidos na legislação para a concentração de chumbo e as questões de saúde para o consumidor.

Todos foram aprovados ===  A boa notícia é que, o teor de chumbo das amostras analisadas estava abaixo dos valores recomendados pela Anvisa, o que é considerado adequado e segue uma tendência mundial. Os resultados demonstram que a tendência dos batons comercializados no Brasil é de possuírem um nível máximo de chumbo menor que 5 mg/kg e que a maioria possui um teor máximo de 1 mg/kg. Este resultado é consistente com outros estudos realizados em outros países, como Estados Unidos e Japão.

O teste teve sua metodologia previamente discutida com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec) e foi realizado  em dois laboratórios: no Setor de Laboratório de Análise Inorgânica (Labin) do Inmetro e  no Laboratório de Alimentos – Setor de Elementos Inorgânicos do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde – INCQS/Fiocruz, laboratório de referência da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para ensaios em cosméticos, localizado no Rio de Janeiro.

Os boatos ====    A notícia falsa – o chamado “hoax” (boato) – não é novidade na internet. As “fake news” circularam no WhatsApp, no Facebook e em blogs com o objetivo de propagar boatos pela internet de forma que a informação distorcida chegue ao maior número possível de pessoas.  Ao clicar na matéria falsa, o internauta é direcionado para sites muitas vezes maliciosos (que espalham virus para roubo de informações bancárias e sequestro de dados) ou sites que são remunerados por visualização em sua publicidade.

Ao adquirir um produto, procure pela certificação do Inmetro ou Anvisa, garantia de que o produto foi analisado e liberado para consumo.   Cuidado com produtos contrabandeados, pois muitas vezes são produtos piratas. 

 

Organicos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora