da Redação/DiárioZonaNorte

É reviver um passado não muito distante no mesmo Salão de Eventos do Parque Vila Guilherme-Trote (PVGT), onde há três anos estava lotado de mesas e um jantar de apresentação do Revelando São Paulo.  Era 2014 e tudo era alegria e satisfação por estar diante da continuidade do megaevento das tradições paulistas. Mas, infelizmente, foi o derradeiro – apesar das tentativas de retomá-lo no mesmo lugar. No ano seguinte, foi realizado em Valinhos, uma cidade interiorana próximo da capital. Não deu bons resultados.

O tempo passa, mas as memórias ficam impregnadas de lembranças do local. Pratos de uma culinária rica de sabores e de uma musicalidade diversificada  até nas entonações e palavras acaipiradas.  Mas o agora é o vigor e a experiência de uma pessoa que gravita pelo profundo conhecimento do que vem realizando há muito tempo e ainda tem muito para oferecer.

UMA REUNIÃO DE ACERTOS ===  Foi assim que neste sábado (30/09/2017) aconteceu uma importante reunião de esclarecimentos e de pedidos de união com colaboradores, em uma coincidência de datas e fatos, que se atropelam em aniversários de Vila Maria, de Vila Guilherme e de passagens históricas do Revelando São Paulo, que neste período tradicionalmente era para estar sendo realizado durante os 10 dias e acolhendo quase 2 milhões de pessoas.

MUITOS PEDIDOS DE RETORNO === Os tempos são outros. E a organizadora Abaçai responsável pelos inúmeros eventos  já realizados na capital – sem contar os demais pelas outras cidades – já não é a dona absoluta da situação, dependendo agora da Associação Paulista dos Amigos da Arte (APAA) que detém os direitos ganhos em  um chamamento da Secretaria Estadual da Cultura, no ano passado,  mas que não tem a experiência (know-how) nas montagens de um festival no porte do evento.

E o “Revelando São Paulo” fincou no tempo e no espaço sua importância no Calendário Oficial de Eventos e também o reclamo dos moradores da Zona Norte/Nordeste – especificamente da região da Vila Guilherme/Vila Maria – e dos milhares de assíduos frequentadores de outras regiões e cidades – só de participantes chega a 180 municípios do interior – até de outros estados.

Houve uma avalancha de pedidos e comentários para o  “Volta Revelando” que entupiram os computadores da Secretaria Estadual da Cultura e do governo.

TUDO REDUZIDO === Estudou-se a possibilidade de voltar com o evento a partir deste ano, mas em São José dos Campos; e no ano que vem haveria uma chance de vir para a Vila Guilherme. Neste período, aconteceu a intervenção do Secretário-adjunto Romildo Campelo,  que bateu o pé na realização na capital, ainda neste final de ano. E assim está sendo feito deste modo, tendo o idealizador e mentor do evento, Toninho Macedo, à frente do “Revelando São Paulo”, mas como “curador”, ou seja, o zelador de todo o histórico do festival e da infraestrutura.

Mas os recursos são outros e com a verba menor do que as disponibilidades dos anteriores, caindo dos 1,2 milhão para 900 mil reais. Além do menor tempo do evento, caindo para cinco dias – metade do que era nos anteriores. <<Mais detalhes nas reportagens do DiárioZonaNorte – clicar no link: http://bit.ly/2xREGp2

OS PRESENTES === Toda esta situação motivou a reunião de Toninho Macedo convocando os moradores, empresários, entidades e expositores para um encontro sobre o que ocorre nos bastidores. Através de dois fortes aliados ao retorno do evento, Beto Freire e Betô da Casa Shiva, em poucos dias nesta semana foi organizada a reunião.

Muitos telefonemas, e-mails e mensagens via WhatsApp trouxeram esperanças e apagaram as dúvidas. E no local esteve presente o prefeito regional de Vila Maria/Vila Guilherme/Vila Medeiros, Dário José Barreto, que  posicionou-se com as boas vindas de retorno do “Revelando São Paulo” e “de ajudar no que for possível”, mas lembrando “que a Prefeitura não tem recursos, neste ano, e  muitos assuntos não  são de sua competência”.

OUTROS SEGMENTOS === Nas cadeiras que fizeram um circulo em frente ao curador do evento, alguns representantes de vereadores e deputado estadual, além da Supervisora do PVGT,  Karen Ikuta – que abriu o local para a reunião – de Conselheiros Participativos, do Conselho Gestor do PVGT e do CADES.  Houve um clima de alívio dos expositores na realização do evento e com a possibilidade de ajuda ao evento.

POUCA GRANA === O básico de toda a conversa, sem mais e com muito menos, resumidamente demonstrou que o evento acontecerá, mas precisará de mais empenho de todos. “O dinheiro está curto e haverá necessidade de corte de muitos detalhes”, adiantou Toninho Macedo. Todos os expositores deverão cuidar de sua estadia no evento, ou seja, cuidar do colchão de ar (guardado de outros eventos), a limpeza e organização do espaço onde dormirão e, de um modo geral, tudo que for possível em colaboração com o evento. Com ajuda na cozinha e no material.  Tudo estará reduzido na infraestrutura de serviços.

MAIS COLABORAÇÕES === E, ao mesmo tempo, o curador do evento incentivou que seja propagado a todo mundo, principalmente às empresas, empresários e comerciantes que colaborem, desta vez, com o “Revelando São Paulo”, doando material e patrocinando os serviços internos – até expor sua marca ou logotipo. Até mesmo mantimentos poderão ser doados por comerciantes ou supermercados. “Está tudo aberto para conversas e patrocínios criando oportunidades para ajudar o evento e ter retorno”, acrescentou Toninho Macedo. Junto ao detalhe das colaborações, Toninho Macedo lembrou que o “Revelando São Paulo” nunca cobrou ingresso – não busca lucros —  e apresenta um evento popular com preços de produtos baixos – com uma variedade enorme de apresentações musicais de tradição e outros atrativos. E fez comparação do que se tem em outros eventos – e até foi lembrado por um morador a recente inaugurada Oktoberfest no Anhembi.

FORA OS ANIMAIS === Toninho ainda explicou que não haverá animais durante o evento, como aconteceu anteriormente, nem mesmo carros de boi. Há  despesas muito grandes com o transporte deste animais, as condições e cuidados com veterinários, até mesmo com as altas despesas com a alimentação.

“Não tem cabimento economizar de um lado, e ter despesas extras, de outro. Temos que ser radicais, pelo menos neste momento”, sentenciou Toninho. Quanto à ajuda dos expositores, houve concordância geral e muitos começaram a oferecer um jeito ou outro de apoio. “Tenho um caminhãozinho, tipo VUC, que posso emprestar para serviços aqui, pode circular sem problemas”, avisou um deles. Outros se ofereceram para ajudar de formas diversas.

CARTAZ PARA SE VER === O curador do evento adiantou que na semana estará pronto o cartaz do evento, que poderá ser afixado em vários locais, com a ajuda de todos os expositores – além do material que poderá ser disponibilizado para veiculação nas redes sociais. Toninho enfatizou a grande importância de divulgação para, deste modo, abrir mais conhecimento e possibilidades de colaborações. Ao mesmo tempo, mostrou a importância da formação de um grupo de moradores da região para obter apoio de empresas e entidades.

NO SÁBADO, NOVA REUNIÃO === Ficou acertado que no próximo sábado (07/10/2017) haverá nova reunião no mesmo local com os moradores e representantes da região – sem a necessidade da vinda de expositores de outras cidades — , a partir das 10 horas. Nesta oportunidade, o grupo de apoio da Abaçai trará as principais necessidades para colaboração com o evento e receberá as indicações de ajuda da região. Espera-se o comparecimento de representantes de empresas, entidades e do comércio para viabilizar ações de patrocínio junto ao evento.

Ficou acertado também sobre a formação de um grupo especial de moradores para atuar junto com os representantes da Abaçai, que também participarão  durante o “Revelando São Paulo”.

OUTROS ANOS, NOVAS EDIÇÕES === Segundo demonstrou Toninho Macedo, o bom andamento desta edição de retorno do “Revelando São Paulo” possibilitará a permanência nos próximos anos. “Eu não quero atravessar o rio para vir para cá, como já fizemos; agora, eu quero é ficar aqui, na Zona Norte, na Vila Guilherme”, acrescentou. Mas algumas fontes informaram que o terreno particular do MartCenter pode fechar um acordo, como foi desta vez, mas a situação no ano que vem poderá trazer complicações e inviabilizar uma nova edição do evento. Já houve situações anteriores que esse terreno esteve em cogitações e especulações para construção de condomínio ou até um shopping – apesar de apresentar problemas no solo.

Um morador lembra que o ano que vem será voltado para as eleições, quando o governador deverá deixar o cargo para ser candidato à presidência e, consequentemente, com mudanças nas secretarias de governo. O que pedirá outras gestões até no governo municipal para garantir uma nova edição do “Revelando São Paulo” em 2018. E viver agora para buscar soluções no ano que vem…


 

Organicos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora