São Paulo comemora 464 anos neste 25 de janeiro de 2018.  Quem pensa que a cidade atingiu o seu potencial máximo, está enganado! Para quem nasceu de maneira tímida, em 1554, pelas mãos de padres jesuítas e passou até os primeiros anos do século 19 como uma província sem expressão, a capital paulista, hoje, está na 14ª colocação do ranking das cidades mais globalizadas, as chamadas cidades globais, segundo estudo do Globalization and World Cities Study Group & Network (GaWC).

A história da cidade começa a mudar a partir de 1822, quando serve de palco para acontecimentos de grande importância na história do País. É nas margens do riacho do Ipiranga que Dom Pedro proclamou a independência do Brasil de Portugal. No ano seguinte, a cidade ganha o título de Cidade Imperial.

A instalação da Faculdade de Direito, em 1827, no antigo Convento de São Francisco, provoca uma radical mudança no cotidiano da cidade. Além de demandar a construção de hotéis, restaurantes e núcleos artísticos, a aglomeração de estudantes e professores, enriquece a vida cultural paulistana.

Em 1850, o café se torna mola propulsora da economia paulista, transformando a cidade e a província na Meca para quem sempre procurou oportunidades de uma nova vida. Milhares de estrangeiros e brasileiros de outros estados emprestaram, e ainda emprestam, à capital paulista novas cores, sabores e costumes.

O enriquecimento de São Paulo trouxe mudanças também na urbanização. O marco da prosperidade da cidade é a construção da Estação da Luz, pela companhia inglesa São Paulo Railway no fim do século 19. É por seus trilhos que escoavam os grãos de café, trazendo lucros para os fazendeiros.

Novos rumos – No início do século 20, a cidade começa a se reinventar. As Indústrias Matarazzo e o Cotoníficio Crespi atraíam mão de obra estrangeira, particularmente, a italiana. Eles vinham diretamente da Hospedaria dos Imigrantes para trabalhar nas fábricas e incorporaram costumes. A pizza tornou-se hábito comum entre os paulistanos. Com 6 mil pizzarias, São Paulo é a segunda cidade onde mais se come pizza no mundo. Perde somente para Nova York, onde a presença de italianos também é muito forte.  << Com apoio de informações/fonte: Imprensa Oficial – Conteúdo Editorial >>

 

Organicos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora