da Redação DiárioZonaNorte ===

<<Exclusivo/Em primeira mão>> ===  “Mais um! Meu Deus do Céu! É brincadeira, não é? Querem destruir a Zona Norte e já estão acabando com o pouco que tem em Santana”, batendo a mão na testa,  este foi o comentário de bate-pronto do presidente da Associação Viva Ben Zacki (AVBZ) – que faz as ações sociais dentro do Cingapura Zacki Narchi –, Bento Inácio dos Santos, ao saber que ao lado está sendo construído – a todo vapor —  mais um Centro Temporário de Acolhimento (CTA) pela Prefeitura de São Paulo, que será inaugurado na próxima 4ª feira (20/12/2017), com a provável presença do prefeito João Doria Júnior (PSDB).

O LOCAL JÁ TEM PROBLEMAS === Ao saber deste novo CAT, sem divulgação e sem consultas à comunidade, muitos moradores (e leitores) da região reagiram negativamente do mesmo modo que o presidente da AVBZ.  Todos alegam que na região  já funciona o  Centro de Acolhida Zaki Narchi para moradores de rua, inaugurado em julho de  2014, dividido em três:  Zacki-1 (500 vagas),  Zacki-2 (200 vagas) e Zacki-3 (200 vagas), no total de 900 acolhidos entre masculino e feminino. Naquele local, há muito espaço de terreno para expansão, mas o problema maior é o pessoal que fica perambulando pelas redondezas. O horário de funcionamento é das 16 horas até 8 horas da manhã do dia seguinte, o que proporciona um horário vazio para eles, sendo que alguns  chegam até usar drogas segundo relatos de leitores do DiárioZonaNorte.  No final da tarde e começo da noite, alojam-se à frente do portão de entrada com fogueiras e produzem muito lixo no local.

UM LUGAR INADEQUADO === O presidente do Conselho Comunitário de Segurança-CONSEG da Vila Guilherme, José Maria da Rocha, que abrange a região, foi taxativo: “aquele lugar não é apropriado de jeito nenhum!”, acrescentando que os abrigos proporcionam um refúgio momentâneo, que podem fugir das ações policiais. E acrescenta que “criam um consulado da bandidagem e são protegidos”.  Já Antonio Henrique Fernandes, presidente do CONSEG de Vila Gustavo/Parada Inglesa —   uma região próxima – concorda com os mesmos argumentos e acrescenta que “a comunidade não foi ouvida e precisa ser avisada com antecedência”.

Uma posição unânime mostra que tudo acontece nesta região da Zona Norte, onde aumentou o número de desocupados e roubos, além do comércio e do consumo de drogas. Muitos argumentam que, “ninguém é contra ajudar essas pessoas  dando mais condições de vida”,  mas  há espaços nas Marginais e outros locais mais despovoados que poderiam ser ocupados.  Havia anteriormente um projeto para a construção deste mesmo CTA dentro do Parque da Juventude, que é território estadual, mas que foi debatido e  não aceito – o que poderia concentrar um problema dentro de uma parque público.

SEM COMUNICAÇÃO === Não houve comunicação antecipada, ou debate entre  membros  da sociedade civil, órgãos públicos e de segurança. Representantes da Policia Militar e da Guarda Civil Metropolitana desconhecem  e não foram ouvidos sobre a implantação deste CTA.   Algumas fontes deste jornal lembram que a região é propícia para novas ocorrências, já que está próxima do Shopping Center Norte, Novotel, Expo Center Norte, Instituto de Previdência Municipal de São Paulo – IPREM,  Terminal Rodoviário do Tietê, Campo de Marte, Anhembi e outros pontos – sem contar que à noite tem o lado degradado da Voluntários da Pátria – conhecido como “baixo Santana” -, com travestis e prostitutas, entre outros elementos. “O que deveria ser feito antes de tudo é colocar um olhar mais aprofundado nesta situação que enfrentamos”, acrescentou uma fonte.

O PRÉDIO E LOCAL NA AVENIDA === As obras tiveram início no começo do mês (04/12) com término programado para o dia 19, no número 153 da Av. Zacki Narchi , onde a Prefeitura Regional / Santana / Tucuruvi/ Mandaqui mantinha,  até o mês passado,  o Setor de Fiscalização e o depósito de carros velhos e abandonados que vão à leilão – agora transferidos para um terreno menor, ao lado. No movimento intenso do trânsito na avenida, quase ninguém percebe um prédio antigo, de alvenaria sem pintura, de cimento aparente, com um  andar  de  quatro janelas gradeadas dando à frente, junto ao portão de correr de azul escuro. Bem em frente, do outro lado da avenida,  há o Departamento Estadual de Investigações Criminais – DEIC. Há outros vizinhos que fazem companhia, na mesma calçada,  como  o Centro Especializado em Reabilitação – CER I – Tucuruvi (no antigo prédio da AACD), um grande  estacionamento de carros sucateados da Policia Civil, o Ecoponto de Santana e o Conjunto Habitacional  Cingapura Zaki Narchi.

QUEM RESPONDE É O SECRETÁRIO === Quanto à ocupação do terreno, a prefeita regional de Santana/Tucuruvi/Mandaqui, Rosmary Corrêa,  demonstra  que não teve participação na escolha do CTA naquele local e emitiu um comunicado por meio  de sua Assessoria de Imprensa informando que “ a escolha do local, doações para reforma e andamento da obra, assim como o funcionamento do CTA, ficam a cargo do atual Secretário das Prefeituras Regionais, Cláudio Carvalho, que anteriormente ocupava a pasta da Secretaria Especial de Investimento Social, que viabilizou o projeto “.

A OBRA  ===  Lá dentro,  atrás do  enorme portão de ferro recém-pintado de azul e sem nenhuma placa de identificação da obra (qualquer serviço público necessita de informações, por lei) trabalham cerca de 20 operários da Foris Engenharia para a construção do novo abrigo,  que funcionará 24 horas e terá capacidade para acolher 208 homens adultos em situação de rua e outras 158 vagas para idosos.

Segundo a Assessoria de Imprensa da Secretaria Municipal de Prefeituras Regionais (SMPR) respondeu aos questionamentos deste jornal enviados ao Secretário Cláudio Carvalho, “a finalidade do serviço é assegurar atendimentos com atividades direcionadas para o desenvolvimento da reinserção social, na perspectiva de construção/resgate de vínculos familiares e interpessoais”.

ESTRUTURA  ===  O CTA está sendo construído em um terreno próprio municipal e possui 1.200 m² dividido em banheiros; lavanderia; almoxarifado; quartos/alojamentos; bagageiro; espaço de convivência; espaços com iluminação e ventilação adequadas, limpeza e conservação e acessibilidade em todos os ambientes; quadra poliesportiva; canil; oficina de grafite; salas para veterinário e banho e tosa, recepção; sala e banheiro para funcionários; banheiro para deficientes (PNE); depósito; refeitório; cozinha; despensa; sala multiuso; sala de informática; administração; coordenação e  sala de técnicos.

Ainda segundo a Assessoria de Imprensa da SMPR, o local é próximo a Rodoviária do Tietê e da Avenida Cruzeiro do Sul, onde há alta concentração de pessoas em situação de rua. Informa ainda que “não houve chamamento público nesta parceria entre a PMSP e o Instituto Fomentando Redes e Empreendedorismo Social, já que a Organização da Sociedade Civil (OSC) referida tem experiência em acolhimento à população em situação de rua”.  E finaliza: “por uma questão emergencial não houve um planejamento de divulgação, já que a  implementação de algumas unidades surgiram de acordo com a necessidade”.

Assistentes sociais avaliam os abrigados a cada  três meses e definem quanto tempo mais poderão permanecer no local.  Enquanto estiverem  nos CTAs  recebem acolhimento, refeições,  roupas, atendimento médico, estabilização emocional e psicológica, treinamento profissionalizante, carteira de  trabalho e possibilidade de reinserção no mercado de trabalho.

TRABALHO NOVO  === O CTA  Zaki Narchi também  será um dos pontos de qualificação do programa “Trabalho Novo”.  Desde o inicio do programa, cerca de 1.500 pessoas foram contratadas por  75 empresas parceiras, com índice de 80% de retenção.

O programa Trabalho Novo é realizado por meio das secretarias municipais de Trabalho e Empreendedorismo (SMTE), de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) e da extinta Secretaria  de Investimento Social (SEIS), em parceria com a ONG Rede Cidadã, especialista em geração de oportunidade de trabalho para cidadãos vulneráveis socialmente. Após ter renda suficiente, os conviventes são encaminhados para o serviço de aluguel social da Prefeitura de São Paulo.

DOZE MIL VAGAS === Desde o início da gestão João  Doria já foram criadas mais de 12 mil vagas para moradores em situação de rua.  Até o fim deste ano, 15 Centros Temporários de Atendimento serão abertos na capital. Foram inauguradas unidades nos seguintes locais: Mooca, Butantã, Sé, Lapa, Santo Amaro, Brás, Aricanduva, Vila Mariana, Bom Retiro, Anhangabaú, Nove de Julho e a região Central será contemplada com outras três unidades no primeiro semestre de 2018.

SEM RETORNO === Os mesmos questionamentos foram encaminhados ao Secretário Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Felipe Sabará — que é o responsável pelas implantações dos CATs — ,  através da Assessoria de Imprensa, que até o começo da noite desta 6ª feira (15/12/2017) não retornou com as respostas. Sem sucesso, o mesmo ocorreu com a Supervisora Regional da SMADS, Vivian da Cunha Soares Garcia, que tem  a supervisão das ações na Zona Norte.

(*DZN)


 

sicredi_institucional

2 COMENTÁRIOS

  1. Boa noite ,fico indignado quando vejo acontecer esses descaso com a zona norte (Santana)uma região de São Paulo que sofre com esses administradores públicos municipais que são designados pelo prefeito para administrar,esses administradores quando são indagado de certas decisões tomada pelo poder publico municipal que ultimamente só tem prejudicado nos moradores nunca sabem dizer para os moradores prejudicados o porquê desta decisão e por qual motivo não houve uma consulta para os principais prejudicados ,comerciantes,moradores,empresários .,vamos deixar o poder publico municipal ate quando fazer o que quiser com a nossa Região Norte -Santana -São Paulo .

  2. Porque que esse tal CLAUDIO Carvalho não consegue um local próximo da residência dele. Hoje atualmente já existe essa preambulacao diária inclusive com consumo de drogas,bebidas e até sexo ao ar livre em frente às residências em torno da zaki Narchi. Portanto sr. Claudio não queira transferir o problema pra nos que pagamos impostos para ter direito de morar dignamente. Resolva o problema de outra maneira. Pronto contestei.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora