Parque Novo Mundo, Subdistrito da Vila Maria, Zona Norte de São Paulo. Rua Lídice, próximo da Marginal do Tietê,  CEP 02174-010. Os dias ali já foram piores, hoje ainda precisa de muitos acertos para a comunidade que foi assumindo as ruas e construindo as modestas habitações.  Muita gente nem mesmo sabe o que significa Lídice, que foi nomeada na rua pelo Decreto 16.727 de 20 de junho de 1.980 – há 37 anos – no governo do prefeito Reynaldo de Barros, que aproveitou para definir os nomes de 20 logradouros na época Conjunto Promorar.  São anos de muitas vidas se misturando na vizinhança e até criando novas famílias.

Os contrastes  === Mesmo com a falta de melhores condições de equipamentos de saúde, de educação, de creches, de lazer, de transportes e outras ações sociais, a região do Parque Novo Mundo não passou por uma situação da distante Lídice, hoje uma cidade moderna e reconstruída ao lado do antigo povoado, do mesmo nome, que foi apagada do mapa da antiga Tchecoslováquia – hoje República Tcheca – por ordem de Adolf Hitler, na II Guerra Mundial – veja a história abaixo.

As homenagens == Milhares de quilômetros separam o Parque Novo Mundo da Europa Central, onde a cidade está a quarenta quilômetros de Praga, a capital tcheca. Mas essa rua na cidade de São Paulo é um reconhecimento ao povo tcheco, como foram na época outras homenagens pelo mundo todo que solidarizou-se com o absurdo das mortes da população de Lídice.

No Brasil, ainda há duas cidades com o nome Lídice:  antiga Santo Antonio do Capivari, no sul do Estado do Rio de Janeiro, a 170 quilômetros da capital, próximo a Angra dos Reis; e outra cidade pequena (10 ruas) e muito simples no sul da  Bahia, às margens do Rio Alcobaça. Ainda tem um bairro com o nome Lídice,  em Uberlândia (MG).  Há registrados nomes de mulheres como Lídice, que é o caso da primeira senadora baiana, Lídice da Mata e Sousa (PSB-Partido Socialista Brasileiro).

Ideias e apoio da Prefeitura Regional === Buscando criar um maior vínculo do Parque Novo Mundo com o seu país, a Cônsul-geral Pavla Havrliková,  da República Tcheca em São Paulo, esteve reunida com o Prefeito Regional da Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros, Dário José Barreto, que aconteceu no prédio da prefeitura regional, na 5ª feira (06/04/2017). Junto à cônsul compareceu a auxiliar e artista plástica Maria Luiza Camargo, com um português mais dinâmico, fazendo um histórico dos acontecimentos através de livros tchecos, ilustrados com muitas fotos da época. Representando o Secretário Municipal de Relações Internacionais, Júlio Serson, compareceu o Assessor e Conselheiro Felipe de Campos.

Um novo tempo === No Parque Novo Mundo haverá nova homenagem à cidade tcheca, com ações sociais do governo daquele país. “Um pedacinho em memória de Lídice e de nosso país aqui em São Paulo”, classificou a cônsul. Segundo ela se fez entender no português ainda não fluente, o lugar poderá registrar um novo tempo com o mesmo exemplo na reconstrução de esperanças e busca da felicidade, mesmo com as dificuldades. Apesar da história ser muito triste, a cidade de Lídice foi recriada e, ao lado onde ficava o povoado, casas foram reconstruídas e ficaram as homenagens do mundo todo. Um exemplo de persistência ao moradores do Parque Novo Mundo.

O local == Depois de uma conversa de uma hora, a convite do prefeito regional, a cônsul Pavla dirigiu-se ao local próximo da Av. Tenente Amaro Felicíssimo da Silveira – atrás da Transportes Della Volpe – não muito distante da Av. Movan Dias de Figueiredo e da Marginal Tietê – do outro lado fica o Sport Club Corinthians Paulista. “Que praça bonita”, foi a primeira reação da cônsul ao desembarcar de seu carro diplomático, um Audi alemão. Sem muita grama, com algumas árvores, mesinhas e bancos de concreto – além de um pequeno espaço com aparelhos de ginástica para terceira idade – a praça é bem simples, mas com muito carinho pelos moradores e agora a fã tcheca. Registra-se naquele local algumas manifestações com bailes funk, nos finais de semana.

Comunidade abraça o projeto  === O jovem líder comunitário Jefferson Eloy, mais conhecido como Nilo, foi apresentado à cônsul e houve uma reciprocidade de gentilezas entre eles. E chegou-se a traçar ideias e planos para a rua Lidice —  e agora também a praça. O prefeito regional Dário José Barreto se prontificou em dar todo o apoio ao projeto e facilidades para a transformação da praça e melhorias na Rua Lídice e região. “São projetos que vamos colocar em nosso planejamento”, disse ele. A intenção, no primeiro momento, é plantar rosas vermelhas na praça – como aconteceu na Lídice da República Tcheca, onde vários países ofertaram a decoração de um grande espaço – e a inauguração de uma placa em homenagem.

Nova praça e exposição de fotos  === Tudo será planejado para acontecer em 10 de junho  (sábado), quando estará sendo completado 75 anos do trágico acontecimento na cidade europeia de Lídice. Um mês antes, em  junho,  está sendo programada uma exposição com painéis de fotos históricas e atuais da cidade de Lídice, que será inaugurada na entrada do prédio da Prefeitura Regional de Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros, próximo da Praça de Atendimento. Com o apoio do DiárioZonaNorte  será feita a divulgação, junto os preparativos de convidados e personalidades aos dois eventos.

Mais um espaço cultural e esportivo  === Após a visita da Rua Lídice e da praça, a cônsul ficou surpresa com o deslocamento até a quadra próxima, da Rua Limonges, onde há um grande terreno da Prefeitura de São Paulo, que está servindo de campo de futebol em chão batido na terra, sem grama, onde as crianças e jovens tem a prática esportiva. Dali saiu o jogador do Corinthians e da Seleção Brasileira, Paulinho, que hoje joga no futebol chinês. Um morador ao lado do campo de futebol aproximou-se da comitiva e foi reconhecido como o “vigia do local”. E na sua simplicidade, ao lado do líder comunitário Nilo, disse que “há trinta anos que cuidamos deste espaço, nós que limpamos e transformamos em campo de futebol”. O prefeito regional disse que o terreno poderá ser concedido por empréstimo em comodato por 30 anos à comunidade,  podendo ser renovado por igual período, com o apoio e instrutores dos projetos sociais da Escola de Samba Unidos de Vila Maria. A cônsul viu neste projeto mais um ponto para homenagem à cidade tcheca de Lídice, que poderá receber projetos esportivos e culturais de seu país.

Planos == Depois de uma hora no local, a visita foi encerrada. Houve tempo da cônsul ser convidada pelo líder comunitário Nilo para ir ao bar e mercadinho na esquina da praça para conhecer “o pessoal da região”. Gentilmente foi ao espaço e cumprimentou a todos. E, em seguida, deixou o local com alegria e planos para desenvolver as ideias. Há inclusive um concurso internacional de desenhos para crianças do mundo todo, com o tema de Lídice, que poderá ter as participações das escolas do Parque Novo Mundo.

Um pouco da história == O pacato lugarejo tcheco de Lídice (em tcheco se pronuncia Lidítia) –  com menos de 5 kms de área e cerca de 24 kms da capital Praga —  vivia seus dias com a pequena população no trabalho de campo. Nunca imaginaria chegar a triste história em 10 de junho de 1942 – vai completar 75 anos – no período da II Guerra Mundial. A cidade caiu nas mãos cruéis e vingativas de Hitler, que apagou do mapa o lugarejo. O extermínio de Lídice foi ordenado pelo ditador alemão após atentado que matou o nazista Reinhard Heydrich, o “Carniceiro de Praga” – de grande confiança de Hitler, o seu braço direito. O carro do alemão foi atacado e ele morreu após duas semanas em hospital.  O ódio do ditador alemão ocasionou várias execuções em massa. Calcula-se pelo menos 5 mil pessoas foram assassinadas no dias e meses posteriores.

Um destino cruel foi determinado para o povoado de Lídice. Hitler decretou o extermínio do lugar, quase 200 homens foram executados, das 98 crianças deportadas, 82 foram exterminadas no campo de concentração nazista. E das 196 mulheres deportadas, 50 morreram asfixiadas. As casas foram demolidas, uma a uma. Os tijolos foram transportados pelos prisioneiros de guerra e reaproveitados pelos nazistas em outras construções.

Atualmente o local se transformou em um enorme parque com um pequeno museu revendo a triste história e preservando fotos e filmes da época. Ao lado deste terreno — com gramado, jardim de rosas,  esculturas e bancos de madeira – a Nova Lídice, tem suas casas e ruas bem limpas e modernas, mas sempre na lembrança do que aconteceu no passado. No meio do terreno da antiga Lídice, há 82 esculturas de crianças em tamanho natural e criadas uma a uma, separadamente,  criadas entre 1969 e 1981 pela artista tcheca Marie Uchytilova e tornadas bronze entre 1993 e 2000.

Através de doações foi criada a Galeria Lídice, com mais de 400 obras de artistas plásticos de cerca de 30 países, incluindo uma tela do brasileiro D. J. Oliveira – (D. J. Oliveira -Dirso José de Oliveira nascido em Bragança Paulista. Interior de SP, em 1932  e falecido em Goiânia em  2005). Pintor, gravador, cenógrafo, figurinista e professor).  Foi durante uma exposição no Rio de Janeiro, em 1966, que através do Conselheiro Cultural da Tchecoslováquia, encomendado um painel para integrar o acerto do Museu da Guerra, da cidade Lidice para sempre traumatizada pela indescritível brutalidade nazista durante a ocupação do país. D.J. Oliveira  realizou a obra pouco depois, já em Goiânia, e a enviou ao seu destinatário final, onde até hoje se encontra, ao lado de obras de Picasso e de dezenas de outros artistas de nosso tempo. E não deixa de ser curioso observar que deste painel não tenha restado no Brasil sequer um registro fotográfico. Enfim, para quem conhece a simplicidade e a modéstia do personagem, sua total aversão à notoriedade, o descuido não chega a surpreender demais. Ainda em memória às crianças de Lídice, o governo tcheco desenvolveu um roseiral, que contou com envio de contribuições  e das flores de várias partes do mundo.

Pavla Havrlíková  === Cônsul-geral em São Paulo, com 45 anos (05/07/1972), nascida na cidade de Teplice – República Tcheca. Além da língua tcheca, fala português, espanhol, inglês e francês. Licenciatura em Economia pela Faculdade de Relações Internacional da Universidade de Economia de Praga. Desde 1997 com carreira diplomática internacional, junto à União Européia, Madri (Espanha), chefe da Unidade de Relações Externas , Negócios Estrangeiros e, desde 16 de julho de 2015, Consulado da República Tcheca em São Paulo. Passatempos:  Ciclismo, flamenco, viagens e  fotografia.

Na jurisdição do Consulado Geral da República Tcheca em São Paulo encontram-se os seguintes Consulados Honorários: Rio de Janeiro, Vitória, Porto Alegre, Belo Horizonte, Foz do Iguaçu, Blumenau e Batayporã (Mato Grosso do Sul).

Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário da República Tcheca, em Brasília:  Jiří Havlík.

VÍDEO ===  A Embaixada da República Tcheca em Brasília apresenta o novo vídeo com legendas em português:    http://bit.ly/2oAIs14

 

 

aniversario bergamini

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here