Na última 6ª feira (dia 22/9), os participantes do curso intensivo de confeitaria da Universidade Dona Benta, desenvolvido pelo Senai-SP (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) com a J.Macêdo, conheceram o renomado confeiteiro norte-americano Buddy Valastro, que está de volta ao Brasil.  Buddy é o padrinho do projeto.

O curso é o projeto piloto da Universidade Dona Benta e faz parte das iniciativas de responsabilidade social da J.Macêdo, que fabrica ainda marcas como Petybon e Sol. Dez participantes selecionados por meio das redes sociais e que já trabalham com produção e venda de bolos se aperfeiçoam na Escola Senai Horácio Augusto da Silveira, na Barra Funda, para tornar seu negócio cada vez mais profissional.

A grade é ampla: aborda desde a mão na massa (temas como higiene e conservação de alimentos, tipos de massa de bolo e técnicas de confeitaria) a questões como planejamento e custos. São 60h/aula em setembro.

“É ótimo que a Universidade Dona Benta ensine não só a produção de bolos, mas também a parte financeira do negócio. Em relação ao trabalho, é muito importante a gente fazer o que ama, mas também é necessário que o trabalho seja rentável. Então, o fato de o curso abordar tanto a produção quanto os custos do negócio, realmente faz todo o sentido”, disse Buddy Valastro.

Em um período de turbulento cenário econômico, a Universidade Dona Benta é uma forma de auxiliar os participantes no aperfeiçoamento da profissão e de, por meio da capacitação, eles obterem renda fazendo o que gostam: bolos! O objetivo da iniciativa é estimular o empreendedorismo e aumentar as chances de sobrevivência do negócio.

Segundo André Raccah, gerente de Marketing da J.Macêdo, a Universidade Dona Benta está relacionada a diferentes princípios da empresa. “O estreito relacionamento com os nossos consumidores, a responsabilidade social e o investimento em capacitação profissional fazem parte do DNA da J.Macêdo. A Universidade Dona Benta reforça essas características da empresa. A gente não quer só ensinar como fazer bons bolos: o curso ensina também como manter o padrão de qualidade e os cálculos de retorno de investimento. A ideia é que quem se lança ao desafio de empreender possa transformar bons bolos, feitos com carinho e amor, num negócio rentável”, diz Raccah.

“A Universidade Dona Benta é, também, uma maneira de devolver aos consumidores o carinho deles pela marca. A partir desse piloto, já estamos pensando na expansão do projeto, o que seria uma forma de oferecer capacitação gratuita para um número maior de empreendedores”, complementa Raccah.

Estebe Ormazabal Insausti, diretor da unidade do Senai-SP na Barra Funda, destaca a importância desse investimento em capacitação: “Há anos, o Senai-SP e a J.Macêdo mantêm parcerias. A proposta da Universidade Dona Benta é enriquecedora, pois assim juntamos mais forças para a capacitação. Com essa iniciativa, colocamos nosso experiente corpo de professores e toda a infraestrutura da escola à disposição dos alunos. O projeto vem ao encontro do esforço do Senai-SP de aumentar o nível técnico e tecnológico do setor da panificação e confeitaria. É um setor que tradicionalmente vem crescendo, mas que hoje em dia precisa de uma preparação tecnológica para impulsionar mais seu crescimento com profissionais preparados”.

No primeiro dia de aula da Universidade Dona Benta, em 11/9, as boas-vindas aos alunos também foram dadas por Buddy Valastro, que gravou um vídeo especialmente para a ocasião. Na sequência, foi servido um café da manhã completo com produtos Dona Benta. Agora, até 29/9, de segunda a sexta-feira, ocorrem aulas teóricas e práticas.

Além do curso, os alunos receberam material didático e itens como camiseta, avental, luva térmica e touca. Também são disponibilizados todos os ingredientes utilizados, entre eles os itens do variado portfólio Dona Benta, como farinhas e fermentos.

Conheça os participantes da Universidade Dona Benta

Ariane, 28 – O primeiro ano da faculdade de Marketing, Ariane pagou com a renda obtida fazendo pão de mel. Ela atuou na área de formação, mas se deu conta que o que lhe dá prazer são os bolos.

Carlos Eduardo, 35 – Mais conhecido como Dudu, ele já participou de reality shows de confeitaria. Profissional de moda, deixou a antiga carreira para trás para investir na confeitaria.

Cinthia, 34, e Roberto, 38 – Cinthia começou a fazer doces após o nascimento da primeira filha e deixar o emprego de recepcionista. O marido, Roberto, aproveitou e começou a fazer bolos. Hoje, eles já têm dois filhos (8 e 4 anos). Ele também não atua mais na antiga área (semijoias). Agora, os dois se empenham no empreendedorismo.

Cláudia, 52 – Formada em artes plásticas e também dona de casa, Cláudia faz marmitas gourmets. Há pouco, começou a se dedicar aos bolos: “Agora, utilizo minha arte na confeitaria!”

Janine, 37 anos – Engenheira, atuou na indústria automobilística até 2014. Desde então, passou a fazer bolo no pote. Hoje, tem clientela fixa em empresas.

Jaqueline, 35 – Formada em Ciências da Computação. Logo após o casamento, o marido dela pediu um pão caseiro. Ela não sabia fazer, mas aprendeu. E não tirou mais a mão da massa e dos doces.

Juliana, 37 – Formada em desenho industrial e pós-graduada, ela utiliza os conhecimentos acadêmicos com um viés diferente: “minha paixão é a modelagem”.

Kamila, 33 – Após engravidar e perder o emprego, ela não se deu por vencida e começou a fazer brigadeiro e pão de mel. Agora, foca nos bolos. “Em dias difíceis, nada como açúcar para adoçar”, diz.

Mônica, 39 – Profissional de administração, após perder o emprego, ela fez cursos de chocolate. Agora, começa a dar os primeiros passos na área de confeitaria.

Sobre a J.Macêdo – É líder de mercado nos segmentos de farinha de trigo doméstica e de mistura para bolos, a terceira maior empresa nacional no segmento de massas alimentícias e a fabricante líder em vendas na cidade de São Paulo. A empresa produz, distribui e comercializa diversas categorias de produtos que fazem parte do dia a dia das famílias brasileiras: farinhas (Dona Benta, Sol, Brandini, Lili e Boa Sorte); massas (Dona Benta, Petybon, Brandini, Madremassas, Favorita, Familiar e Paraíba); mistura para bolos (Dona Benta, Sol e Boa Sorte); sobremesas (Sol), fermentos (Dona Benta) e biscoitos (Sol e Águia).  <<com apoio de informações/fonte: Pixit Comunicação >>

Vestibular2018

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora