“Aqui, não olhamos o retrovisor. Olhamos sempre para frente. Procuramos oferecer respostas rápidas para a população. Se não resolvendo, pelo menos amenizando problemas que se encontram aqui há anos.”  A frase dita pelo prefeito regional Alexandre Pires, na última 4ªfeira (26/07/2017) para uma platéia de cerca de 60 pessoas, entre eles empresários e comerciantes da região, deu o tom da reunião que fez um balanço dos seis primeiros meses de governo à frente da Prefeitura Regional Jaçanã/Tremembé.

O local escolhido para a reunião foi o recém criado auditório, no andar térreo do prédio da Prefeitura Regional Jaçanã/Tremembé.  Sempre de pé,  em frente  a uma parede que serviu como tela para ao power point, fez uma prestação de contas, apresentando números impressionantes: serviços de tapa buraco contemplaram  4.527 buracos distribuídos em uma área de  35.214 m²;  conservação de logradouros atingiu a extensão de  1.683 metros (guias e sarjetas).

Números === Alexandre Pires também falou sobre a  construção e recuperação de sarjetões na região. Foram exatos 217 metros.  O leigo pode pensar “E daí?”. Calma…  a gente explica.  O sarjetão é uma importante solução urbana para microdrenagem.  Ele  tem sua estrutura em cimento e concreto e além de conectar as vias públicas, auxiliam na drenagem direcionando as águas da chuvaEm uma região com problemas pontuais de enchentes, os números apresentados são muito positivos.

Também houve um trabalho intenso de reconstrução de calçadas.  O planejamento das ações leva em consideração principalmente  a questão da acessibilidade e do fluxo de pessoas.  Em seis meses foram 749, 6 m²

Foram limpas  737 bocas de lobo e 170 bueiros (também chamados pontos de visita), através do processo de microdrenagem mecanizada.  Também foram limpos mecanicamente 2.484 metros de ramais e 1.522 metros de galerias.

O trabalho é realizado com um caminhão de hidrojato emprestado e  o serviço consistiu  na limpeza do interior das caixas coletoras (bocas de lobo), por jateamento de água sob pressão, fazendo  a desobstrução da boca de lobo.  Na sequência, é feita a sucção dos resíduos jateados, para o interior do reservatório do caminhão.   Em seis meses, foram retiradas 52.600 toneladas de resíduos.

De forma manual, foram limpos cerca de 6 mil bocas de lobo e recolhidos 120.353 kg de resíduos. Também foram reformadas 576  bocas de lobo e 52 bueiros (pontos de visita).  Foram inspecionados 47,5 metros de galerias e reformados outros 120 metros.

Enchentes === O prefeito regional Alexandre Pires tem uma preocupação constante com enchentes e trabalha pesado para reduzir ao máximo os  danos na região.  O cuidado também envolve os muitos rios e córregos da região, que chegaram a ficar mais de dez anos sem serem limpos. Em seis meses, foram limpos 57.113 metros de margens e 13.278,4 m² , resultando em  58,6 toneladas de resíduos.

O cata-bagulho recolheu 3.789 toneladas de detritos. Também funciona na região um ecoponto móvel, projeto piloto da Prefeitura Regional de Jaçanã/Tremembé e Inova, que de acordo com um calendário mensal, fica parado  em locais  pré-estabelecidos, para recolher material de descarte da população.

São Paulo até São Bernardo === Foram executados 25.200 km de varrições, quase a distância entre São Paulo e São Bernardo do Campo.   Também foram pintados e limpos 631 postes, com a retirada de propaganda ilegal.  “Vó Toninha, que prometia trazer o amor em três dias foi multada. Nossa funcionária Dani, se passou por consulente, e conseguimos localizar o endereço da vó”, disse Alexandre Pires, levando a platéia às gargalhadas.

Foram roçadas praças e áreas verdes, atingindo a extensão de  130.700 m²  e plantadas 102 árvores na região. Também é mérito da Prefeitura Regional Jaçanã/Tremembé, a criação do Viveiro Flamboyant – no Tremembé.  Do local sairão mudas que vão abastecer as áreas públicas da região.

O pontos viciados de  lixo também foram tratados de forma criativa, sai o lixo e entram pneus coloridos, fazendo as vezes de vasos e revitalizando o local.

Asfalto Novo === E, no final, fez algumas considerações sobre pavimentação e o programa que em breve deve ser implantado pelo prefeito João Dória, chamado “Asfalto Novo”, que beneficiará a região.

Alguns dos comerciantes, manifestaram contrariedade quanto às ciclovias. “Não somos contra. Mas elas foram mal planejadas”, disse um dos presentes.   Alexandre Pires informou aos presentes que as ciclovias são objeto de estudo da gestão João Dória.

Madrugando === Passados seis meses, Alexandre Pires continua indo dormir às 00h30 e levantando às 04h30.  “Temos muitas coisas para fazer”,  finalizou ele, sempre seguindo em frente e  sem olhar para o retrovisor….

A cobertura fotográfica completa pode ser vista  na fanpage do DiárioZonaNorte, clicando aqui.

 

 

aniversario bergamini

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora