As Audiências Públicas para o Programa de Metas 2017-2020, do governo municipal de João Doria Jr.,  aconteceram simultaneamente em todas as 32 prefeituras regionais, no sábado passado (08/04/2017), das 14h30 às 17h00, e tratou da construção de estratégias essenciais para o desenvolvimento do município. Os moradores de cada região puderam  participar com perguntas diretas e, em algumas prefeituras regionais, até participando de pesquisas, mas colocando sugestões e direcionando propostas às diferentes áreas como Saúde, Transportes, Educação, Habitação – entre outros.

O programa apresentado pelo prefeito João Dória conta com 50 metas e 69 projetos estratégicos que foram divididos em cinco eixos temáticos: Desenvolvimento Econômico e Gestão; Desenvolvimento Social; Desenvolvimento Humano; Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente e Desenvolvimento Institucional. Veja o  Programas de Metas 2017/2020 acessando o link a seguir:   http://bit.ly/2nAGbDY

O DiárioZonaNorte acompanhou diretamente três audiências públicas, que foram realizadas nas Prefeituras Regionais de Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros (no auditório da Prefeitura Regional), de Jaçanã/Tremembé (no CEU Jaçanã) e de Santana/Tucuruvi/Mandaqui (no auditório da Prefeitura Regional).

O que aconteceu na Vila Maria == Um auditório da prefeitura regional V.Maria/V.Guilherme/V.Medeiros, à rua General Mendes na Vila Maria Alta,  com capacidade para cerca de 120 pessoas em poltronas vermelhas, mas que recebeu mais cadeiras marfinites brancas nas laterais e no fundo, aumentando a capacidade  para quase 150 pessoas. Mas que não foram utilizadas, já que cerca de 100 espectadores estavam sentados na plateia – com muitos representantes do Conselho Participativo Municipal.

O início  == Com atraso de 30 minutos, que deveria ter inicio oficial às 14h30, no sábado (08/04/2017), foram convocadas as autoridades à mesa, começando pelo Prefeito Regional Dário José Barreto, seguido pelo Secretário Adjunto da Desestatização e Parcerias, Ricardo Bargieri, e a Chefe de Gabinete da mesma secretaria, Silvana Buzzi. A abertura foi feita pelo prefeito regional, mostrando a importância da audiência pública, como estava sendo realizada por toda a cidade e a responsabilidade dos moradores da região da Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros.

As explicações  == Já o secretário-adjunto Bargieri fez a exposição, através de imagens no Power-point, com um roteiro do processo do Programa de Metas regional, destacando a dinâmica de participação e pontuando a apresentação do programa de metas. E mostrou também a importância da participação dos munícipes. Explicou que o Programa de Metas foi composto por metas, projetos estratégicos e linhas de ação. E repetiu como foi organizado o Programa de Metas: 5 eixos, 50 metas, 69 projetos estratégicos, 433 linhas de ação e 325 intervenções (obras e reformas). Os  cinco eixos abordam os temas do Desenvolvimento Econômico, Desenvolvimento Social, Desenvolvimento Humano, Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente e Desenvolvimento Institucional – previamente debatidos em audiências temática na 5ª feira (06/04/2017), das 18h30 às 21 horas, em cinco locais pela cidade.

A apresentação do secretário-adjunto foi a mesma realizada em todas outras 31 Audiências Públicas para o Plano de Metas.

O programa também no papel  == Na verdade, uma versão super-compactada do impresso de 16 páginas em jornal, tipo tabloide em fonte 8, com todos os itens do Programa de Metas, que foi entregue a todos participantes da audiência pública. Dentro do auditório foi fácil notar várias pessoas curvadas para ler o documento em letrinhas miúdas. Muitos faziam anotações no próprio impresso, junto aos poucos espaços em branco, ou repassavam para as anotações em cadernos ou agendas, em paralelo.

A participação popular == O chefe de Gabinete da Prefeitura Regional V.Maria/V.Guilherme/V.Medeiros, Evandro Gilio, foi encarregado de recolher uma a uma as fichinhas de inscrição de interessados em  falar e colocar demandas. Rapidamente, 16 pessoas foram inscritas para dar depoimento e reivindicar alguma melhoria por três minutos ao microfone, cada um deles. O primeiro a se encaminhar para o microfone, em escolha aleatória,  foi o presidente do Consellho Comunitário de Segurança-CONSEG de Vila Maria, Otácilio Montagner, que pediu mais empenho para mais condições à zeladoria da região em apoio à prefeitura regional, além de pedir mais uma UBS para a região. Depois foram se alinhando os demais inscritos, com temas girando em torno do CAPS III;  melhorias nos transportes e mais  mobilidade; mais pontos e faixas de ônibus – além de pedestres; aumento na educação sobre meio ambiente para crianças e adultos nos cuidados de lixo e descarte, até com referências ao Parque do Trote; as condições e estrutura para os serviços de saúde com mais profissionais; desenvolvimento com mais áreas de habitação; mais incentivo da Universidade no CEU; economia com incentivo ao empreendedorismo; cuidados com a igualdade racial; os cuidados com meio ambiente; mais núcleos para as comunidades de idosos; o uso dos terrenos para moradias aos movimentos de lutas; entre várias falas com temas repetitivos.

Mais perguntas == Foram incluídas mais cinco pessoas na relação das 16 falas previamente inscritas. E, no encerramento, o espaço foi concedido ao vereador Rodrigo Gomes (PHS), que fez uma exposição da importância da audiência pública e repetiu as responsabilidades a cada cidadão da região. E complementou com sua responsabilidade na Câmara Municipal, onde deve lutar pelas prioridades nas reivindicações dos moradores da Vila Maria e Zona Norte, de onde faz parte.

O encerramento == O prefeito regional Dário José Barreto deu por encerrada a audiência publica, que por lei foi totalmente gravada em vídeo e áudio pela organização do evento.  À mesa, um funcionário do governo municipal ficou o tempo todo a um notebook conduzindo toda a transcrição da reunião. Ao ouvir a palavra final de encerramento, um espectador sentado à frente levantou a questão que estava aguardando as devolutivas aos assuntos que foram levantados pelas pessoas. O prefeito regional explicou que a audiência pública era somente para levantar as questões e não foi programada para respostas.

O que ficou de fora == Final. Rodinhas de moradores sobre os assuntos discutidos. Rodinhas com o prefeito regional e o secretário adjunto. Alguns foram direto para uma  mesa de lanches e sucos. E notou-se que alguns assuntos muito debatidos na região não foram lembrados, como a continuidade das obras do CEU Novo Mundo (Funerária), o estado precário do Hospital Vermelhinho, a sequencia das obras dos Córregos Paciência e Maria Paula, o destino do Terminal de Cargas, entre outros. Na sequência, houve uma audiência geral no auditório Elis Regina no Anhembi (em 09/04) e outra final marcada para na Câmara Municipal, no dia 24/04 (2ª feira). E aí na reta final com os vereadores em discussão.

O que aconteceu no Jaçanã/Tremembé==   Chegar à Audiência Pública da Prefeitura Regional Jaçanã/Tremembé, realizada no teatro do Ceu Jaçanã,  foi um exercício de paciência. Um imenso congestionamento na região, causado por obras em execução tanto da SABESP como da Eletropaulo dificultou o cumprimento do horário.

A mesa de autoridades foi composta pelo prefeito regional  Alexandre  Pires,   Edson Aparecido dos Santos (diretor presidente da COHAB) e Silvia Cibele (chefe de gabinete de Jaçanã/Tremembé).   O cerimonial ficou aos cuidados de Silvia, que de forma muito tranquila conduziu os trabalhos até o final.

O prefeito regional Alexandre Pires exibiu um balanço dos cem dias de sua gestão no território, em um vídeo sonorizado com a música “Trem das Onze”, uma espécie de hino não oficial do Jaçanã.  Coube ao presidente da COHAB, explicar a dinâmica da Audiência e apresentar o Plano de Metas 2017/2020 (exatamente como foi feito nas outras 31 prefeituras regionais)

Estavam presentes no auditório, entre munícipes, representantes de entidades, associações e alguns conselheiros de diversos setores, cerca de 200 pessoasO coordenador do Conselho Participativo de Jaçanã/Tremembé, Alex Machioratto, se manifestou e falou sobre o trabalho do CPM JT na construção de propostas para o Plano de Metas, entregue à mesa por meio de um documento.   Nelson Ferreira Filho, líder comunitário com forte atuação na área de saúde,  foi outro dos presentes que se manifestou.  Ele  pontuou sobre os principais problemas na região.

O que aconteceu em Santana/Tucuruvi/Mandaqui  == A mesa foi composta pela Prefeita Regional Rosmary Corrêa, pelo chefe de gabinete Luis Carlos de Oliveira e pelo Secretário de Serviços e Obras Marcos Rodrigues Penido.

O auditório da Prefeitura Regional estava cheio.  Cerca de  cem munícipes compareceram para acompanhar os trabalhos. Dez munícipes  se inscreveram para falar.  Setenta e três propostas foram encaminhadas por meio de formulários,  aos  atendentes da Prefeitura Regional.

O horário foi rigorosamente cumprido. A audiência se iniciou às 14h30 .  As inscrições para fala foram abertas no início da audiência e encerradas após o término da apresentação do Plano de Metas – exatamente igual  para  todas as 32 prefeituras regionais.  Não houve tolerância para os tradicionais atrasadinhos da região.

E depois? ==  Todas contribuições recebidas por meio das 38 audiências públicas (32 regionais, cinco temáticas e uma geral para a Câmara dos Vereadores) e as recebidas por meio das plataformas virtuais, serão analisadas para implementação de um projeto adequado às necessidades da cidade de São Paulo.

Para ver a cobertura fotográfica completa, clique aqui

aniversario bergamini

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here