O arquivo documental que auxiliava repórteres dos jornais” Diário da Noite” e “Diário de São Paulo” na produção de notícias é o personagem principal da exposição ‘Diários Associados’, em cartaz até 31 de março, no Arquivo Público do Estado de São Paulo – APESP (Av. Voluntários da Pátria, 596, Santana/Zona Norte-Nordeste  – próximo ao metrô Tietê – 2ª a 6ª feira,  das 9h00 às 17h00 – com entrada gratuita).  O acervo, formado por 1,8 milhão de fotografias e recortes de jornais, ajuda a contar a história desses importantes periódicos fundados pelo empresário Assis Chateaubriand, que circularam entre as décadas de 1920 e 1970. A mostra também retrata o processo de recuperação e disponibilização deste acervo pelo Arquivo Público 36 anos após o encerramento das atividades dos jornais.

A exposição faz uma seleção desses documentos e fotos em vitrines e painéis que apresentam aspectos das técnicas de edição dos diários. Para as vitrines foram selecionados documentos de quatro pastas que mostram um pouco da riqueza e diversidade deste acervo. São elas: “Espanha – Revoluções, Guerra Civil (fotografias 1937)”; “Vargas, Getúlio Dorneles”; “Folclore – Congada”; e a pasta “Figueira, Diogo da Rocha”. Este último era o “Dioguinho”, um bandido que aterrorizava a região oeste do estado de São Paulo no final do século XIX. As notícias sobre seus crimes renderam vários capítulos que foram publicados no Diário da Noite, em 1949.

Entre as manifestações folclóricas, além da Congada, estão representadas a Festa do Peixe, de Piracicaba e a Festa do Divino, em Pirenópolis, Goiás, entre outras. As fotos de Getúlio Vargas são de momentos próximos a seu suicídio, a manchete de capa estampando sua morte e as manifestações populares pelo acontecimento.

As imagens da pasta “Espanha – Revoluções”, sobre a Guerra Civil Espanhola, são pouco conhecidas e mostram os dramas de refugiados, dos locais de batalha e apresentam a cobertura midiática do conflito ocorrido entre 1936 e 1939. Algumas das fotos dispostas nas vitrines são as mesmas reproduzidas nas capas dos periódicos. “Dessa forma mostramos o contexto de produção e edição do jornal”, informa Dóris Fleury, uma das funcionárias responsáveis pela concepção da exposição.

A mostra também conta com um material que pode ser manuseado pelos visitantes. São cópias idênticas de pastas de documentos e reproduções fotográficas. Essas reproduções eram feitas a partir de outras publicações, quase sempre estrangeiras, com qualidade suficiente para reutilização em matérias dos jornais paulistanos, em uma época em que ainda não havia preocupações com direitos autorais.

“A exposição apresenta, não somente o acervo e como ele era utilizado, mas também como ele foi tratado dentro do Arquivo Público desde sua chegada à instituição, em 1999, passando por todas as etapas de organização até sua disponibilização para o consulente”, explica Janaína Yamamoto, diretora-substituta do Centro de Acervo Iconográfico e Cartográfico do APESP.

Para completar os produtos referentes a este acervo, será lançado um e-book ainda em 2017, contando a história dos jornais Diário da Noite e Diário de São Paulo. O e-book e as exposições são produzidos pela equipe do Centro de Acervo Iconográfico e Cartográfico do APESP e fazem parte do projeto “Imagens do Jornalismo Brasileiro: Preservação e Difusão do Acervo dos Diários Associados”. <Fonte: APESP>

aniversario bergamini

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here