O prefeito regional da Casa Verde/Cachoeirinha/Limão, Paulo Cahim, foi exonerado nesta 4ª feira (15/11/2017 – feriado) pelo prefeito João Doria Jr.  A exoneração deve ser publicada na edição do Diário Oficial da Cidade na 6ª feira (17/11) por causa do feriado. O fato aconteceu por causa de reclamações públicas de Cahim durante audiência pública na região presidida pelo vereador do PT Jair Tatto (da Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara Municipal)  — que aconteceu no auditório da Prefeitura Regional da Freguesia do Ó/Brasilândia, inclusive com a presença do prefeito regional Roberto Godoi — , no sábado (11/11), onde fez críticas à falta de verba e previu enchentes na região, em janeiro. Essas  declarações  ocorreram no momento em que a gestão Doria gastou somente 21% do orçamento previsto para contenção de enchentes.

Na manhã desta 4ª feira (15/11 – feriado), a Prefeitura de São Paulo divulgou a seguinte nota:  “A Prefeitura de São Paulo informa que Paulo Cahim será exonerado nesta quinta-feira do cargo de Prefeito Regional da Casa Verde/Cachoeirinha por ter demonstrado conformismo diante das dificuldades, em lugar de empenho e criatividade na superação dos desafios, como exige a atual administração municipal de seus colaboradores. A respeito da limpeza do piscinão mencionado na reportagem da Folha, a Prefeitura informa que o pregão para contratação da limpeza foi suspenso pelo Tribunal de Contas do Município, mas os problemas apontados serão corrigidos e o desassoreamento do local será realizado até dia 15 de dezembro”.

Crédito: Luiz França/CMSP

Aproveitando matéria publicada na Folha de S.Paulo desta 4ª feira (15/11/2017 – feriado), com o título “Subprefeito de SP reclama de verba antienchente” (pag. B7-Cotidiano), o site “Brasil 247” replicou a notícia com o resumo abaixo:

Prefeito regional de Dória avisa: ´Problema com enchente em janeiro´ ” ===  Durante reunião da Comissão de Finanças da Câmara Municipal, o prefeito regional da Casa Verde/Cachoeirinha, Paulo Cahim, afirmou que a região pode ser afetada por enchentes como consequência da não realização da limpeza de um piscinão na zona norte.

“Me desculpem. Eu não sei qual é a força que eu posso representar nisso. Porque se não tivermos a força política e a visão de gestão, nós vamos ter muito problema com as enchentes em janeiro”, afirmou Cahim à plateia.

Segundo o gestor, as declarações ocorrem no momento em que a gestão do prefeito João Doria (PSDB) gastou somente 21% do orçamento previsto para contenção de enchentes.

Em seguida, ele fala sobre a situação do piscinão da avenida General Penha Brasil, que está sujo. “Nosso piscinão, o Penha Brasil, está assoreado e eu não tenho uma máquina que eu possa limpar. E eu passo todo dia em frente a ele. Aí vão me encontrar na feira e vão perguntar: ‘O que o prefeito está fazendo?'”, questionou. “Me desculpem a indignação, eu não concordo com essa planilha de orçamento para a Casa Verde.”  As informações são da Folha de São Paulo.

Já a Folha de S.Paulo acrescentou na reportagem: “ Ali (na audiência) era um cidadão falando. É isso mesmo que eu falei, mas dentro de um contexto muito mais amplo. Estamos discutindo uma peça orçamentária . Eu estava prestando contas aos moradores do distrito em que eu também moro”, segundo o prefeito regional Paulo Cahim.

À Folha, Cahim deu outra versão em relação à dificuldade na contratação  de limpeza do piscinão. Diz ele que não é por falta de orçamento, mas pela não liberação  da licitação junto ao  TCM (Tribunal de Contas do Município) que permite que o serviço seja feito.

“A preocupação que tenho é com as enchentes futuras.  Se a gente considerar a tramitação burocrática (perante o tribunal) , que demora de 30 a 90 dias, eu vou cair fatalmente em janeiro com o piscinão assoreado e vai dar um grande problema para a comunidade”, segundo o prefeito regional.

===================

 

Natal 2017 CN

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here