da Redação DiárioZonaNorte ===

A empadinha é uma verdadeira instituição nacional.  Dourada, com recheios  cremosos e uma massa que derrete na boca,  ela é irresistível.   E acredite,  achar uma boa empada não é coisa para amadores.    No firme propósito de evitar que você caia em uma roubada, o  DiárioZonaNorte  se lançou à agradável  tarefa de encontrar a empada ideal.

O roteiro === Apresentamos aqui, nossas impressões sobre as empadas de sete locais diferentes. Dois na Zona Norte (Ofner e Café do Centro Espírita Ismael), um na Zona Leste (Padaria Lisboa), três  na região central da cidade de São Paulo (Casa Godinho, Empadaria da Vovó e Café Girondino)   e uma na cidade de  Cruzeiro (da chefe banqueteira Lúcia Batista).

Sobre as empadas ruins, não vamos nos dar ao trabalho de comentar. E olhe, foram muitas….  De locais badalados, franquias ditas especializadas…. Massas que deixavam um resquício de gordura na boca,  mal assadas,  molengas…. encruadas…. mal recheadas. Um verdadeiro filme de horror, com direito a azia e envelopes de antiácido.   Aqui, falaremos só das melhores.    Ah, os preços sempre variam de acordo com  os recheios – ficando entre R$ 8,00 e R$ 10,00 a unidade (exceto as de  Lúcia Batista, que são preparadas por encomenda).

Pagamos nossa  conta ===   Lembramos que a equipe do DiárioZonaNorte paga pelo que consome e faz as visitas de forma anônima. E cada endereço foi visitado pelo menos três vezes, em datas e horários diferentes. Desta forma, checamos se a qualidade das empadas provadas é uma constante.

A origem ===  De acordo com alguns  historiadores,  ela teve origem nos  pastelões portugueses  de influência medieval,  que consistiam em grandes tortas salgadas, com recheios diversos e que saciavam a fome dos  católicos, nos dias de abstinência do consumo de carne.  Em tamanho pequeno, recebiam o nome de “empadas de caixa”.

Outra corrente de historiadores, afirma que o salgado é francês e  nasceu das experimentações de um padeiro francês, que combinou  farinha de trigo e manteiga e chegou a uma farofa úmida.  Como não conseguiu dar forma na massa que por sua delicadeza desmontava, usou pequenas formas onde moldou a mistura. Para recheá-las, usou um delicado refogado de frango desfiado e para completar, fez com a massa, uma espécie de tampa.

O resultado ficou fantástico.  Uma massa macia e com um sabor  levemente amanteigada e que se desmanchava na boca.  com a maciez e o sabor da massa, levemente amanteigada e que se desmanchava na boca.  O recheio, ficava extremamente cremoso já que a tampa do salgado funcionava como uma espécie de retentor de umidade.

Dois tipos de massa ===  A essa massa, deu-se o nome de  Paté Brisée (pronuncia-se patê brizê), que em francês significa massa quebradiça e a “tortinha” foi chamada de empada, que é uma redução da palavra empanada, do latim Panis, que significa pão. No Brasil, a Paté Brisée recebeu o nome de  “massa podre”.   Da Itália, temos outra massa clássica –  a Massa Flora. Ela também desmancha na boca e além da farinha e da manteiga  usada na francesa Paté Brisée, leva  ovos.   Mais fácil de modelar, ela é mais sequinha e tem  uma  certa crocância no resultado final.

Zona Norte

Ofner  ===    A empada da Ofner leva  massa flora.  Dourada e levemente crocante na medida certa ,  a de camarão é  hors-concours. O recheio é um incrível bobó de camarão, dourado pelo azeite de dendê e muito bem temperado, com pedaços do crustáceo.   A  de palmito também é saborosa, com recheio úmido.   Onde: Shopping Center Norte – Travessa Casalbuono, 120  Quiosque 865 – Vila Guilherme – Telefone: (11) 2089-0546

Café do Centro Espírita Ismael (CEI) ===  Da simplicidade da cozinha de Andrea Raso, saem empadas angelicais.    A massa usada é a flora, assada na medida certa, crocante por fora e muito macia por dentro . . Na primeira mordida, a  delicada massa e  o suave recheio de palmito  se envolvem,  criando uma sensacional experiência sensorial.    A fornada sai sempre,  por volta das 18h.  De comer rezando.  Onde:  Avenida  Henri Janor, 141 –  Jaçanã – Telefone (11) 2242-6747 (Atenção para o horário: 2ª a 6ª feira (entre 19h e 20h30)

Zona Leste 

Lisboa  ===  Dos fornos da centenária padaria do Tatuapé,  saem generosas empadas no tamanho e no recheio.  Feitas com a massa Paté Brisée, atrai fãs de toda a cidade, que  faz fila  na parte da tarde, para levar os salgados  incrivelmente frescos para viagem.   A de palmito é temperada com tomates, azeitonas, ervilhas e é saborosa.   A de frango é úmida, com frango desfiado, tomates, cebolas, alho, azeitonas e  ervilhas.  O único senão das empadas da Padaria Lisboa é a dificuldade em acertar a mão no sal.   Nas três visitas que nossa equipe fez ao local, em uma delas as empadas estavam salgadas além da conta.    Essa inconstância no sal, pode ser em função da azeitona ou mesmo do palmito e ervilhas (que são enlatados).  Onde:   Praça Sílvio Romero, 112 – Tatuapé – Telefone(11) 2295-9444

Centro

Casa Godinho  ===  A campeã das campeãs.  Uma verdadeira instituição paulista e motivo suficiente para visitar o centro de São Paulo.   A empada da Casa Godinho leva a massa Paté Brisée,  dourada e crocante.   A delicadeza da massa se  integra maravilhosamente ao recheio cremoso – independente do sabor escolhido.    O segredo do recheio é o uso de um escandalosamente saboroso  molho bechamel, que harmoniza com os recheios e dá uma suave cremosidade aos oito sabores do  salgado:   bacalhau, camarão,  frango, palmito,  alho-poró e carne-seca.   As versões doces são igualmente saborosas. Prove a  de  banana com canela e a de maçã e nozes (uma espécie de recheio de strudel) – que são  simplesmente sensacionais em sua simplicidade. Para os chocólatras a de chocolate é incrível.   Onde: Rua  Líbero Badaró, 340, Centro –  tel. (11) 3104-1520

Empadaria da Vovó  ===  A casa aconchegante, localizada na charmosa avenida Vieira de Carvalho – na parte mais charmosa do Centro de São Paulo,  tem em seu cardápio cerca de 20 sabores.   Empadas generosas, com cerca de 100 gramas cada uma, preparadas com ingredientes fresquíssimos, massa crocante, assada na medida certa e com recheios cremosos,  fazem a felicidade dos empadeiros profissionais.    Para a geração saúde, a Empadaria da Vovó criou as linhas “Fitness”, “+Saúde”, “Vegana” e “integral” e acredite, saborosíssimas!    Pode comer sem culpa.   Onde:  Avenida Dr. Vieira de Carvalho 154 – Centro – Telefone: 11-3337-1938

Café Girondino ===   Um oásis no caos do Centro de São Paulo e parada certa,  para depois das compras na 25 de Março.   A empada do Café Girondino é preparada com massa flora, crocante, dourada e fininha. Saborosa e muito leve, de todas é a que tem o recheio é mais sequinho e harmoniza com o expresso bem tirado da casa.  Não espere uma variedade de sabores.      Ao fazer o pedido a atendente já informa “a empada é de palmito e leva camarão no recheio”.   Onde:  Rua Boa Vista 365 (colado no  metrô São Bento) – Centro – Telefone  11 3229-4574

Vale do Paraíba

Lúcia Batista – a primeira dama do Arroz Vermelho

Chefe Lúcia Batista ===  Nossa última joia vem  da região do Vale do Paraíba. E se você estiver de passagem ou morar na  região do Vale do Paraíba, ganhou na loteria sozinho.  É na cidade de Cruzeiro,que você vai comer a melhor empada do interior do Estado de São Paulo.   Quem a prepara é a famosa chefe e banqueteira Lucia Batista. Ela, em sua simplicidade se define “apenas como cozinheira”. 

Lúcia é nacionalmente conhecida como a “primeira dama do Arroz Vermelho”  e representante da cidade de Cruzeiro no  Revelando São Paulo – Festival de Cultura Popular Paulista, que em sua edição Capital, costuma acontecer no Parque do Trote – na Vila Guilherme.

Lúcia, pelo seu talento e carisma, é a rainha da mídia no Vale do Paraíba. Se a pauta é comida, lá está Lúcia Batista dividindo seus saberes e fazeres.   Frequentemente  é procurada por estudantes e mestres universitários de gastronomia, de todo o país, para falar da cultura do Arroz Vermelho, parte da  “Fortaleza   Slow  Food “ – movimento internacional que reúne pessoas apaixonadas por gastronomia, celebra o alimento de qualidade e o prazer da alimentação.

E não poderia ser diferente com suas  empadas.  Feitas sob encomenda para banquetes ou um prosaico lanche de domingo,  as empadas  de Lúcia são feitas com massa Paté Brisée,  popularmente conhecida  no interior de São Paulo como massa podre.   Douradas, levemente crocantes e  muito bem assadas,  tem um recheios saborosos.  Palmito, frango ou camarão, não importa.  Todas são maravilhosas.

Chef Lúcia Batista –  Onde:   Cruzeiro (SP)  Os serviços de Lúcia para coffe-breaks, banquetes de casamento, almoços e jantares, além de suas famosas empadinhas,  devem ser previamente contratados pelos  telefones (12) 3144.6046 e (12) 98811-5727

Organicos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora