Uma grande lona branca e outras menores, de apoio, estão montadas há alguns dias no Anhembi. Quem passa na Marginal fica curioso para saber o que vai acontecer ali. Está explicado: um circo internacional com muitas atrações.  Referência mundial entre os artistas circenses, evento já acontece há mais de 40 anos com edições em Países como França, Itália, Ucrânia e China, e recebeu mais de 350 inscrições de toda parte do mundo para a edição brasileira. A lona maior tem capacidade para abrigar 2.300 espectadores bem acomodados.

O maior espetáculo estará sendo apresentado com privilégio da Zona Norte da cidade. Respeitável público, apreciador da arte circense e espetáculos está confirmado para o Brasil e pela primeira vez em território nacional de 2 a 6 de maio em São Paulo, no Anhembi. É o  1st Cirque International Festival of Brazil Contest, nome da edição nacional, que estará sob uma das maiores lonas já vistas nos últimos tempos e trará grandes referências mundiais para compor o júri, como Eugene Chaplin, filho de Charlie Chaplin, atual presidente do Festival Internacional de Cinema de Comédia de Vevey e diretor do documentário “Charlie Chaplin: A Family Tribute”, entre outros espetáculos.

O evento é uma atração cultural inédita no Brasil, com apresentações abertas ao público. Além de ser uma grande oportunidade para os talentos brasileiros apresentarem seus números e compartilharem experiências únicas com os participantes que virão de outros países. “O festival é um acontecimento esperado há muito tempo no País. Um projeto que incentiva as atividades no segmento e expande a visibilidade da arte circense a um patamar com enorme qualificação”, afirma Jeferson Alexandre, produtor internacional e CEO da La Force Productions, a empresa produtora do evento.

As origens === O festival foi criado em 1974 pelo Príncipe Rainier III com o nome de Monte-Carlo International Circus Festival, e tornou-se o maior e mais importante do segmento no mundo. Em 2006, a Princesa Stéphanie de Mônaco assumiu a presidência do Festival e proporcionou ainda maior projeção. E o 1st Cirque International Festival of Brazil Contest seguirá os moldes da produção de Monte-Carlo, com o apoio da organização internacional do festival.

Os artistas internacionais === Serão mais de 70 artistas apresentando mais de 30 números de diversas categorias da arte circense, todos selecionados pela curadoria do evento, em meio a mais de 350 inscrições nacionais e internacionais. “Teremos talentos vindos de diversos países, além dos artistas de toda parte do Brasil”, comenta Marlene Querubin, também organizadora do projeto e mpresária conhecida como a primeira dama do circo no Brasil.

No Brasil, a primeira edição seguirá os moldes da produção de Monte-Carlo, com o apoio da organização internacional do Festival. A direção está a cargo de Jeferson Alexandre e conta com a parceria da empresária Marlene Querubin, da Spacial Entretenimento. Juntos, Jeferson e Marlene assinam uma nova bandeira circense: Cirque La Force, que também terá sua temporada de espetáculos: Show Reverie (em português significa “devaneio”) é outro espetáculo, que  inicia a temporada no dia 11 de maio,  com dezenas de atrações exclusivas. Esse espetáculo ainda será anunciado nos próximos dias e vai tratar de uma história que promete levar o público a uma viagem de um universo utópico cheio de emoções surpreendentes.

São produções milionárias que somam investimento na ordem de R$ 15 milhões, que acontecerão sob uma das maiores lonas já vistas no País, em uma área de mais de 10 mil metros quadrados ao lado do Palácio das Convenções, no Anhembi.

De acordo com os organizadores, a capital paulista receberá artistas de toda parte do mundo, bem como de diversos estados brasileiros. Somente o festival internacional terá aproximadamente 70 nomes com mais de 30 números de diferentes categorias da arte circense. Do exterior, virão representantes da Alemanha, Argentina, China, Etiópia, Itália, Hungria, Mongólia, Rússia e Ucrânia. Já do Brasil, estão confirmados competidores de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Bahia e Rio Grande do Sul.

O festival em território nacional é a realização de um sonho para a classe artística brasileira. O projeto levou quase quatro anos para ter a aprovação da organização internacional do festival e será um marco na história do circo no Brasil.

As apresentações serão abertas ao público, com capacidade para mais 2,3 mil pessoas. E diante de um júri composto por referências mundiais. Além de Eugene Chaplin, filho de Charlie Chaplin, atual presidente do Festival Internacional de Cinema de Comédia de Vevey; Alexander Ogurtsov, da Rússia, vice-presidente e líder artístico do Nikulin Moscow Circus, na Tsvetnoy Boulevard; Peter Dubinsky dos Estados Unidos, presidente e fundador da Firebird Productions, empresa de entretenimento internacional que produz shows e oferece artistas para Walt Disney World; entre outros.

Os prêmios serão baseados em pontuações, com troféu “Ouro” para a primeira maior soma de pontos; troféu “Prata” para a segunda, terceira e quarta somatória indicada no ranking; troféu “Bronze” à quinta, sexta e sétima colocação. Além dos oito ganhadores, haverá premiações para as categorias: Talento Brasileiro, Apresentação escolhida pelo público e Apresentações escolhidas pelos jurados.

Os caminhos de um talento === A história de jovens que deixam o próprio País em busca da realização de sonhos não é novidade em nenhuma parte do mundo. E a trajetória do brasileiro e empreendedor Jeferson Alexandre é mais uma grande inspiração de sucesso. Aos 18 anos ele deixou a comunidade onde nasceu, na região do Grande ABC Paulista, e seguiu rumo ao Oriente. Viajando pela Europa, Estados Unidos e outros continentes, se deparou com o circo e foi encantado pela magia desse meio artístico.

Aos 22 anos, estreou como diretor artístico profissional de um show de dança de circo na Coréia. E foi destaque por seu trabalho no Sheraton Walkerhill hotel casino, um dos mais prestigiados hotéis da Coréia do Sul.  Na Ucrânia, aos 24 anos, estudou na Universidade de Circo e, nesse mesmo ano, criou um número de transformação incrível ao lado de sua esposa ucraniana Anastasya, tornando-se referência no meio circense internacional. Em solo americano, foi gerente do Cirque Dreams Production, passando por mais de 42 cidades no País. Ainda durante sua carreira, o brasileiro foi agenciador artístico, codiretor e mágico.

Hoje, Jeferson Alexandre é um renome em produção artística, tendo elaborado espetáculos em diversas partes do mundo, como Estados Unidos, Itália, Filipinas, Coreia e Macau, na China. Como CEO da La Force Productions, empresa de entretenimento que há 16 anos cria e produz shows internacionais, o empresário está trazendo para o Brasil o Oscar do Circo: 1st Cirque International Festival of Brazil Contest, em São Paulo. Ao lado de Jeferson Alexandre, a direção do elenco estará a cargo de Mathieu Laplante, produtor artístico do Canadá, fundador da Showtime Solution, tendo atuado por 10 anos no Cirque du Soleil.

A “Primeira Dama do Circo” ===  Nascida em Cascavel, no Paraná, Marlene Querubim é hoje uma importante personalidade para o cenário circense no País. É atual presidente da União Brasileira de Circos Itinerantes (UBCI), representante do Circo na Frente Parlamentar em defesa do espetáculo circense e empresária da Spacial Entretenimento.

A história com o picadeiro começou na juventude, enquanto era ainda uma estudante. Na universidade, já era envolvida com as artes cênicas, mas o amor pelo circo só veio após assistir a um espetáculo na companhia de uma amiga. À época, então, Marlene abandonou a Universidade de Engenharia e Ciência aos 19 anos para seguir a trupe. Com o circo, viajou para diversos estados brasileiros levando a arte do rir e se emocionar para as famílias.

A “Primeira Dama do Circo”, como foi nomeada em 1995, empenhou-se durante toda a sua vida para que a arte circense tivesse reconhecimento e espaço no Brasil. Foi a primeira mulher a comandar um grande circo em território nacional, o Circo Spacial, precursor do chamado circo moderno e do futuro que conta, hoje, com uma equipe de mais de 100 profissionais, entre artistas, técnicos administrativos e outras funções. Com métodos administrativos modernos, a empresária aposta na parceria com o setor privado para provar que o circo é uma mídia alternativa interessante e eficaz.

Atualmente, além de atriz e poetisa, é escritora, com dois livros publicados: Marketing de Circo e Coração na Lona. Também participou de importantes programas televisivos, como “Provocações”, da TV Cultura. E em 2018 realiza um sonho antigo participando efetivamente da organização do 1st Cirque International Festival of Brazil Contest, a primeira edição brasileira do festival.  << Com apoio de informações/fonte: InFato  Comunicação — Leila Peres >>

—————

Serviço 

1st Cirque International Festival of Brazil Contest

  • De 2 a 6 de maio de 2018
  • Site www.cirquefestivalcontest.com.br
  • Midias sociais Facebook e Instagram: @cirquefestivalcontest
  • Apresentações abertas ao público:  capacidade para mais de 2300 pessoas
  • Preços a partir de R$ 90 para crianças e R$ 180 para adultos
  • Compras antecipadas pelo Ingresso Rápido www.ingressorapido.com.br
  • Tem acesso a portadores de necessidades especiais
  • Climatizador – Estacionamento
  • Local: Rua Professor Milton Rodrigues – ao lado do Palácio das Convenções /                            Holiday Inn Hotel – lado da Marginal Tietê – Anhembi – São Paulo

Hospedagem — E para quem é de fora de São Paulo, foram criados pacotes especiais com hospedagem e alimentação no Holiday Inn Anhembi, hotel parceiro do evento.


 

aniversario bergamini

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora