O governador  Geraldo Alckmin  informou na nesta 6ª feria (28/07) que   o  Consórcio Move SP,  responsável pela construção da Linha 6 – Laranja do Metrô,  recebeu uma oferta de compra por parte de um grupo internacional.

Por uma questão estratégica, o Consórcio Move SP, mantém o nome do possível comprador em sigilo.   O governo prorrogou, desde o ano passado, os prazos para o consórcio regularizar a situação e retomar as obras. Se a compra se confirmar,  não haverá a necessidade de realizar outra licitação.

Linha Universitária === A Linha 6 –  Laranja, conhecida como “Linha Universitária” por ter em seu trajeto diversas instituições de ensino,  vai ligar o bairro da Brasilândia (Zona Norte/Noroeste)  à  estação São Joaquim (Centro) na Linha Azul e teve o início de suas obras em janeiro de 2015.  O último prazo de entrega informado pelo Governo do Estado foi 2021.

A  Linha 6 – Laranja do Metrô é a primeira que adota o modelo PPP (Parceira Público-Privada).  Orçada inicialmente em  9 bilhões de reais, o  Governo do Estado de São Paulo pagaria metade da obra e o Consórcio Move São Paulo a outra metade, ficando com o direito de operar a linha por 25 anos.

Lava-Jato === O Consórcio Move São Paulo, é formado pelas construtoras Odebrecht, Queiroz Galvão, UTC Participações  e  pelo Fundo Eco Realty. Em setembro de 2016 houve a paralisação da obra por falta de financiamento junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES),  como reflexo do envolvimento das três construtoras na Operação Lava-Jato.

Com obras paralisadas há dez meses, a  linha terá 15,3 km de extensão e até agora, apenas 15% da obra foi concluída. Serão 15 estações que devem  transportar cerca de 630 mil pessoas por dia.

Foram desapropriados 371 imóveis com um custo de 979 milhões de reais. O canteiros de obras das futuras estações  Brasilândia e  Freguesia do Ó estão totalmente paralisados.

Organicos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora