Santos é a  maior e mais famosa cidade litorânea de São Paulo.  Nos 7 km de praias santistas encontra-se o maior jardim contínuo do mundo. O jardim de Santos, em estilo eclético, entrou para o Guiness World Records no ano 2000 como o jardim frontal de praia de maior extensão do mundo e no ano de 2010 foi tombado pelo Condephaat.

Os nomes das praias de Santos variam de acordo com os bairros, separados por característicos canais que cortam toda a cidade: José Menino, Pompéia, Gonzaga, Boqueirão, Embaré, Aparecida e Ponta da Praia. A Baía de Santos com seus morros e ilhas e os navios aguardando a entrada no porto complementam a paisagem.

Museu do Café === Nem só de praia vive  Santos. A cidade  oferece uma série de atividades de entretenimento.  Entre elas, está uma visita ao Museu do Café. Além da oportunidade de experimentar uma bebida de excelente qualidade, é possível conhecer mais sobre as particularidades relacionadas ao cultivo do grão e à sua história.

Por lá, as degustações acontecem durante a visita ao espaço, no Centro de Preparação do Café (CPC), em quatro horários: 10h30, 12h, 15h e 17h. O atendimento é feito por um barista, profissional especialista na preparação da bebida.

Os participantes têm a oportunidade de degustar três tipos de café gourmet, de alta qualidade, no tradicional modo de preparação em coador, muito comum nos lares brasileiros, e aprender um pouco mais sobre as características e peculiaridades de cada grão.

Parque Estadual Marinho da Laje === Quem é apaixonado pela natureza, a cidade conta com o Parque Estadual Marinho da Laje. O local, único parque marinho do Estado, foi criado em setembro de 1993 com uma área de proteção integral com 5 mil hectares que concentram uma grande diversidade de espécies marinhas, como tartarugas Verde e de Pente, cavalo marinho, golfinhos e até mesmo baleias.

O Parque é aberto à visitação e constitui um local de desenvolvimento de atividades de educação ambiental e científicas, proporcionando contato direto com os diferentes ecossistemas marinhos que ainda podem ser conhecidos e compreendidos. Composto por costões rochosos e formações coralíneas que proporcionam um ambiente propício à concentração de peixes de passagem e recifais com grande diversidade biológica.

Museu da Pesca === Ainda voltado à natureza, Santos tem o Museu de Pesca – idealizado para atender crianças, jovens e professores, utiliza diferentes recursos lúdicos e pedagógicos para mostrar, divertindo, diferentes faces do ambiente aquático (sobretudo o mar) e a interferência do Homem sobre esse ambiente.

Para o grande público, a principal atração é um imponente esqueleto de baleia, da espécie Balaenoptera physalus, com 23 metros de comprimento e sete toneladas. Além deste, o acervo possui esqueletos de outros animais aquáticos, peças biológicas empalhadas, representação de quatro ecossistemas marinhos do litoral paulista, uma lula gigante (com cinco metros de comprimento e 91 quilos, único exemplar exposto no mundo) e várias espécies de tubarões

Monte Serrat ===  Monte Serrat é cartão postal de Santos. Um dos pontos mais altos da cidade, com 147 metros acima do nível do mar, proporciona uma das mais belas vistas da cidade. Do seu mirante é possível ter uma visão completa do Porto, parte dos morros que cercam Santos, o Canal de Bertioga, o Estuário e as Ilhas Barnabé e de Santo Amaro.

O sistema funicular de bondes, planejado em 1910, foi construído em 1923, e o complexo, incluindo um grande cassino, foi inaugurado em 1927. Hoje, o Cassino está completamente reformado e sedia eventos e festas promovidas pela sociedade santista. Ainda conta com lanchonete e equipamentos de lazer para as crianças.   No alto do Monte também está a Capela de Nossa Senhora do Monte Serrat, padroeira da cidade, uma das atrações históricas da cidade, datada de 1603.

Igreja de Nossa Senhora do Carmo e e Capela da Ordem 3ª de N. Senhora do Carmo ==  Construídas a partir de 1760 e tombadas pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, são consideradas o mais belo conjunto arquitetônico colonial de Santos, composto por duas igrejas entrepostas por uma torre de sinos revestida de azulejos portugueses.  A igreja de Nossa Senhora do Carmo possui altar-mor em estilo rococó folheado a ouro e altares laterais esculpidos em jacarandá. Abriga inúmeras imagens antigas, além de obras de Benedito Calixto. No pátio externo, o cruzeiro antigo, chamado Marco dos Evangelistas, foi retirado da antiga Rua da Cruz. A Capela da Ordem Terceira de N. Senhora do Carmo, anexa à Igreja do Carmo, data de 1870. Em 1941 sofreu um grande incêndio que destruiu o altar-mor, mais tarde reconstruído segundo fotos. De primitivo, ela conserva a Pia Batismal, de 1710. O conjunto barroco dos altares laterais, representando a via sacra, é considerado o mais importante do litoral paulista.

Fortaleza de Santo Amaro  ===  Construída em 1584 para defender o Porto de Santos, por ordem de Felipe II, rei da Espanha, quando Portugal e suas colônias estiveram sob seu domínio.  Foi tombada em 1967 e mais tarde restaurada pela Universidade Católica de Santos. Também conhecida como Fortaleza da Barra Grande, é considerada o maior monumento histórico-militar do estado e constitui um marco da arquitetura colonial espanhola no Brasil.  Os canhões da Coroa Portuguesa utilizados na defesa de Santos contra ataques piratas hoje estão espalhados por museus do país – um deles pode ser apreciado no jardim do Museu de Pesca – e o que se pode ver na Fortaleza é uma réplica em fibra de vidro do original, um Armstrong, 24 libras, inglês, modelo 1722, com reparo napoleônico. No interior da Capela, que foi erguida nas instalações da antiga Casa de Pólvora, há um grande painel montado com 350 mil pedras coloridas, última obra de Manabu Mabe. Devido à localização privilegiada, da Fortaleza se pode observar o movimento de navios rumo ao porto e toda a Baía de Santos.   << com apoio de informações/Governo do Estado de São Paulo>>

aniversario bergamini

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora