O prefeito de São Paulo, João Doria, e o secretário municipal de Cultura, André Sturm, apresentaram nesta 4ª feira (24/05/2017)  os projetos selecionados na primeira etapa do Museu de Arte de Rua (MAR), dedicado a valorizar e divulgar a arte urbana. O primeiro mural será pintado a partir de domingo (28/05) na Rua Moacyr Vaz de Andrade – continuação da rua Paulo de Faria, depois do Shopping Tucuruvi,  na Zona Norte/Nordeste — “murão” em frente ao Posto Petrobrás, na Av. Dr. Antonio Maria de Laet. O grupo escolhido é o Inclugraff, coordenado por André Lopes, do Coletivo O Olho da Rua, que terá o espaço no Tucuruvi.

Nesta primeira etapa, a Colorgin doará as tintas que serão utilizadas nos murais. O prefeitoJoão Doria ressalta a importância para a capital de parcerias com as empresas e se coloca à disposição de outros representantes da iniciativa privada que desejarem contribuir com a cidade.

O projeto MAR apoiará intervenções de grafite em paredes e muros de áreas públicas, com o objetivo de colorir todas as regiões da cidade. Nesta primeira etapa, as propostas foram selecionadas pela Secretaria Municipal de Cultura com a ajuda de especialistas e artistas atuantes em diversas vertentes da arte urbana a partir de um edital elaborado. Ao todo, serão investidos R$ 200 mil em oito projetos. Para este investimento, está aberto até 26 de maio um edital de chamamento para empresas privadas interessadas em apoiar esta iniciativa.

ARTE NA CRUZEIRO DO SUL == Lembrando que a Zona Norte/Nordeste em desde 2011, o Museu Aberto de Arte Urbana (MAAU) nas pilastras de sustenção do Metrô-Linha 1-Azul, na Avenida Cruzeiro do Sul. Os artistas-grafiteiros Binho e Chivitz lideraram os convites para 25 outros grafiteiros, que deixaram as marcas nas pilastras, que vão desde a Estação de Santana até próximo do Terminal Rodoviário do Tietê.

SELEÇÃO === A seleção foi realizada por meio de uma comissão composta por cinco membros: a artista e grafiteira desde 2002 Ana Carolina Meszaros do Amaral Rêgo, conhecida como Tikka Meszaros; Ciro Ernesto Shunemann, artista, pintor e escultor conhecido como Ciro Schu; Donizete de Souza Lima, artista e arte-educador também conhecido como Bonga; Roberto Carlos Madalena, professor com experiência em projetos do terceiro setor e Antonio Eleilson Leite, mestre em Estudos Culturais pela Universidade de São Paulo.

O grupo avaliou os 23 projetos inscritos, selecionando oito deles, sendo quatro em cada módulo previsto no edital. O Módulo 1, que contempla projetos de grupo de artistas ou coletivos artísticos com no mínimo seis integrantes, receberá o incentivo de R$ 40 mil. Para ele foram selecionados os seguintes projetos:

Arte na Cohab – Proponente: CI.TI.ADOS_Cidade e Tinta como AliadosLocal: Rua dos Pedreiros, 79 – Cidade Tiradentes

Inclugraff – Proponente: André Lopes – Coletivo O Olho da RuaLocal: Rua Moacyr Vaz de Andrade, s/nº – Tucuruvi

Linear Vertical Street Art – Proponente: Linear Vertical Street ArtLocal: Pilastras do Viaduto Aricanduva

Arte Oficial, na Barra Funda – Local: Muro público na Avenida Auro Soares de Moura Andrade, pertencente à CPTM e Estação de Metrô Palmeiras Barra Funda.

MAIS PROPOSTAS === Outras quatro propostas foram selecionadas para o Módulo 2 do edital, que contempla projetos de grupo de artistas ou coletivos artísticos com no mínimo três integrantes. Cada proposta receberá o incentivo de R$ 10 mil. São elas:

“Educação” Via Lata, de Vila Mesquita – Proponente: Vandré Luis de OliveiraLocal: EMEF Edgard Cavalheiro, situada na Rua Porto da Gloria, 342 – Vila Mesquita

Grafiti é Inclusão, de Ermelino Matarazzo – Proponente: Guilherme Barcelos de Lima – Coletivo OZ  – Local: Centro de Educação Infantil Jardim Verônica – Rua Rita de Souza, 30

Mural Daki, de Cidade Ademar – Proponente: Maycon Dany de ArautoLocal: Praça Christina Boemer Roschel – em frente ao AMA Jd. Icarai, Cidade Ademar

União das Favelas, Jaguaré – Proponente: Ivo Ferreira – Coletivo FavelaLocal: CEU JAGUARÉ – Professor Henrique Gamba | Avenida Kenkiti Simonoto, 80 – Jaguaré

Alguns projetos são compostos de atividades de formação e iniciação no universo do grafite. O projeto Linear Vertical Street Art, por exemplo, oferecerá um workshop no qual nove artistas desenvolverão trabalhos de grafite e darão orientação para o desenvolvimento dessa arte a outros interessados.

O Inclugraff terá 20 artistas participando das atividades de formação, sendo que cada um escolherá um aprendiz da própria comunidade para participar de todo o processo. O Mural Daki promoverá oficinas, debates e saraus para expor os trabalhos desenvolvidos.

O Grafite é Inclusão dividirá a ação em duas partes, sendo uma face do muro desenvolvida pelos artistas experientes e outra pela comunidade local, por meio de uma oficina. << Com apoio de informações/fonte: Secretaria Especial de Comunicação-Secom/PMSP >>

Natal 2017 CN

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here