Para fortalecer o “Corujão da Saúde”, que começa a funcionar na próxima 3ª feira (10/01/2017), a Prefeitura de São Paulo firmou convênio com a Santa Casa de São Paulo para agilizar as consultas de reavaliação da população. O hospital filantrópico irá ofertar em torno de 40 mil atendimentos extras aos pacientes encaminhados das UBS que não conseguirem absorver suas demandas internas. O valor investido para esse convênio será de R$ 400 mil.

O “Corujão” será implantado em hospitais da rede pública  e filantrópica, além de hospitais e clínicas particulares conveniados com a Secretaria Municipal de Saúde.

A iniciativa tem como meta zerar a fila de 485,3 mil exames em um prazo de 90 dias. Ao término do “Corujão”, todos os pacientes que necessitarem de exames na rede municipal deverão conseguir realizá-lo em até 30 dias, no máximo, na própria rede municipal.

O programa começa em hospitais filantrópicos já conveniados com a Secretaria Municipal de Saúde, que ofertarão volume de exames extras em horários alternativos. Paralelamente a isso, a pasta fará um chamamento universal visando credenciar outros serviços, entre hospitais e clínicas particulares. O chamamento deverá se encerrar no final de janeiro.

Os exames serão realizados preferencialmente das 20 horas à meia-noite nos serviços credenciados, aproveitando a capacidade ociosa desses hospitais e clínicas para atender à população. A prefeitura dará preferência para que o exame seja feito no serviço mais próximo da casa do paciente. A remuneração dos procedimentos seguirá os valores da tabela do Sistema Único de Saúde (SUS). O investimento será de R$ 17 milhões.

Desde o dia 2 de janeiro, a secretaria iniciou contato telefônico para agendar os exames para os 296,5 mil pacientes que estavam na lista de espera entre um e seis meses. Eles representam cerca de 60% do total da fila.

Os pacientes com exames solicitados pelo médico há mais de seis meses serão chamados para serem reavaliados nas Unidades Básicas de Saúde. O objetivo é verificar seus atuais quadros de saúde e a necessidade de serem submetidos ao exame originalmente prescrito ou a outros procedimentos. Na rede privada, a validade de um pedido de exame médico é de apenas 30 dias.  Pelo programa, se o paciente ainda não tiver feito o exame ou se, pelo quadro clínico, ainda continuar sendo necessário o procedimento, ele será agendado dentro dos 90 dias. 

Da lista de espera atual para exames, 349,2 mil são para ultrassom dos mais diferentes tipos. Outros 42,2 mil são para tomografia, 33,5 mil para ecocardiografia, 32,2 mil para mamografia e 28,1 mil para ressonância magnética. <Fonte: Secretaria Executiva de Comunicação-Secom/PMSP>

aniversario bergamini

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here