<< Exclusivo >> == O perigo é aparente e iminente, qualquer um pode ver quando passa de carro na Avenida Dr. Antonio Maria de Laet, no sentido da Manuel Gaya/Benjamim Pereira. O morro  à direita em um trecho de 350 metros pode desabar a qualquer momento, ainda mais com o tempo chuvoso que acontece ultimamente. Pior ainda para quem está na parte de cima, na rua Pero Vidal, que pode desabar  junto com residências e prédios. As árvores já sinalizam o perigo com rachaduras e até solapamento junto às suas raízes.  Sem contar o risco do pedestre que não tem calçada na avenida, que além do desabamento pode ser atropelado, a qualquer momento.

REUNIÃO AGENDADA == E não é de hoje que os moradores do Parque Vitória, na Zona Norte / Nordeste, reclamam sobre a situação extremamente perigosa do local. Diante deste problema, a Prefeita Regional de Santana / Tucuruvi  / Mandaqui, Rosmary Corrêa — a Delegada Rose – marcou reunião com os moradores comandados pela vice-presidente do Conselho Comunitário de Segurança-CONSEG Vila Gustavo – que engloba o Parque Vitória – Professora Maria Cândida Costa Gaspar.  Mas a prefeita regional teve compromissos externos (um deles a presença do prefeito João Dória no sorteio “Nota do Milhão”, no Terminal Rodoviário do Tietê) e autorizou a reunião sem sua presença, mas comandada pelo Assessor de Gabinete José Cândido de Freitas.

QUEM COMPARECEU === Na sala de reuniões, nesta 2ª feira (05/06/2017), compareceu o experiente  Engenheiro da Coordenadoria de Projetos e Obras da prefeitura regional, Félix Quispe Marques, que tem de carreira 25 anos – “desde que a regional era na Leôncio de Magalhães, no Jardim São Paulo”. Debaixo do braço do engenheiro um dossiê de muitas páginas, documentos e mapas sobre o processo que engatinha desde 2010, com despachos e carimbos de sua peregrinação. Ao lado de Maria Cândida, estava o morador Rafael RHS e, mais tarde, o aposentado Eziquiel de Souza Silva, um antigo cidadão da região e o cuidador voluntário de praças – “onde tem minhas frutas, até abacate, e o repovoamento de meus pássaros!”.

DORIA TOMA CONHECIMENTO === Tudo foi originado há uma semana, no domingo (28/05/2017), quando o prefeito João Doria veio à inauguração do primeiro Museu de Arte Urbana (MAR) — ver reportagem do DiárioZonaNorte (link: http://bit.ly/2qu1PLR ) —com os grafites próximo ao local do morro à perigo. No meio da agitação de abraços e selfies com o prefeito, Maria Cândida conseguiu uma brecha para falar com Dória. Ao lado dela, o cidadão aposentado e morador do local, Eziquiel de Souza Silva.  Muito atencioso, Doria ouviu o reclamo e chamou a prefeita regional Rosmary Côrrea para se inteirar do caso e tomar providências: “veja o que acontece e, se for o caso, peça ajuda para apoio de material da C&A, DeCico ou empresas dispostas em doações; e a mão de obra fica com a prefeitura”. A prefeita regional já tinha conhecimento do caso e atendeu prontamente ao pedido. Logo em seguida, houve um ato de união e de sucesso com as mãos sobrepostas  do prefeito, da prefeita regional, de Cândida e de Eziquiel. Mas, naquele momento e local,  o prefeito Dória não tinha ideia da dimensão da obra, junto às  pessoas que buscavam se aproximar dele.

OS CUSTOS ALTOS === Nesta reunião aguardava-se uma presença mais efetiva dos moradores daquele trecho do Parque Vitória, que não compareceram por causa da chuva que caiu na cidade e o deslocamento até o prédio da prefeitura regional, às 17 horas. As explicações do engenheiro Felix foram claras e objetivas: “é um alto investimento vultoso”.  O valor da obra chega hoje a 3 milhões e 190 mil reais. Só o projeto com o mapa e descritivo das obras já pago pela prefeitura na gestão anterior foi de 125 mil reais. E explicou que a obra precisa ser novamente licitada e deverá ter o contrato de pelo menos 20 anos de garantia da construtora vencedora. Com isto, ele inviabilizou a ideia de buscas por empresas para doações de material e lembrou que o muro de contenção de 350 metros terá o uso de aproximadamente 726 metros cúbicos de concreto, o que significa 120 caminhões. O engenheiro calcula o custo pela metade destinado ao material e a outra à construção (mão de obra e equipamentos). Logo no começo do local, junto ao muro do Mural de Arte Urbana (MAR), onde foram feitos os grafites, tem um muro de contenção com base de pedras tipo paralelepípedo que foi construído pelo Metrô/Shopping Tucuruvi em parte da compensação ambiental.

OBRA PAROU E REENCAMINHAMENTO === Mas foi lembrado que na gestão de Fernando Haddad, durante o período do Subprefeito Carlos Roberto Candella, em 2014, o projeto já tinha sido aprovado em torno de 2 milhões de reais. O assunto estava na Secretaria de Infraestrutura Urbana – SIURB, mas a Subprefeitura não correu atrás e a verba ficou congelada. Portanto, já era para a obra ter sido inaugurada na gestão anterior. O que sobrou foi o calhamaço de papéis de ida e volta nos gabinetes. Agora, não há dinheiro previsto para o orçamento deste ano. O caminho é reencaminhar o processo já com o orçamento do novo governo, prevendo as obras somente para o ano que vem. O novo orçamento deve começar a ser encaminhado a partir de agosto.  Segundo reconhece a vice-presidente do CONSEG Vila Gustavo – que conhece a história do local há 35 anos, quando ali foram plantadas mais de 120 árvores, “é necessário que os moradores se unam para não deixar o assunto na gaveta e brigar por ele, com abaixo assinado e apoio de muita gente”. Depois das explicações do engenheiro e tiradas todas as dúvidas, deslizando os dedos em cima do grande mapa, resta agora esperar o encaminhamento do assunto.

OUTROS ASSUNTOS ==  O momento foi aproveitado também para tirar dúvidas com as explicações claras do engenheiro Félix. Falou-se da duplicação da Av. Dr. Antonio Maria de Laet – onde antigamente era o caminho do trenzinho da Cantareira e onde havia um córrego – que recebeu o plano de estender o Metrô da Linha Azul tendo como terminal a Estação Jaçanã – onde posteriormente haveria o prolongamento até Guarulhos. Nada disto tornou realidade. Como também há o plano de trazer o Terminal de Ônibus no Tucuruvi (com plano envolvendo a compensação do Shopping Metrô Tucuruvi), que continua no papel com a planta  da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo S/A –EMTU – do lado de Guarulhos houve progresso com o corredor de ônibus atingindo a Vila Nova Galvão – assista o vídeo do que foi construído até agora – clique: http://bit.ly/2saVR2k . Do lado de São Paulo, não há previsão. Houve também explicaçõessobre as condições da Av.Comandante Antonio Paiva Sampaio, que tem necessidade de novo asfalto e um terreno à mercê de ocupação de Sem Teto.

Vem pro Lar Center

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here