por Aguinaldo Gabarrão (*)

“Generosidade é a arte de dar e receber. A generosidade que temos com os nossos parceiros num jogo de bola é a mesma que devemos dar para a platéia. Temos que ser suficientemente generosos para permitir que a platéia nos ame tanto quanto nós a amamos.”

Essa afirmação está em “A Arte da Bobagem – manual para o clown moderno”, de Angela de Castro: atriz brasileira e clown, radicada em Londres há mais de vinte anos.

Se generosidade é uma das recomendações da premiada artista para o difícil trabalho do clown, certamente, é uma busca constante do G.E.C.A – Grupo de Estudos de Clowns Anônimos e do Clã Estúdio das Artes Cômicas que, respectivamente, pesquisou e produziu O Cabaré do Fim do Mundo, espetáculo que chega à marca de um ano em temporada na cidade de São Paulo.

Comemorar é preciso! === O espetáculo que estreou no final de 2016 sem qualquer patrocínio ou apoio de empresas e poder público, foi estruturado num cenário-instalação que recria o ambiente dos antigos Cabarés, onde o público é o cliente do estabelecimento. Por meio de uma diversidade de números e performances realizados pelos Clowns, vem à tona a complexidade de uma sociedade que transita entre uma moralidade retrógrada e um novo contexto moral.

O  Portal DiárioZonaNorte entrevistou a diretora, Cida Almeida, fundadora do Clã Estúdio das Artes Cômicas, onde ocorrerá a apresentação comemorativa.

Portal DZN – Cida, fale um pouco da sua formação.

Cida: – Sou atriz formada na ECA-USP e filósofa pela Universidade do Sul de Santa Catarina. Além disso, me especializei na formação e preparação de atores através das máscaras teatrais com ênfase na linguagem do clown.

Portal DZN – Como se chega ao resultado do riso no “Cabaré”?

Cida: – O riso, em nossa pesquisa, não é apenas o riso catártico, é um riso reflexivo, principalmente porque o “Cabaré” segue um desenho de completo envolvimento dos artistas com o público. É um pouco de colocá-los (o público) nesse universo que queremos falar, onde nós não estamos impunes, do qual fazemos parte. E, que temos de alguma maneira, de olhar pra ele. Esses lugares onde a gente por muito tempo deixou abandonado…

Portal DZN – Que lugares são esses?

Cida: – São lugares de um descomprometimento muitas vezes político, social. A gente faz de conta que aquilo não existe ou está na televisão. É um mundo que está no fim, não é? Diria que está num outro começo. É um momento de reflexão, digamos assim, sobre esse mundo em pandarecos. E que parece que nada mudou muito… É importante a gente reafirmar, relembrar que a tendência humana é sempre de uma repetição e muitas vezes, simples repetição. Nós não conseguimos dar o salto. E esperamos que a gente dê esse salto…

Portal DZN – Esse “salto” diz respeito às relações sociais, políticas e do cotidiano identificadas na encenação?

Cida – É um teatro que quer chamar a atenção pra isso. Quer, na verdade, colaborar pra que esse desenvolvimento social possa, de fato, ser concretizado, de uma maneira que venha a melhorar a vida de todos nós brasileiros. É, enfim, o comprometimento de artistas, são onze artistas que até esse momento, sem nenhum apoio, sem nenhuma grana, estão fazendo teatro do fundo do quintal de suas casas, literalmente, pra dizer: “- Nós estamos aqui, resistindo, fazendo, cutucando. Vamos olhar pra nós e fazer a diferença!”.

Portal DZN – Desejamos sucesso ao Clã Estúdio das Artes Cômicas e vida longa ao espetáculo Cabaré do Fim do Mundo.

Cida: – Muito obrigada sempre pelo apoio de vocês do DiárioZonaNorte. Muito agradecida, de todo o coração!


Assista ao teaser do espetáculo: https://www.youtube.com/watch?v=YL_w9O54kpw

Acesse a fanpage do grupo: www.facebook.com/cabaredofimdomundo/

FICHA TÉCNICA

Direção: Cida Almeida / Assistente de direção e sonoplasta: Jean Salustiano (Tramela) / Cenografia e assistente de produção: Karine Lopes (Teta) / Iluminação: Rebeka Teixeira e Wilson Saraiva / Produção: G.E.C.A / Realização: Clã Estúdio das Artes Cômicas 

Elenco: Calu Baroncelli – Natalina Rólli Dei / Leandro Cenci – Mixinga / Mariana Taques – Up Grace / Patrick Castilho – Provisório / Rafael Hercowitz – Sinusite / Rebeka Teixeira – Caçarola / Ricardo Pesce – Justo / Wilson Saraiva – Buiú

SERVIÇO:

Cabaré do Fim do Mundo

Classificação indicativa: 14 anos / Duração: 60 minutos

Quando: domingo – 10 de dezembro (única apresentação) / Horário: 20h00

Local: Clã Estúdio das Artes Cômicas – Rua Sepetiba, 542, Vila Romana

Lotação: 30 lugares (Serviço de Bar no local)

Reservas: cabaredofimdomundo@gmail.com  (As reservas expiram 30 minutos antes do início do espetáculo)

Valor: (A produção deixa a critério do público o valor do ingresso a ser pago em dinheiro. Não aceitam cartões de débito e crédito).


(*) Aguinaldo Gabarrão, ator e dramaturgo. Iniciou em 1989 sua trajetória profissional no teatro com o espetáculo “Halloween, o dia das bruxas”, do dramaturgo Nery Gomide. Trabalhou com diretores de diferentes estilos e gerações: Jayme Compri, Hamilton Saraiva, Eugênia Thereza de Andrade, Fabio Caniatto e Antônio Abujamra entre outros. Atua também no segmento corporativo por meio de cursos, treinamentos e palestras com as técnicas do teatro.

Nota da Redação: As críticas publicadas neste espaço são de inteira responsabilidade de seus autores. As opiniões nelas emitidas não exprimem, necessariamente, o ponto de vista do “DiárioZonaNorte” e nem de sua direção.

aniversario bergamini

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora