por Conceição Lourenço (*)

Naquele dia, no meio da semana, o combinado era eu sair do trabalho e ir tomar um chope com um amigo. Me arrumei toda para a ocasião. Coloquei o vestido que eu sabia que me valorizava, etc, etc… Pintei as 20 unhas da cor do vestido (vinho).

Caramba, lá pelas 5 da tarde o amigo liga e diz que não poderia ir… telefonei  pra uma amiga pra reclamar (choraminguar). Ela, na hora: “ Não encana, vem pra minha casa, faço uma jantinha, a gente ri bastante e você esquece”, assim foi.

Comemos, rimos, e ela pirou no meu vestido. Ela estava de relacionamento novo, empolgada, me disse: “Amanhã vou sair com o X, bem que vc poderia me emprestar esse vestido”, claro que sim. Na hora de ir embora, fui no porta-malas do meu carro e achei uma camiseta (com a estampa do Wolverine). Ali mesmo tirei o vestido e dei pra ela, eu usava uma anágua, (todos sabem o que é, né?, uma saia que a gente coloca debaixo do vestido, cheia de rendas, para a roupa não ficar transparente).

Fui embora pra minha casa, assim: anágua, salto alto, e camiseta do Wolverine. Era umas 23 horas, ela me avisou pra não cortar caminho pela “favelinha”, mas ignorei o conselho… Fui  feliz, “semi nua”, rádio bem alto, demorei pra perceber a Polícia atrás  de mim. Sirenes, sinal de luzes, três carros da Rota.

Um dos carros da Polícia me alcançou, passou o meu, virou de frente (cavalo de pau)  e parou, quase bati neles. Já descem dois policiais com armas grandes apontando pra mim. Bem na favelinha…  meu carro era bem novo, e modelo bem novo também …

Assustei demais, parei, eles se aproximaram e me mandaram sair do carro. Perguntei por que, eles falaram que procuravam um veículo daquele modelo (dãããã, olha a placa) saí com a bolsa na mão, saquei os documentos, eles estavam esquisitos. Carinhas de riso…

Ficou tudo bem. Um deles disse, sorrindo, que achava que me conhecia. Na época, eu fazia júri no programa do Netinho de Paula, na TV Record. O tenente se desculpou e perguntou onde eu morava, se queria escolta pra ir pra casa. Respondi que não, que morava perto… na rua tal etc. Um deles: “Rua tal? É onde mora o Tigela…”, um amigo de infância, que era policial… Confirmei, disse que eu e o Tigela (Francisco – “Chico”) éramos amigos.

Fui embora sozinha e trêmula, nervosa. Que horror. Eu sabia que meu namorado estava na minha casa, como era praxe liguei pra ele abrir a garagem pra mim. Guardei o carro e ali mesmo comecei a contar pra ele: “Ai, que horror, a Polícia me parou… blá, blá, blá…”, e ele muito sério (era muito sisudo) me perguntou secamente: “Você estava vestida assim???”.

“Assim como???”, olhei pra mim e me dei conta da falta de roupa… Meu Deus que vergonha. Vergonha dos policiais, vergonha do namorado, vergonha de tudo. Comecei chorar. Entramos.

Sentei no sofá continuei contando que emprestei o vestido pra amiga, ele bem frio, só me olhando nos olhos. Tocou o telefone fixo. Pô, 23 horas telefone tocando… Era o Tigela: “Con, o que está acontecendo, quer que eu vá aí?”, os fofoqueiros contaram pra ele. Aí que a vergonha caiu mesmo…

Enfim, minha amiga foi feliz com o vestido. Me desfiz dele tempos depois, mas quem assistiu ao filme Raça do Joelsito Araújo me verá com ele o tempo todo.

ps : história do vestido. Na época eu trabalhava na TV da Gente, onde dentre tantas
atrações havia Gleides Xavier. Eu estava acompanhando a gravação do programa dela,
do switch (sala de controle das TVs), quando a vi com vestido. Pirei, chamei o 
figurinista (Joni Anderson) e pedi um igual. Ele voltou na loja e me trouxe um 
creme, pois o vinho havia acabado. Fiquei na segunda-mão da Gleides. 
Minha amiga também pirou. O vestido era “babado”, valoriza a gente demais!

(*) Conceição Lourenço — jornalista há 35 anos. Passou por diversas redações e segmentos: Revista Exame, Infantis, Diário de São Paulo, Revista Bárbara, Uma, Chiques&Famosos, Ti-ti-ti. Dirigiu a Revista Raça Brasil. Fundadora da Cal Assessoria de Imprensa. Hoje é Assessora Executiva de Comunicação na Prefeitura Regional do Pirituba/Jaraguá.  << “Crônicas da Conceição”: nos finais de semana/sábados >>


Nota da Redação: As opiniões publicadas neste espaço são de inteira responsabilidade de seus autores. Os comentários nele emitidos não exprimem, necessariamente, o ponto de vista do “DiárioZonaNorte” e nem de sua direção.

Natal 2017 CN

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here