Enquanto poucos frequentadores aproveitam os dias no Parque Vila Guilherme-Trote (PVGT), um grupo de pessoas mobiliza-se de outro lado para buscar revitalizá-lo e dar melhores condições de uso. Há mais de um ano, ainda na gestão do prefeito Fernando Haddad, o PVGT foi esquecido nas gavetas da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, junto com outros quase 90 parques municipais dos 108 relacionados na cidade.

ABANDONO TOTAL == O PVGT chegou a praticamente ao abandonado total, vivendo e convivendo com inúmeras dificuldades. Foram relatados  problemas com a empresa que prestava serviços de segurança e não teve seus  contratos renovados; falta de condições higiênicas nos banheiros ao público; equipamentos esportivos e de lazer sem manutenções; falta de energia; e chegou-se até na antecipação do horário de  fechamento  do parque, em função  destes problemas.  Enquanto isto, o mato cresceu e assumiu o domínio do parque, junto com a limpeza precária. E, mais grave, surgiram denúncias de assaltos, furtos e até uma tentativa de estupro.

AS PESSOAS ENVOLVIDAS == Com tudo isto, uma avalanche de comentários negativos nas páginas das mídias sociais e reclamações nos Conselhos Comunitários de Segurança (CONSEGs), Conselho Participativo Municipal, Conselho Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (CADES) e outras entidades.

E agora aconteceu a terceira reunião do grupo de formação do “Mutirão do PVGT”, que nesta 5ª feira (09/03/2017) novamente reuniu-se, em uma área aberta e embaixo de árvores do parque,  com o importante comparecimento de cerca de 30 pessoas para definições e estratégias de trabalho.

Lá estiveram,  os representantes de vários segmentos:  Dário José Barreto (prefeito regional de Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros), Karen Gonçalves Ikuta (Coordenadora do PVGT), Camila de Oliveira Praim (Depave – Secretaria do Verde e Meio Ambiente), Rafael  de Almeida Leitão (Assessor Executivo de Comunicação da Prefeitura Regional), Nelson Marques (Coordenador do Conselho Participativo Municipal), Otacílio Montagner (presidente do Conselho Comunitário de Segurança – CONSEG Vila Maria), Rozimá Araújo (gestor ambiental – CADES e Associaçao Paulista de Gestores Ambientais), Ana Célia Novais (Cecco-Trote), Maria Eloísa Domingues (Cecco-Trote), Shirley Suzuki (Cecco-Trote), além da participação da Imprensa local com o DiárioZonaNorte, A Gazeta da Zona Norte, SP Norte e SP de Fato.

UMA GRANDE E IMPORTANTE AJUDA  == O mais importante ainda foi a participação de Sandra V. E .Werder, da Diretoria Regional Voluntária do Programa “Mãos que Ajudam” da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (ver box no final), ao lado do missionário Elder Schioser e Sister Schioser.

O “Mãos que Ajudam” é um programa permanente de ajuda humanitária e serviços comunitários, que mobiliza milhares de voluntários de todas as idades em diversas  ações sociais.  No sábado passado (04/03) mais de 300 voluntários do “Mãos que Ajudam” participaram de um mutirão de revitalização no Parque Municipal do Nabuco (31.300 m2 de área), localizado no Jabaquara (Zona Sul), onde foram realizados os serviços de corte de mato, reconstrução de jardins e passarelas, pintura e outras melhorias. “Prevíamos os serviços das 7 horas da manhã até 16 horas, mas por volta do meio-dia já havia sido tudo encerrado com absoluto sucesso”, comentou Sandra Werder, responsável pela organização.

O QUE PODE MEXER == Nesta reunião houve orientações da representante do Departamento de Parques e Áreas Verdes (Depave) da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, Camila de Oliveira Praim, que informou que somente o Parque do Trote é tombado, não sendo possível ações que possam ferir as regras do Conselho Municipal de Preservação do  Patrimônio  Histórico, Cultural  e  Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp), que está agregado à Secretaria Municipal de Cultura.

Veja a integra da Resolução  n. 15/CONPRESP/2013 acessando o link http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/upload/1513RET_1391534882.pdf

Neste caso, não se pode alterar nada que modifique a estrutura ou efeitos naturais do local – construção, pintura e mobiliários. Mas, de qualquer maneira, os serviços de zeladoria será possível nos dois parques com 180 mil metros quadrados no total, constituindo  o Parque da Vila Guilherme, que não é tombado e pode ter as outras atividades ( com aproximadamente 60 mil m2 — fica na parte superior, junto à rua São Quirino; e o Parque do Trote, que é restrito ao tombamento (com aproximadamente 120 mil m2 –  na parte debaixo com entrada pela Av. Nadir Dias de Figueiredo, que foi incorporado depois e tem o histórico do local.

MUDANÇA DO MUTIRÃO === Mas ficou consolidada a importante participação do programa “Mãos que Ajudam”, que aconselhou retardar a operação “Mutirão do PVGT” para o dia 29 de abril (sábado) – inicialmente estava sendo para o próximo 25 de março — , abrindo desta forma mais tempo para a organização do evento. E também para a divulgação – que teve o cartaz provisório apresentado na reunião —  e captação de ajudar de empresas, comerciantes e entidades. “Neste tempo, poderemos solicitar ajuda de empresas parceiras na região e estudar outras possibilidades para ajuda material e empréstimos de equipamentos”, lembrou o prefeito regional Dário José Barreto.  Ao mesmo tempo, haverá  mais condições da organização do “Mãos que Ajudam” de criar o planejamento necessário. Foi aberto um debate entre os organizadores via WhatsApp e novos encontros serão realizados nas próximas semanas.

“MÃOS QUE AJUDAM” === Em agosto de 2000, foi criado no Brasil o programa “Mãos que Ajudam” (www.maosqueajudam.org.br), proposta permanente de ajuda humanitária e de serviço comunitário que mobiliza milhares de voluntários, membros e amigos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, em parceria com empresas privadas, órgãos governamentais, veículos de comunicação, ONGs e instituições religiosas. As ações realizadas pela Igreja já beneficiaram todas as capitais da federação e cerca de 200 outras cidades. Reformas em escolas públicas; assistência a hospitais, orfanatos, creches e asilos; recuperação e limpeza de praças, parques e praias e doação de sangue, além de mão de obra voluntária e ajuda material em situações de emergência e calamidade pública têm sido alguns dos campos de atuação.

Em dezembro de 2001, em reunião realizada pela ONU na cidade suíça de Genebra, com a presença de representantes de 123 países, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias foi reconhecida pelo serviço voluntário que realiza no Brasil. Ao longo de cada ano, centenas de ações são levadas a efeito em todos os estados. Além disso, tradicionalmente, uma ação nacional – em um único dia, feriado ou não – reúne mais de 120 mil voluntários simultaneamente. Por exemplo, em 24 de julho de 2010, 115 mil voluntários transformaram esse dia num “Sábado Solidário” e centenas de ações de ajuda ao próximo e melhoria da comunidade aconteceram. (Fonte: site Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias)

Natal 2017 CN

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here