da Redação DiárioZonaNorte

A Secretaria Estadual de Saúde confirmou a morte de cinco macacos na região do Horto Florestal.  O primeiro teve a morte constatada por febre amarela na 6ª. feira (20/10/2017). Outros dois macacos foram encaminhados para  os exames  sorológicos e histoquímico. Os outros dois macacos restantes não apresentam condições de passar pelos testes,  já que se encontram em avançado estado de decomposição.

A informação foi fornecida pelo  secretário estadual de Saúde e médico infectologista, David Uip, nesta  2ª feira (23/10/2017) durante rápida visita ao Horto Florestal que, juntamente com o Parque da Cantareira,  está fechado para o público por tempo indeterminado deste o sábado (21/10/2017).

Fechamento dos parques ===  A medida ocorre por determinação de  protocolo do  Ministério da Saúde, que realiza a vigilância de epizootias (doenças que atacam animais) desde 1999, com o objetivo de antecipar a ocorrência de doenças. Assim é possível fazer a intervenção oportuna para evitar casos humanos, por meio da vacinação das pessoas e também evitar a urbanização da doença por meio do controle de vetores nas cidades.   Os funcionários do parque já estão imunizados. Até o momento, não houve referências aos operários e engenheiros que trabalham na construção do Rodoanel Norte, que está junto à Serra da Cantareira, bem próximo dos acontecimentos.

Sábado de Vacinação e ações preventivas ==== No sábado  (21/10/2017),  foram vacinadas preventivamente 4.126  pessoas que residem na região do Horto Florestal contra a febre amarela. E, até o final da tarde desta 2ª feira, chegou-se a 12.818 pessoas, atendidas nas quatro Unidades Básicas de Saúde da região — sendo 3.238 pessoas na AMA/UBS Jardim Peri; 3.915 na UBS Horto Florestal; 2.150 na UBS Mariquinha e 2.600 na UBS Vila Dionísia. No sábado, o posto volante que funcionou na associação do bairro Vila Amélia, imunizou 915 pessoas.  Além da vacinação foram feitas ações de nebulização (fumacê) na Vila  Amélia e nas proximidades do Horto Florestal, já que a febre amarela silvestre (FAS) é transmitida pelos mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes  e a febre amarela urbana (FAU) é transmitida pelo Aedes aegypti, após picar um doente.

Reforço no estoque  ===  Respondendo perguntas dos jornalistas que esperavam o secretário, do lado de fora dos portões do Horto Florestal,  Uip  informou que já está em tratativas com o ministro Ricardo Barros (da Saúde), para um eventual reforço no estoque das vacinas.

Hoje, o estado tem 1,5  milhão de doses da vacina e a meta é que sejam vacinadas 500 mil pessoas – prioritariamente moradores nos bairros que fazem fronteira com o parque: Tremembé, Casa Verde e Vila Nova Cachoeirinha .  A população desses bairros soma 447.461 habitantes, de acordo com dados da  Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados). Ainda de acordo com o secretário, mesmo as pessoas que freqüentam o parque e vivem em outras áreas da cidade mesmo não sendo  parte do grupo prioritário,   500 mil vacinas estão reservadas .

Sem pânico   ===  Enquanto o secretário Davi Uip tentava passar um clima de “situação sobre controle” e informava que 1 milhão de pessoas serão vacinadas em todo o estado de São Paulo,  o secretário municipal da Saúde Wilson Pollara, durante uma transmissão ao vivo por meio do Facebook da pasta, afirmou que 2,5 milhões de pessoas serão vacinadas em toda a Zona Norte da  cidade de São Paulo.

De acordo com Pollara, “isso significa um alerta para que a gente programe uma ação de vacinação da população.  Inicialmente, vamos fazer essa vacinação em círculos do local que foi encontrado o animal. Vão ser inicialmente vacinadas 500 mil pessoas dos primeiros 500 metros ao redor do local e, em seguida, nós vamos ampliando esse círculo até completar toda a região norte, que seriam 2,5 milhões de pessoas. Nós começamos (a vacinação) com quatro postos, vamos ampliar para 29 e, depois, 57 postos.”

Ainda de acordo com ele,  o fornecimento das vacinas já está acertado com o Ministério da Saúde e algumas  Unidades Básicas de Saúde (UBS) terão seu horário ampliado. A através do site da Secretaria Municipal de Saúde foi veiculada tabela com todos os endereços e telefone das UBS, com a observação que “a imunização seguirá até que todo o público-alvo esteja imunizado e as ações de rotina seguirão nas unidades que normalmente já realizam vacinação para a febre amarela, conforme tabela (checar antes por telefone): goo.gl/eYQuDN  “.  E ainda informou as UBS atuais e o acréscimo de outros pontos — das 8  às 18 horas: UBS/AMA Jardim Peri  – UBS Horto Florestal – UBS Dona Mariquinha Sciascia – UBS Vila Dionísia – UBS Jardim Rosinha  – UBS Morada do Sol – UBS Morro Doce  e UBS/AMA Parque Anhhanguera — ver endereços no final da matéria.

Ocorrências no estado de São Paulo ===  Em fevereiro, um macaco foi encontrado morto com o vírus da febre amarela em São Roque.  Em março, Campinas registrou a morte de dois macacos saguis contaminados com o vírus da febre amarela.  Na área de Jundiaí foram 41 macacos infectados com o vírus.   Todas essas cidades passaram por processo de imunização da população.  Apesar de não ter nenhuma ocorrência de macacos infectados, as  cidades de Caieiras e Francisco Morato realizaram campanhas preventivas de imunização.

Distrito Anhanguera ===  Desde o mês de setembro, os moradores do Distrito Anhanguera (Jardim Jaraguá, Jardim Britânia, Anhanguera, Morro Doce, entre outros)  estão sendo vacinados contra a febre amarela. A meta inicial era  imunizar  60 mil pessoas. O local é uma área cercada de mata e fica próximo ao  Parque Estadual  do Jaraguá.

Corredor Ecológico ===  Oficialmente não foi encontrado nenhum macaco contaminado com o virus da febre amarela na região do Jaraguá, porém a região fica em uma espécie de “corredor ecológico” – onde a área de mata é contínua e liga vários municípios (no caso Jundiaí).  Esse  mesmo “corredor ecológico” liga os parques do Horto Florestal e Cantareira ao município de Mairiporã.

Casos em Mairiporã === Segundo o jornal/site “Agora Mairiporã”, dois macacos foram encontrados mortos na região de Mairiporã (Serra da Cantareira). Exibindo as fotos, o jornal informa que no sábado passado (21/10/2017) foram achados mais dois macacos mortos no bairro Alpes da Cantareira e Gleba-II. No total já foram encontrados 3 macacos mortos em Mairiporã nos últimos dois meses. Os macacos foram recolhidos pela Defesa Civil de Mairiporã e com a Unidade Florestal da Guarda Civil Municipal (GCM) de São Paulo para análise.

O mesmo veículo lembra que há cerca de um mês a Vigilância Sanitária, em conjunto com Secretaria Municipal de Saúde de Mairiporã, está  intensificando a vacinação contra “febre amarela” no município. No final, o jornal cita os postos de saúde como locais de vacinação, o  funcionamento em horários extras e até aos domingos – como emergência.

Forma de transmissão ===  Apesar de serem hospedeiros do vírus, os macacos não transmitem a  doença para humanos. Os transmissores são duas espécies de mosquitos silvestres: Haemagogus E Sabethes.  As duas espécies de mosquito  tem apenas 500 metros de autonomia de vôo. “É importante enfatizar que se trata de febre amarela silvestre transmitida pelo mosquito Haemagogus e Sabethes, comum em regiões de mata. O macaco não transmite a doença para humanos, pelo contrário, é o indicativo de circulação de vírus no local, servindo como alerta para que se desenvolvam ações de prevenção. Nós já estamos à frente e iniciamos a vacinação em setembro no distrito Anhanguera”, esclarece Maria Lígia Nerger, coordenadora do programa municipal de imunização da capital.

A vacina – A Organização Mundial da Saúde considera que apenas uma dose da vacina já é suficiente para a proteção por toda a vida.  A vacina não está indicada para gestantes, mulheres amamentando crianças com até 6 meses e pessoas imunodeprimidas, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticoides em doses elevadas (portadores de Lúpus, por exemplo). Em caso de dúvida, é importante consultar o médico. Vale lembrar que a vacina é gratuita na Rede Pública de Saúde, já na rede particular o preço da dose oscila entre  150 a 280 reais.

Sobre a doença ===  Os sintomas iniciais incluem febre, calafrios, dor de cabeça, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Em casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. Cerca de 20-50% das pessoas que desenvolvem doença grave, podendo vir a óbito.

Falta de informações ==   A redação do DiárioZonaNorte  notou a falta no envio de informações das Assessorias de Comunicação das Secretarias de Saúde estadual e municipal.  Informações desencontradas e um jogo de empurra entre uma secretaria e outra, sem o envio de informações oficiais às redações.   Ao mesmo tempo, não foram informadas as agendas dos respectivos secretários e nem mesmo os acertos para entrevistas coletivas isoladas ou conjuntas.

Somente às 20h54 de 2ª feira (23/10/2017) é que veiculou matéria da Secretaria Especial de Comunicação – Secom no site da Prefeitura de São Paulo. Desde a semana passada, com o registro no Horto Florestal, foi a primeira vez noticiado o fato. Até o momento, não houve referências a outros locais – como Anhanguera (Perus) e Jaraguá (Pirituba).

Onde vacinar ===  A imunização seguirá até que todo o público-alvo esteja imunizado e as ações de rotina seguirão nas unidades que normalmente já realizam vacinação para a febre amarela entre 8 e 18 horas:

UBS/AMA Jardim Peri – Av. Peri Rochetti, 914 – Jd. Peri

UBS Horto Florestal – R. Luis Carlos Gentile de Laet, 603, esquina com rua. do Horto, 603 – Horto Florestal

UBS Dona Mariquinha Sciascia – R. Dr. José Vicente, 39 – Tremembé

UBS Vila Dionísia – R. Chen Ferraz Falcão, 50, Vila Dionísia

UBS Jardim Rosinha – R. Dalva de Oliveira, 82 – Morro Doce

UBS Morada do Sol – R. Assis Brasil, 31, esquina com Pça. Luiz Vaz de Camões – Sol Nascente

UBS Morro Doce – R. Alberto Calix, 55 – Jd. Canaã

UBS/AMA Parque Anhhanguera – R. Pierre Renoir, 100 – Via Anhanguera Km 24,5 –       Jd. Britania

 

Institucional Trevo

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário
Por favor, entre com seu nome agora